mobilitec

ergometrica

Ortopedia Moderna

Lismedica

Mais que Cuidar
Stannah Mobilidade S.A

Autopedico

Invacare

Pros Avos

Ortopediareal
sembarreiras

Tecnomobile

TotalMobility

Multihortos

Drive Mobility

Autor Tópico: Gente Famosa com Deficiência  (Lida 16735 vezes)

0 Membros e 2 Visitantes estão a ver este tópico.

Online migel

Gente Famosa com Deficiência
« em: 28/03/2010, 18:42 »
Gente Famosa com Deficiência



Inúmeros homens e mulheres de séculos passados conseguiram a proeza de eternizar seus nomes na História, apesar de suas deficiências.

Nos anos atuais muitos indivíduos também têm tido sucesso excepcional em suas vidas,
mesmo com problemas limitadores.

Dentre muitos daqueles que se destacaram em suas atuações nos mais variados

campos, tanto no passado quanto no presente, ressaltamos os seguintes:


Continua...
 

Online migel

Re:Gente Famosa com Deficiência
« Responder #1 em: 28/03/2010, 18:49 »
Abraham Lincoln

Presidente dos E.U.A.

No ano de 1960 foi publicado um artigo médico onde afirmou-se que o Presidente Lincoln tinha sido vítima da Síndrome de Marfan. O articulista baseou sua afirmação em observações pessoais de ordem física: o fato de que Lincoln havia sido um homem mais alto do que a totalidade dos circundantes, o formato característico de sua caixa toráxica e problemas com suas juntas, segundo descrições da época.
Desde então, diversos médicos têm procurado diagnosticar melhor a situação de Lincoln em vida, confirmando ou rejeitando a idéia dele ter tido essa síndrome.
Primeiramente, para ter uma idéia do que é a síndrome de Marfan, veja neste site uma descrição desse mal, nas páginas sobre Deficiências e Síndromes.
Destaquemos agora a opinião de um dos mais dedicados estudiosos do caso Abraham Lincoln: Dr. Harold Schwartz.
Segundo ele, os sintomas deixam muito poucas dúvidas. E afirma categoricamente que, caso a bala disparada por John Wilkes Booth não tivesse atingido fatalmente Lincoln, em menos de um ano ele poderia estar morto devido a complicações provocadas pela Síndrome de Marfan, para a qual não existe cura.
Pesquisando a história do grande presidente norte-americano, o Dr. Schwartz afirma que êle um dia disse ao seu amigo Joshua Speed: “Meus pés e minhas mãos ultimamente parece estar sempre frias. Talvez eu precise ficar acamado”. Apesar de estar com apenas 56 anos de idade em 1865, Lincoln estava continuamente cansado. E dizia: “Há apenas uma palavra que pode expressar minha condição e é “frouxidão”.
Um dia, um pouco antes de sua morte, tentou levantar-se da cama, mas caiu de volta, sentindo-se muito fraco para tanto. E apenas um dia antes de sua morte, sua esposa Mary escreveu sobre as fortes dores de cabeça e indisposição do presidente.

Fonte: Faster
 

Online migel

Re:Gente Famosa com Deficiência
« Responder #2 em: 28/03/2010, 19:54 »
Alexander Pope

Poeta Inglês
Alexander Pope, o mais famoso poeta clássico a Inglaterra no século XVIII, nasceu em Londres no ano de 1688. Era filho de pais católicos e bastante idosos. Ele sempre foi considerado um poeta nato, tendo mostrado, no entanto, forte predileção pela crítica mordaz, com a qual procurava agredir seus desafetos, dando vazão a agressividade.
Cabe aqui notar que Alexander, além de sua estatura bastante limitada, teve sérios problemas físicos desde o seu nascimento. Doentio como era, dizia que sua musa ajudava-o na sua longa enfermidade, ou seja, em sua vida.
Desde a infância sofreu muito com o raquitismo e por causa desse mal ficou corcunda, com acentuada curvatura de sua coluna dorsal. A parte da frente de sua caixa toráxica também era deformada. Um dos lados de seu corpo era afetado por uma forte contração. E, adicionando a esses males, Pope teve os tendões de dois dedos da mão direita gravemente prejudicados durante um acidente, o que dificultou muito seus trabalhos de escritor. Existe uma preciosa descrição de Alexander Pope, feita pelo famoso pintor inglês, Sir Joshua Reynolds, que nos repassa uma imagem realista e bem diferente daquela retratada na tela a seguir reproduzida:
Alexander Pope “tinha aproximadamente 4 pés e 6 polegadas (1,37 m) de altura, muito corcunda e deformado. Usava um casaco preto e, conforme a moda de então, usava uma pequena espada. Tinha olhos grandes e bonitos, e um nariz longo e simpático; sua boca tinha aquelas marcas peculiares que sempre são encontradas nas bocas de pessoas falsas; e os músculos que lhe corriam pela face eram tão fortemente marcados que pareciam pequenos cordéis”.
Sua vitória marcante na vida está retratada pela sua poesia e pelos seus escritos. Escreveu obras que ficaram famosas, como “Tratado sobre a Crítica”, “Tratado sobre o Homem”, “Floresta de Windsor”, “Pastorais” e muitas outras. Além disso, Pope traduziu para o inglês o poema épico “Ilíada” de Homero, pelo que recebeu um total de 5.000 libras esterlinas. Segundo diversos críticos, foi a mais nobre versão de poesia épica que o mundo jamais apreciou. O sucesso foi tão grande, que Pope foi contratado para traduzir a “Odisséia”, com o que ganhou mais 3.000 libras e tornou-se independente.
Foi exatamente todo esse acervo de trabalhos intelectuais, produtos de sua notória inteligência, criatividade, persistência e de seus sentimentos, desenvolvidos a despeito dos males que o afetavam, que garantiram a Alexander Pope imorredouro lugar na literatura inglesa, sendo o representante principal de seu classicismo.
Alexander Pope morreu com 56 anos de idade, após uma contínua e heróica luta contra doenças e dificuldades causadas por suas deficiências físicas.

Fonte: Faster
 

Online migel

Re:Gente Famosa com Deficiência
« Responder #3 em: 28/03/2010, 19:59 »
ANDREA BOCELLI


Voz do Milênio
Nascido no dia 22 de setembro de 1958, Andrea foi criado no sítio de sua família, em Lajatico, situado no meio de áreas de plantio de oliveiras, na Toscana rural (Itália). A propriedade incluía um vinhedo do qual Sandro, seu pai, fabrica até hoje uma pequena quantidade do seu precioso e sempre procurado Chianti Bocelli.
Demonstrando raras qualidades vocais desde pequeno, o garoto era incentivado a cantar e seus pais encorajavam-no com lições de piano, desde os 6 anos de idade, e depois flauta e saxofone.
Superando os bloqueios causados pela cegueira, depois dos estudos iniciais, Andrea foi para a Universidade de Pisa, onde estudou Direito, tendo passado um ano todo trabalhando junto ao fórum local.
Aproximou-se do famoso tenor Franco Corelli que o aceitou como aluno. Devido a suas dificuldades financeiras, para pagar as aulas tocava piano à noite em bares e clubes. Numa dessas ocasiões encontrou Enrica, sua futura esposa. Casaram-se e o casal tem hoje dois filhos.
Sua vida tomou um rumo inacreditável quando o famoso roqueiro Zucchero começou a fazer audições para tenores, a fim de preparar uma gravação de demonstração de um dueto de sua autoria, intitulado Miserere, numa tentativa de convencer Pavarotti a gravar a canção. Zucchero lembra: “Andrea foi inacreditável! Ele tinha algo que nenhum outro tenor possuía. Ele tinha alma”.
E quando Pavarotti recebeu a gravação de demonstração, ficou muito impressionado com a voz de Andrea e perguntou: “Zucchero, quem é esse cara?” E disse que Zucchero não precisaria dele para gravar o dueto pretendido. Ele poderia usar Andrea Bocelli. Pavarotti e Zucchero gravaram o dueto, mas nas viagens de apresentação do roqueiro pela Europa, Bocelli é que começou a cantar com ele o Miserere, que passou a ser um tremendo sucesso. Tanto isso é verdade, que na música foi encaixado um solo para Bocelli.
Pouco depois Pavarotti conheceu e ficou amigo de Andrea Bocelli. A fama e a popularidade de Andrea aumentou muito com suas participações anuais nos famosos concertos “Pavarotti e seus Amigos”.
Logo começou a cantar ao lado de nomes muito famosos, como Bryan Adams, Al Jarreau e outros. Foi o vencedor do Festival de San Remo em 1994, quando cantou a universalmente conhecida “Con te partiró”, que chegou a atingir dois discos de platina, só na Itália. No ano de 1996 ele e Sarah Brightman
gravaram o “Time to Say Goodbye” como um dueto, ao som da Orquestra Sinfônica de Londres. Todos conhecemos também a versão de “Con te partiró”, cantada com a brasileirinha Sandy, na oportunidade com apenas 14 anos de idade.
Todavia, o disco “Romanza”, lançado em 1997, teve um sucesso bem maior. E o seu lançamento “Sogno” vendeu mais de 4 milhões de cópias e é um testemunho do poder de sua voz singular e de seu calor irresistível, na eliminação das barreiras reais não apenas relacionadas a deficiências, como a cegueira, por exemplo, mas também àquelas de língua e de cultura.

Fonte: Faster
 

Online migel

Re:Gente Famosa com Deficiência
« Responder #4 em: 28/03/2010, 20:58 »
ANA RITA DE PAULA

Doutora em Psicologia

Ana Rita nasceu na cidade de São Paulo/SP – Brasil, no dia 26 de janeiro de 1962, com uma rara
deficiência congênita progressiva. Psicóloga formada pelo Instituto de Psicologia da Universidade
de São Paulo, Ana Rita conquistou os títulos de mestre e de doutora em psicologia.
Desde 1980 ela tem participado com determinação e muito esforço dos movimentos de defesa dos direitos das pessoas com deficiência na Capital Paulista. Em suas muitas atividades cruzou seus caminhos com outras pessoas com deficiência na Universidade de São Paulo, quando ainda estudante, tendo ajudado a criar o NID – Núcleo de Integração do Deficiente, que é uma organização
não-governamental formada por voluntários com ou sem deficiências.
Apesar de suas dificuldades de movimentação, Ana Rita tem contato com um forte apoio familiar, mantendo um trabalho contínuo de assistente técnica da Secretaria de Saúde do Estado de São Paulo e prestando sua colaboração profissional também em diversas áreas do Ministério da Saúde e da Prefeitura de São Paulo. Além disso, tem sido consultora junto ao Centro de Reabilitação das Obras da Irmã Dulce, na Bahia, e na SORRI-BRASIL. Sua vinculação ao Centro de Vida Independente Araci Nallin, que ajudou a
criar, tem sido contínua como consultora voluntária.
Mulher dos muitos e contínuos desafios, Ana Rita tem se preparado para a prestação de concurso
para a vaga de professor titular do Instituto de Psicologia da Universidade de São Paulo.
Recentemente Ana Rita foi agraciada com o Prêmio Direitos Humanos 2004. É uma honraria
merecida e concedida pelo Governo Brasileiro desde 1995 a pessoas e a organizações que se
destacam na grande luta pela defesa dos direitos humanos.

Fonte: Faster
« Última modificação: 28/03/2010, 23:20 por Sininho »
 

Online migel

Re:Gente Famosa com Deficiência
« Responder #5 em: 28/03/2010, 21:03 »
ANTÔNIO FELICIANO DE CASTILHO


Literato português


O famoso nome de Antônio Feliciano de Castilho tem sido citado como poeta, prosador, ensaísta, escritor e pedagogo. Nascido em 1800 e falecido em 1875, ele é, sem dúvida, uma das mais importantes figuras literárias de Portugal.
Perdeu a visão aos 6 anos de idade, mas seu denodado irmão Augusto, percebendo sua incrível memória, ajudou-o a estudar e a inteirar-se do mundo que o cercava. Já prestar a concluir seu curso em Coimbra, publicou, no ano de 1821 seu primeiro trabalho de importância: “Cartas e Eco e Narciso”.
Com a publicação de seu livro de poesias intitulado “O Outono”, após uma viagem ao Brasil e seus diversos anos nos Açores, despertou nos meios literários lusitanos uma verdadeira polêmica que ficou conhecida como “Questão Coimbrã”. Nela estiveram envolvidos nomes famosos, como Antero de Quental, Camilo Castelo Branco e outros.
A cegueira não impediu Antônio Feliciano de Castilho de se transformar num dos mais respeitados nomes de toda a literatura portuguesa.

Fonte: Faster
 

Online migel

Re:Gente Famosa com Deficiência
« Responder #6 em: 28/03/2010, 21:08 »



ANTONIO FRANCISCO LISBOA


Aleijadinho

Antônio Francisco Lisboa nasceu em Vila Rica (hoje Ouro Preto), por volta de 1730, sendo filho de um arquiteto português (Manoel Francisco Lisboa) e de uma sua escrava (Isabel). Com saúde plena e sem problemas físicos até seus 47 anos de idade, era um mulato baixo e meio gordo, de forte personalidade e muito perseverante. Aprendeu a ler e a escrever, adquiriu noções de música e de latim, estudou desenho e praticou com todo empenho aspectos de arquitetura e escultura na oficina de seu pai e com mestres da época.
O pai faleceu em 1767 e Antônio Francisco, já famoso pela sua arte, com 37 anos de idade, não tinha como dar conta das encomendas, notoriamente na linha da escultura, trabalhando mais em pedra-sabão. Com o seu trabalho ganhava, mas também gastava, numa vida que por diversos anos foi repleta de excessos. Muito embora não tenha tido uma aparência que atraísse as mulheres, teve um filho com uma mulher chamada Narcisa. Antônio Francisco reconheceu o filho como seu e deu-lhe o nome do seu pai: Manuel Francisco.
Só começou a sentir os efeitos limitadores de sua misteriosa doença no ano de 1777, quando os médicos de então supunham tratar-se de escorbuto, sífilis ou da propalada zamparina. Médicos que estudaram sua vida e as características de suas lesões hoje consideram tratar-se de tromboangeíte obliterante. Devido a esse mal, aos poucos foi perdendo seus membros superiores e inferiores. Com o tempo, por quase não poder andar, quando viajava para longe, usava um burro; quando ia para perto, ia nas costas de seu escravo Januário. Conseguia trabalhar com o auxílio de seus escravos, com os instrumentos amarrados às suas mãos quase sem dedos.
Mas mesmo com todas as dificuldades, seus méritos continuaram indisputados.
Certamente devido a um certo sentimentalismo lusitano que prevalecia no Brasil, começou a ser reconhecido como o Aleijadinho e não como Mestre Antônio Francisco Lisboa, como seus contratos reconheciam.
De suas muitas obras, as mais famosas são os doze profetas que estão localizados no adro da igreja do Bom Jesus de Matozinhos, em Congonhas do Campo, para execução das quais assinou um contrato em 1800. São figuras que se distribuem em volta do largo e em suas escadarias. Ele deu a cada um dos profetas expressão própria, gestos e uma diversidade notável. Note-se que um deles tem um polegar no mínimo estranho e defeituoso.
Antônio Francisco Lisboa morreu em 1814 e foi sepultado em Vila Rica (Ouro Preto). Foi um artista de méritos inegáveis, mas terminou sua vida pobre, sozinho, com seus membros mutilados, quase paralisado e cego.

Fonte: Faster
 

Online migel

Re:Gente Famosa com Deficiência
« Responder #7 em: 28/03/2010, 21:15 »
ÁPIO CLÁUDIO, CEGO

Censor Romano
Conhecido na História Romana como Appius Claudius Coecus, este grande homem público foi um dos mais célebres censores romanos. Ele foi o responsável direto por obras famosas das quais existem ruínas notórias. Uma delas é um aqueduto conhecido como Acqua Appia, originalmente com 15 quilômetros de comprimento e que conduzia a água potável por meio de canais subterrâneos até Roma. Outra obra é a famosíssima Via Appia, estrada que à época de sua construção tinha quase 200 quilómetros, indo de Roma até Campania (Cápua). Mais tarde, devido à sua importância para a manutenção do comércio e da segurança interna ela foi ampliada até o salto da bota italiana (Brindisi).

Ápio Cláudio no Senado Romano

Ápio Cláudio havia sido cônsul duas vezes antes de ser censor. É importante lembrar que os censores, sempre em número de dois, eram eleitos por cinco anos e detinham a magistratura mais elevada de Roma. Encarregavam-se eles do recenseamento e do inventário dos bens, faziam a relação dos senadores, estabeleciam os parâmetros do orçamento público e eram responsáveis pelas obras públicas.
Contam os historiadores que Ápio Cláudio, já avançado em idade, dissuadiu o Senado Romano por meio de um inflamado discurso, de dar consideração e guarida a um eloqüente pedido feito por Pirro, através de seu enviado especial, Cineas, para fazer a paz.
Sempre esteve fortemente interessado em questões de gramática da língua latina; é considerado como o responsável pela distinção entre o R e o S, em termos de fonética, na escrita latina, e também pela eliminação da letra Z, considerada dispensável.

Dele Cícero escreveu: “’’Apio Cláudio, velho e cego, responsabilizava-se por seus quatro filhos robustos e cinco filhas, além de uma grande mansão e toda a sua clientela. Mantinha um espírito tão tenso quanto um arco e não se deixava subjugar pela velhice para se transformar num homem sem energia. Mantinha também autoridade e poder sobre os seus: os escravos temiam-no, seus filhos o veneravam e queriam bem; em seu lar reinavam os costumes dos ancestrais e a disciplina”(“Cato Major, seu De Senectute Dialogus”, de Cícero

Fonte: Faster
 

Online migel

Re:Gente Famosa com Deficiência
« Responder #8 em: 28/03/2010, 22:44 »
CAIO JÚLIO CÉSAR
Imperador Romano


Caio Júlio César, o maior dos imperadores romanos, não era um tipo atlético, alto e sem maiores problemas, como a maioria de nós imagina, ao analisar seus feitos. Além de magro e de estatura média, sempre esteve sujeito a fortes dores de cabeça e, na opinião quase unânime da maioria dos historiadores, sofria do famoso “mal divino”, ou seja, de epilepsia.
Plutarco, faz algumas afirmações a respeito de suas atitudes face ao mal que o atingia, dizendo que ”ele não se serviu da fraqueza de seu corpo, como de um pretexto para delicadezas e comodismo em sua vida, mas ao contrário, tomou as agruras da guerra como um remédio para fortalecer sua pessoa, combatendo a doença, caminhando muito, vivendo sobriamente, dormindo ordinariamente ao relento, pois, a maior parte das noites, dormia num carro ou dentro de uma liteira, empregando sempre o descanso para fazer alguma coisa” (“Caius Julius Caesar”, de Plutarco).
Diversos autores atuais, no entanto, ao ponderar que César, segundo os historiadores, teve sua primeira convulsão aos 52 anos de idade, e a segunda apenas três anos após, ponderam diferentemente da quase totalidade dos estudiosos da História Romana, que considera o grande imperador romano como o mais famoso epilético da História. Essas autoridades dos dias atuais socorrem-se para isso da informação originária do historiador Suetônio de que nos últimos anos de sua vida César teve dores de cabeça e desmaios. Levam em conta o fato de que ele não teve nenhum parente próximo com indicações de males convulsivos. Concluem que Caio Júlio César foi vítima de um tumor cerebral benigno e não de epilepsia.

Fonte: Faster
 

Online migel

Re:Gente Famosa com Deficiência
« Responder #9 em: 28/03/2010, 23:13 »
CHRISTOPHER REEVE



Ex-Ator de Cinema

Nascido em Princeton, New Jersey, Christopher Reeve ali cresceu na convivência com sua mãe e padrasto. No ano de 1977 foi escolhido entre 200 candidatos para interpretar o Super-homem. Com esse papel em diversos filmes, ganhou o prêmio de melhor ator da Academia Britânica. Trabalhou em muitos outros filmes, nos papéis os mais variados. Amante da equitação, sofreu um sério acidente em maio de 1995, quando seu cavalo parou repentinamente antes de um obstáculo, lançando-o para a frente, onde caiu sobre a própria cabeça. Suas lesões deixaram-no totalmente paralisado, incapaz de usar seus membros e mesmo de respirar sem a ajuda de aparelhos especiais. Sua marcante reabilitação e volta a uma vida ativa tem sido o resultado de esforços múltiplos e de um irrestrito apoio familiar.
Christopher Reeve dedicou-se a divulgar questões relacionadas a lesões da espinha dorsal e a levantar fundos para pesquisas especiais a respeito, através de uma Fundação que leva seu nome e que foi organizada em 1996.
Lançou meses antes de seu falecimento o livro intitulado "Still Me" (Ainda eu). Trata-se de uma história forte, que retrata como uma pessoa consegue superar um acidente sério, que modifica completamente sua vida. Retrata muito bem como é possível encontrar novos rumos na vida.

Fonte: Faster
 

Online migel

Re:Gente Famosa com Deficiência
« Responder #10 em: 29/03/2010, 22:19 »
CLÁUDIO
Imperador Romano

Com a morte de Calígula, no ano 41 D.C. Tiberius Claudius Caesar Augustus Germanicus, reconhecido na História de Roma como Cláudio I, foi elevado ao trono por imposição da forte Guarda Pretoriana, talvez por ter sido muito mais manobrável do que qualquer outro pretendente ou herdeiro ligado a grupos que vinham de há muito se locupletando devido aos enormes desmandos na corte imperial.
Cláudio fez-se passar por tolo e inconseqüente enquanto Calígula reinava. No entanto, assim que assumiu o poder surpreendeu a todos com as muitas demonstrações que deu de inteligência, sagacidade e preparo administrativo e cultural.
Todavia, fisicamente ele não correspondia à imagem que o povo romano poderia fazer de seu imperador, uma vez que era um tipo muito estranho. Apesar de alto e bem forte tinha os cabelos quase brancos aos 51 anos de idade. Uma paralisia infantil ou um mal similar, segundo o historiador Will Durant, além de algumas doenças (inclusive epilepsia) haviam-no quase deformado. Apresentava-se com andar claudicante sobre pernas compridas e finas; mantinha a cabeça oscilante sobre um pescoço longo e fino. Além disso, gaguejava e sofria muito com as dores causadas pela gota. Seus pais haviam-no considerado uma espécie de deficiente mental e sua mão chegou a ele se referir como um “monstro inacabado”.
Esse tipo inacreditável como imperador de Roma chegou a esclarecer no Senado que se fizera passar por tolo e inconseqüente durante todo o governo calamitoso de Calígula, apenas para salvar a própria pele.
Terminou seus dias num emaranhado de disputas e intrigas palacianas, envenenado por Agripina, sua própria esposa, por ter favorecido como seu herdeiro ao trono a Nero, em detrimento de seu filho Germânico.
Sêneca, o filósofo, foi seu contemporâneo e preceptor de Nero, o futuro imperador. Em sua obra Apolokyntosis, ironiza com Cláudio após sua morte, descrevendo um perfil bastante indicativo dos seus problemas físicos e, por via de dedução, do que se pensava também das pessoas com deficiência na Roma daqueles dias. E, ao fazer uma alegoria sobre seu destino após a morte, afirmou: “Anunciam a Júpiter a chegada de alguém, de estatura normal, com cabelos quase brancos: Não deve ter boas intenções, pois abana continuamente a cabeça e coxeia do pé direito”.

Fonte: Faster
 

Online migel

Re:Gente Famosa com Deficiência
« Responder #11 em: 30/03/2010, 12:12 »
DÍDIMO

Diretor da Escola de Alexandria


Dídimo, o muito famoso Diretor da Escola de Alexandria durante a segunda metade do Século IV D.C., perdeu a visão aos 5 anos de idade, quando começava a aprender a ler. O problema não diminuiu em nada sua vontade de saber. Parece que até chegou a inflamá-la. Gravou o alfabeto latino em madeira e depois aprendeu pelo tato as diversas letras, formou as sílabas, as palavras e aos poucos leu frases inteiras. Quando ainda moço tomava suas providências para ouvir atentamente professores célebres e conseguiu a ajuda de pessoas que se prontificavam a ler para ele, a fim de tomar conhecimento dos melhores livros. Quando seus colaboradores dormiam de cansaço, ele meditava sobre o que acabara de ouvir.
Aprendeu as regras da linguagem e da gramática, os mais belos trechos de poetas e de oradores, e adquiriu noções de retórica. Tornou-se um conhecedor profundo das letras sagradas e de assuntos humanos, das Sagradas Escrituras do Antigo e do Novo Testamento, que conseguia explicar, texto por texto. Dominava a dogmática da Igreja Cristã e sobre os dogmas discutia com precisão e propriedade. Conhecia a filosofia de Platão e de Aristóteles, a geometria, a música, a astronomia e as diferentes opiniões dos filósofos.
Quando se mudou para Alexandria, atraiu muito a atenção pela sua sabedoria e recebia muitas visitas de pessoas que queriam ouvi-lo. Tinha amigos importantes, como santo Atanásio, que acabou indicando seu nome para Diretor da Escola de Alexandria.
Recebeu um dia a visita do mais famoso dos eremitas daqueles dias, Santo Antão, que lhe perguntou se a cegueira o incomodava. Dídimo ficou envergonhado de dar a resposta, confessando sua fraqueza. Mas o santo eremita insistiu duas vezes mais. Dídimo por fim confessou que sim, a cegueira afligia-o, bloqueava-o sempre. Segundo seus biógrafos, Antão disse-lhe, nessa oportunidade: “Admiro-me muito que um homem sábio como você fique aflito por haver perdido aquilo que até as formigas e as moscas têm, em vez de alegrar-se por ter o que só os santos e os apóstolos tinham. É mais importante preocupar-se com a alma do que com esses olhos dos quais um só olhar poderá perder o homem eternamente”.
Dídimo foi Diretor da Escola de Alexandria do ano 345 a 395, ano anterior à sua morte. Dentre seus alunos mais famosos podem ser citados São Jerônimo, Rufino e Paládio. Escreveu diversos estudos e deles os mais famosos são “Sobre o Espírito Santo” e “Sobre a Trindade”.

Fonte: Faster
 

Online migel

Re:Gente Famosa com Deficiência
« Responder #12 em: 30/03/2010, 12:15 »
DORINA NOWILL
Líder no Campo da Cegueira



Dorina é seu nome. Pelo ano de 1936, com apenas 17 anos de idade, tomava chá com algumas colegas de escola, quando sentiu o impacto de uma "cortina de sangue" descendo pelos seus olhos. Determinada que era, não desistiu de estudar e, apesar das muitas dificuldades, acabou formando-se como professora primária.
Segundo suas próprias palavras, "nessa época os livros em Braille eram raríssimos, tanto que fui a primeira aluna cega a matricular-se em curso para estudantes de visão normal. Formei-me professora e através de uma bolsa de estudos especializei-me nos Estados Unidos".
Em 1946, cercada de amigos e pessoas interessadas, organizou a Fundação para o Livro do Cego no Brasil - hoje conhecida como Fundação Dorina Nowill para Cegos, com o objetivo principal de produzir e distribuir gratuitamente livros em Braille. Para tanto, recebeu também o apoio do governo e a ajuda financeira e técnica da American Foundation for the Overseas Blind.
Hoje a Fundação Dorina Nowill para Cegos dispõe de uma moderna imprensa Braille, que distribui livros para cerca de 800 escolas, para entidades de atendimento e para três mil cegos individuais. Livros em Braille são doados também a muitas bibliotecas municipais. Além desse trabalho de valor incalculável para o ensino das pessoas cegas, a Fundação mantém um projeto chamado Livro Falado, onde voluntários gravam livros em fitas cassete e em CDs.
Casada, mãe de cinco filhos, avó de 12 netos, Dorina Nowill tem vencido barreiras incontáveis. Ocupou importantes cargos em organizações internacionais de cegos. Foi inclusive Presidente do Conselho Mundial para o Bem-Estar dos Cegos, hoje União Mundial dos Cegos.
Um dia Dorina recebeu de Érico Veríssimo uma carta em que dizia: "Dorina, sua vida é um romance que eu gostaria de ter escrito. Criaturas como você - com seu espírito e sua coragem - constituem um enorme crédito para a raça humana".

Fonte: Faster
 

Online migel

Re:Gente Famosa com Deficiência
« Responder #13 em: 30/03/2010, 12:30 »
ENRICO DANDOLO
Doge de Veneza


Enrico nasceu em Veneza, no ano 1105 e faleceu exatamente 100 anos depois, na grande capital do mundo oriental daquele século: Constantinopla. Sempre muito hábil e corajoso em suas atividades comerciais e guerreiras, foi um ótimo político e um hábil negociador, excelente orador e dono de um soberbo nome de família romana das mais antigas tradições que o tornaram muito influente na República de Veneza. Foram essas condições básicas e as circunstâncias relacionadas a negócios de Estado que o levaram a Constantinopla, em missão oficial e na qualidade de enviado das autoridades da poderosa República Veneziana. O objetivo principal era resolver uma pendência muito séria no ano de 1171, quando Dandolo já estava com 66 anos de idade. Manoel Comnenus, imperador bizantino, havia aprisionado navios e tripulações de Veneza e recusava-se a devolvê-los, desafiando acintosamente os direitos reclamados e mesmo o cumprimento de tratados assinados entre o Império Bizantino e Veneza, que era muito importante naquela época.
Dandolo, na corte bizantina, foi muito incisivo e expressou com extrema clareza e em termos convincentes a indignação sentida pelos venezianos face às atitudes do imperador quanto aos navios e suas tripulações.
O que o velho embaixador certamente não havia imaginado era o tipo de reação do imperador bizantino que, enfurecido ao extremo e ofendido com os argumentos fortes de Dandolo, apelou para a tortura refinada e cruel, típica de sua corte: mandou amarrá-lo e colocar próxima a seus olhos vasos de metal incandescente, que acabaram por torná-lo cego.
De volta a Veneza com sua comitiva, foi reconhecido como fiel intérprete das opiniões do governo e do povo veneziano e, apesar de cego, foi eleito como “Doge” da República Veneziana após alguns anos do incidente na corte do Imperador Bizantino Manoel Comnenus.
Enrico Dandolo foi extremamente importante nos eventos que transformaram por completo a História de Constantinopla, da República de Veneza e do próprio mundo. Eles envolveram a Dinastia dos Angelus e levaram à implantação de algo totalmente novo na história tumultuada dp Império Bizantino: Os imperadores latinos. Levaram também à partilha do Grande Império entre os nobres cruzados e a República de Veneza.

Fonte: Faster
 

Online migel

Re:Gente Famosa com Deficiência
« Responder #14 em: 30/03/2010, 12:34 »
Felipe III
Rei da Macedônia


Felipe Arrideo era filho de Felipe II, rei da Macedônia (360 a 336 A.C.) e sua segunda esposa, Filina, da Tessália. Era mais ou menos da mesma idade que Alexandre, muito embora este fosse filho legítimo de Felipe II e sua primeira esposa, Olímpias. Essa condição tornava Alexandre o príncipe herdeiro.
Segundo historiadores diversos, havia evidentes problemas com Arrideo, sempre mantido isolado. Durante as muitas campanhas de Alexandre ele foi mantido na Macedônia, sob a supervisão severa de Antipater, comandante supremo das forças macedônicas na Europa. O motivo, claramente indicado pelos historiadores de então, era notório: “instabilidade mental e epilepsia”.
Mesmo assim, Arrideo estava na Babilônia no dia 11 de junho de 323, quando Alexandre morreu com apenas 32 anos de idade.
No dia seguinte os generais reuniram-se para discutir a situação. Normalmente Arrideo seria o novo rei, mas, além de não ser filho de Olímpias, a primeira esposa de Felipe II, não apresentava condições mentais para governar. Houve muita discussão, divergências e várias hipóteses foram levantadas, sempre ignorando Arrideo.
Num certo momento, segundo Quintus C. Rufus, um homem da mais baixa classe disse: “Qual é a necessidade de brigar e começar uma guerra civil quando vocês têm o rei que procuram? Vocês estão esquecendo o filho de Felipe, Arrideo, irmão do nosso falecido rei Alexandre, que recentemente acompanhou o rei em cerimônias religiosas e agora é o único herdeiro. Como é
que êle mereceu isso? Que atos seus justificam que êle seja despojado de seu direito universalmente reconhecido? Se vocês estão procurando alguém idêntico a Alexandre, vocês nunca encontrarão; se vocês querem um parente próximo, há apenas esse homem.” (em “História de Alexandre, o Grande, da Macedônia”, de Quintus C. Rufus).
Graças a essa observação muito oportuna, Arrideo acabou sendo conduzido para a reunião, onde foi recebido e saudado como rei, com o nome de Felipe III, em junho de 323 A.C.
Devido a seus problemas mentais, era o rei, mas quem realmente governava era o General Perdicas, homem da mais absoluta confiança e apoiado com unanimidade pelos generais de Alexandre.
Alguns anos depois, já casado com Eurídice, que pertencia a uma família nobre da Macedônia, Felipe III ficou sob a tutela de Antipater, que passou a ser o regente do grande império deixado por Alexandre.
Instigado pela esposa, Arrideo acabou confrontando-se abertamente com Olímpias, mãe de Alexandre, que o considerava simplesmente um filho bastardo de Felipe II. Poderosa como sempre havia sido, Olímpias mandou matar Felipe III em 25 de dezembro de 317, forçando Eurídice a se suicidar.

Fonte: Faster
 

 



Anuncie Connosco Anuncie Connosco Stannah Mobilidade S.A Anuncie Connosco Anuncie Connosco


  •   Política de Privacidade   •   Regras   •   Fale Connosco   •  
       
Voltar ao topo