mobilitec

ergometrica

Ortopedia Moderna

Lismedica

Mais que Cuidar
Stannah Mobilidade S.A

Autopedico

Invacare

Pros Avos

Ortopediareal
sembarreiras

Tecnomobile

TotalMobility

Multihortos

Drive Mobility

Autor Tópico: FNE insiste em recursos para escola inclusiva  (Lida 48 vezes)

0 Membros e 1 Visitante estão a ver este tópico.

Offline Pantufas

  • Moderador
  • ***
  • Mensagens: 3629
  • Tem deficiência: S/ ident.
FNE insiste em recursos para escola inclusiva
« em: 13/09/2017, 15:38 »
FNE insiste em recursos para escola inclusiva


A Federação Nacional da Educação (FNE) defendeu hoje mais recursos físicos e materiais para serem concretizados os princípios inscritos na lei destinados a uma verdadeira educação inclusiva, considerando muito teórica e pouco real a proposta do governo.

18:16 - 11/09/17 POR LUSA
PAÍS EDUCAÇÃO

     
Para discutir e apresentar propostas e com vista à revisão da legislação (decreto-lei 3/2008), a FNE promoveu hoje um encontro, em Lisboa. O documento levado a debate é ainda passível de alterações e novos contributos até ao final do mês, quando termina o prazo da consulta pública determinado pelo governo, disse à agência Lusa o secretário-geral da FNE, João Dias da Silva.

 
"Já temos em Portugal um percurso feito em relação à educação especial", afirmou o dirigente, frisando que os sindicatos concordam com os princípios estabelecidos no diploma em análise, mas que a falta de recursos compromete a concretização dos objetivos.

O novo diploma, segundo Dias da Silva, foca-se nas diferenças dos alunos de uma forma geral, o que pode deixar sem uma resposta específica os alunos com Necessidades Educativas Especiais, nos quais se foca mais a atual legislação.

"A insuficiência de recursos é uma preocupação", acrescentou.

A FNE considera que a nova proposta de diploma não valoriza o papel do professor de educação especial: "Reduz o papel do professor de educação especial e redistribui-o por todos os professores".

"Não só precisamos de ter menos alunos em cada turma, como precisamos que os professores tenham menos alunos", insistiu o dirigente sindical, questionando: "Como é possível ter professores a trabalhar com 250 alunos"?.

No âmbito da consulta pública sobre o regime legal da inclusão escolar, a FNE elaborou um parecer em que defende que o projeto governamental é "demasiado teórico, muito genérico e pouco real".

Para a FNE, o documento do governo apresenta uma linguagem "confusa e pouco esclarecedora", além de ser "muito vago em diversos aspetos".

Os sindicatos da FNE consideram que a tutela continua a pretender "uma inclusão sem meios, recursos físicos e humanos", criando cenários "hipoteticamente inclusivos apenas com documentos e monitorizações".

Diz ainda que em todo o documento é percetível "uma política economicista e um razoável desconhecimento das problemáticas e das necessidades dos alunos da educação especial".

Dias da Silva frisou, na sua intervenção, que o governo tinha dado um prazo até 31 de agosto para análise da sua proposta, mas decidiu prolongá-lo até ao final de setembro, depois de alertado pela FNE para a necessidade de o fazer.


Fonte: Notícias ao Minuto

 



Anuncie Connosco Anuncie Connosco Stannah Mobilidade S.A Anuncie Connosco Anuncie Connosco


  •   Política de Privacidade   •   Regras   •   Fale Connosco   •  
       
Voltar ao topo