iacess

ergometrica

Ortopedia Moderna

Anuncie Aqui

mobilitec
Stannah Mobilidade S.A

Autopedico

Invacare

Pros Avos

Anuncie Aqui
myservice

Tecnomobile

TotalMobility

Multihortos

Drive Mobility

Últimas Mensagens

Páginas: 1 [2] 3 4 ... 10
11
Tetracampeões nacionais visitaram pediatria do Hospital de Braga
APD Braga

Há 2 dias em 15/02/2020

Foto: Divulgação / Hospital de Braga
Os pequenos utentes do Internamento de Pediatria do Hospital de Braga receberam, esta tarde de sábado, a visita da equipa tetracampeã nacional de Basquetebol em Cadeira de Rodas da Associação Portuguesa de Deficientes – Braga (APD Braga).

“Partilhar experiências e desconstruir estereótipos relacionados com a deficiência” foram os objetivos de uma visita marcada pela “solidariedade e pela inspiração”.

Foram sete os elementos da equipa tetracampeã macional e detentora da Supertaça e da Taça de Portugal, que se deslocaram ao Hospital de Braga com o propósito de visitar os utentes de palmo e meio e partilhar as suas histórias de vida e de conquistas, demonstrando que “a deficiência pode ser sinónimo de superação de barreiras”.


APD Braga. Foto: Divulgação / Hospital de Braga

Manuel Vieira, presidente da APD Braga, a visita à unidade hospitalar “foi um sonho da equipa tornado realidade”. “Queremos sensibilizar os jovens aqui internados e mostrar-lhes que há vida para além da deficiência”, continuou.

Helena Martins, enfermeira-chefe do serviço de Pediatria, elogiou a iniciativa que “promove a solidariedade, promove a humanização e ajuda os utentes a conhecerem uma outra realidade e a terem mais força e alento na sua recuperação.”

Agradeceu a visita a mostrou disponibilidade em continuar a receber ações do género, que a”menizam o período de internamento dos pequenos utentes”.


Fonte: https://ominho.pt/tetracampeoes-nacionais-visitaram-pediatria-do-hospital-de-braga/
12
Boccia / Atletas de boccia disputam subida ao campeonato nacional em Évora
« Última mensagem por pantanal em 17/02/2020, 14:49 »

Atletas de boccia disputam subida ao campeonato nacional em Évora

SEXTA-FEIRA, 14 FEVEREIRO 2020ALENTEJO

A cidade de Évora recebe, pela primeira vez, a segunda fase do Campeonato Regional de Boccia do Centro, Sul e Ilhas.

A competição, que está marcada para este fim de semana, no pavilhão da Escola André de Resende, junta meia centena de atletas oriundos de 10 clubes.

A segunda fase do Campeonato Regional de Boccia do Centro, Sul e Ilhas para as classes BC1, BC2, BC4 e BC5 vai decidir o apuramento para o Campeonato Nacional da modalidade.

A competição é organizada pela Paralisia Cerebral Associação Nacional de Desporto (PCAND) em parceria com a Associação de Paralisia Cerebral de Évora e conta com o apoio da Câmara de Évora e a colaboração de dois alunos do curso de Desporto da Escola Secundária André de Gouveia.


Fonte: https://www.dianafm.com/atletas-de-boccia-disputam-subida-ao-campeonato-nacional-em-evora/
13

Esgrima em cadeira de rodas: Brasil é ouro na Copa do Mundo
Medalhista paralímpico Jovane Guissone é responsável pelo feito
   
Publicado em 14/02/2020 - 16:20 Por Agência Brasil - Rio de Janeiro
O brasileiro Jovane Guissone conquistou nesta sexta (14) a medalha de ouro na etapa de Eger (Hungria) da Copa do Mundo de esgrima em cadeira de rodas. Para alcançar este feito, o atleta gaúcho derrotou na final o francês Yannick Ifebe por 15 a 8.

Guissone, que conquistou um ouro nos Jogos Paralímpicos de 2012 (realizados em Londres), teve uma performance tão boa que superou, inclusive, o atual campeão paralímpico de espada B, o bielorrusso Andrei Pranevich, em disputa válida pelas quartas de final.

Edição: Fábio Lisboa


Fonte: http://agenciabrasil.ebc.com.br/esportes/noticia/2020-02/esgrima-em-cadeira-de-rodas-brasil-e-ouro-na-copa-do-mundo
14
Rodas que ensinam: uma lição de perseverança para toda vida
Por Jovem Pan 12/02/2020 18h17
   

Pedro Caciolatto

O esporte pode ser a porta de entrada para incontáveis mudanças na vida das pessoas. E é exatamente isso que Pedro Caciolatto, de 16 anos, atleta do basquete em cadeira de rodas, leva para seu futuro.


Pedro nasceu com mielomeningocele e já passou por inúmeras cirurgias. A última delas, impediu que  participasse da edição de 2018 da Liga Nescau. Mas ele marcou presença em 2019.

“O esporte é tudo. Ele fez cirurgia recentemente, tem um ano, e se recuperou bem. Saiu do centro cirúrgico e veio direto para a quadra”, contou Margareth, mãe de Pedro, que ainda revelou a ansiedade do rapaz para estar no Centro Paralímpico Brasileiro durante a Liga Nescau.

Esporte ensina e dá exemplo

O que o esporte ensina é capaz de ser levado para toda vida e preparar para os maiores desafios que vão surgir. E Pedro foi desafiado. Devido ao esporte e toda a desenvoltura e respeito que conseguiu entre os colegas, o jovem recebeu o convite da sua professora de educação física para, a partir deste ano ano, ministrar aulas. Os dois irão dividir o trabalho lado a lado, mostrando que a inclusão vai muito além do que acontece dentro da quadra.


“Ele foi chamado na escola para estimular as crianças a jogar basquete, ou outro tipo de esporte. Os meninos respeitam, param para ver ele jogar”, contou Margareth.

“O pessoal fala: ‘Nossa, você de cadeira jogando, e a tente não consegue nem arremessar a bola’. Tinham receio, até a professora. Depois, ela viu ele jogando e entendeu. Pode jogar, se ele cair, ele vai levantar. Do chão não passa, a gente sempre tem isso em mente. Todo mundo quer se reunir para jogar basquete com ele”, continuou a mãe orgulhosa.



Veja o que os aparelhos auditivos devem custar (Hearing Aids | Sponsored Listings)


O jovem conheceu o basquete em cadeira de rodas há 5 anos. Desde então, percebeu uma mudança significativa em sua vida.

“A principal diferença depois do esporte foi que eu comecei a me desenvolver mais socialmente. Comecei a andar no transporte público tranquilamente. Mas foi um pouco sofrido no início”, afirmou Pedro. “Depois do esporte eu comecei a não ligar tanto para o que ocorre a minha volta e focar sempre nos meus objetivos. Foi ótimo para foco”, continuou.


Dona Margareth tem a mesma percepção do filho. Segundo ela, o esporte fez com que o garoto se abrisse para o mundo e suas oportunidades.

“Ele era muito fechado. Para mim foi ótimo, e para ele também. Ele até sentiu essa diferença. Ele não chegava nas pessoas para conversar ou procurar alguma coisa. Hoje, ele faz esporte, quer vir, gosta de assistir basquete. Foi procurando cursos para fazer, está estudando. Foi se desenvolvendo pelo esporte”, revelou.

Fonte: https://jovempan.com.br/esportes/rodas-que-ensinam-uma-licao-de-perseveranca-para-toda-vida.html
15
Apresentações & Regras / Re: Bem vindo NELSON SEBASTIAO
« Última mensagem por pantanal em 17/02/2020, 14:36 »
Bem vindo.
Diverte-te  ;)
16
BE questiona câmaras de Braga sobre transportes públicos para pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida
13 Fevereiro, 2020
por FERNANDO GUALTIERI (CP 1200)


Os deputados eleitos por Braga do Bloco de Esquerda (BE) José Maria Cardoso e Alexandra Vieira questionaram as autoridades municipais de transportes dos 14 concelhos do distrito de Braga – câmaras municipais de Barcelos, Braga, Guimarães e Vila Nova de Famalicão, e comunidades inter-municipais do Ave, Cávado e Tâmega e Sousa – sobre as acessibilidades dos transportes públicos a pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida.

No documento entregue na Assembleia da República, os bloquistas referem que as leis e regulamentos existentes obrigam à não discriminação no acesso ao serviço de transportes públicos a pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida, no entanto denunciam que o número de veículos adaptados a pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida “é praticamente inexistente”.

“Esta situação limita a mobilidade destas pessoas, diminuiu a sua qualidade de vida e coloca em causa a sua liberdade e autonomia, tornando-as dependentes de terceiros ou do transporte individual para acesso aos cuidados de saúde ou a actividades culturais e recreativas”, afirmam os deputados.

“O Bloco de Esquerda entende que a mobilidade é um direito que deve ser garantido a todas as pessoas e, para concretizar esse direito, os veículos utilizados no transporte público rodoviário urbanos e inter-municipais devem garantir lugares para utilizadores de cadeiras de roda e plataformas elevatórias e rampas portáteis para facilitação do embarque, enquanto que os serviços de apoio ao cliente, deve ser assegurado reforço do número e formação do pessoal afecto ao serviço, bem como a disponibilização da informação em Braile e Língua Gestual Portuguesa”, acrescentam.

“Portanto, importa aferir se os recursos próprios existentes, nomeadamente, veículos e terminais, encontram-se devidamente adaptados e, quando existe procedimento de selecção de operadores privados, o respectivo caderno de encargos tem em consideração a necessidade de assegurar características que garantam a igualdade no acesso ao serviço público de transportes”, concluem.

Fonte: https://ovilaverdense.pt/be-questiona-camaras-de-braga-sobre-transportes-publicos-para-pessoas-com-deficiencia-ou-mobilidade-reduzida/
17
Não ... isto é apenas a constituição do grupo de trabalho para o Sistema de Atribuição de Produtos de Apoio, isto nada tem a ver com a lei aprovado em OE deste ano, esta só entra em vigor a quando da sua publicação.


18
Pode ser que agora os processos sejam mais rápidos porque é uma vergonha ter de esperar tanto tempo por um produto de apoio!
19
Então já posso fazer pedido? Entre em vigor as regras hoje certo?
20
Despacho n.º 2244/2020

 Publicação: Diário da República n.º 33/2020, Série II de 2020-02-17

 Emissor:Educação, Trabalho, Solidariedade e Segurança Social e Saúde - Gabinetes dos Secretários de Estado Adjunto e da Educação e Adjunto, do Trabalho e da Formação Profissional, da Secretária de Estado da Inclusão das Pessoas com Deficiência e do Secretário de Estado da Saúde
 Tipo de Diploma:Despacho


Constituição do grupo de trabalho para o Sistema de Atribuição de Produtos de Apoio

TEXTO
Despacho n.º 2244/2020

Sumário: Constituição do grupo de trabalho para o Sistema de Atribuição de Produtos de Apoio.

A Convenção sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência da ONU (CDPD) dispõe, no seu articulado, que cabe aos respetivos Estados Partes promover a disponibilização e uso das novas tecnologias, incluindo as tecnologias de informação e comunicação, meios auxiliares de mobilidade, dispositivos e tecnologias de apoio, adequados para pessoas com deficiência, dando prioridade às tecnologias de preço acessível.

A Lei n.º 38/2004, de 18 de agosto, que define o regime jurídico da Prevenção, Habilitação, Reabilitação e Participação das Pessoas com Deficiência, determina que «compete ao Estado adotar medidas específicas necessárias para assegurar o fornecimento, adaptação, manutenção ou renovação dos meios de compensação que forem adequados, com vista a uma maior autonomia e adequada integração».

Procurando dar cumprimento a estes normativos, foi criado, através do Decreto-Lei n.º 93/2009, de 16 de abril, o Sistema de Atribuição de Produtos de Apoio (SAPA), medida pública que pretendeu facilitar o acesso das pessoas com deficiência aos produtos de apoio e equipamentos necessários à prevenção, compensação ou neutralização das desvantagens resultantes da sua condição, e, acima de tudo, prosseguir na concretização do objetivo fundamental de reabilitar, integrar e promover a plena participação social e profissional destes cidadãos.

O SAPA é um sistema transversal, coordenado pelo Instituto Nacional para a Reabilitação, I. P. (INR, I. P.), enquanto entidade gestora. Integra quatro entidades financiadoras, a Direção-Geral da Educação (DGE), do Ministério da Educação, a Administração Central do Sistema de Saúde, I. P. (ACSS, I. P.), do Ministério da Saúde, o Instituto do Emprego e Formação Profissional, I. P. (IEFP, I. P.), e o Instituto da Segurança Social, I. P. (ISS, I. P.), do Ministério do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, integrando ainda um conjunto diversificado de entidades prescritoras.

Decorridos mais de 10 anos sobre a implementação da referida legislação, impõe-se proceder a uma avaliação da operacionalidade e eficácia dos mecanismos de aplicação do sistema, tendo em vista assegurar um contínuo reforço dos mecanismos de proteção aos cidadãos com deficiência. Neste sentido:

Considerando a necessidade de prosseguir com o processo de desburocratização do atual sistema e a simplificação dos seus circuitos;

Considerando as necessidades identificadas pelos cidadãos beneficiários do sistema e pelas entidades com responsabilidade pelo bom funcionamento do mesmo;

Considerando que a eficácia e eficiência do Sistema de Atribuição de Produtos de Apoio radica, em grande medida, na qualidade do processo de prescrição, acompanhamento e avaliação da atribuição de produtos de apoio:

Determina-se, de acordo com as competências delegadas no Decreto-Lei n.º 169-B/2019, de 3 de dezembro, que aprovou o regime da organização e funcionamento do XXII Governo Constitucional, o seguinte:

1 - Constituir um grupo de trabalho com o objetivo de:

a) Apresentar propostas de melhoria e simplificação dos circuitos e procedimentos de prescrição e de financiamento de produtos de apoio, no âmbito do Sistema de Atribuição de Produtos de Apoio (SAPA);

b) Avaliar o atual mecanismo legal de nomeação dos Centros Prescritores e a necessidade e impacto do alargamento da cobertura nacional da rede de Centros Prescritores de modo a responder com equidade às necessidades das pessoas com deficiência;

c) Avaliar o atual modelo de financiamento dos produtos de apoio designadamente o que diz respeito à celeridade na atribuição dos apoios;

d) Apresentar propostas conducentes à criação e funcionamento de bancos de produtos de apoio, promovendo a rentabilização de recursos e a existência de respostas mais rápidas, sem que isso provoque a perda de apoios devidos a cada requerente;

e) Elencar as propostas de alteração tidas por convenientes ao atual Decreto-Lei n.º 93/2009, de 16 de abril;

f) Definir, em articulação com as entidades de interligação do sistema informático que operam com cada uma das diferentes entidades financiadoras, os requisitos para o desenvolvimento de uma plataforma informática que confira celeridade e eficiência a todo o processo de prescrição e financiamento de produtos de apoio;

g) Apresentar propostas de melhoria da comunicação com os cidadãos beneficiários do sistema, tornando-o mais transparente e compreensível para os seus efetivos destinatários;

h) Elaborar um manual/guia de orientações, que se pretende venha a constituir um instrumento de trabalho orientador à intervenção técnica das equipas multidisciplinares dos centros prescritores e aos técnicos das entidades financiadoras;

i) Definir um plano de formação para as diferentes entidades envolvidas no sistema, designadamente centros prescritores especializados e entidades financiadoras;

2 - O grupo de trabalho é constituído por:

a) Um representante do Gabinete da Secretária de Estado da Inclusão das Pessoas com Deficiência, que coordena;

b) Um representante do Gabinete do Secretário de Estado Adjunto e da Educação;

c) Um representante do Gabinete do Secretário de Estado Adjunto, do Trabalho e da Formação Profissional;

d) Um representante do Gabinete do Secretário de Estado da Saúde;

e) Um representante da Direção-Geral da Educação;

f) Um representante da Direção-Geral da Segurança Social;

g) Um representante do Instituto do Emprego e da Formação Profissional, I. P.;

h) Um representante do Instituto de Informática, I. P.;

i) Um representante do Instituto da Segurança Social, I. P.;

j) Um representante do Instituto Nacional para a Reabilitação, I. P.;

k) Um representante da Administração Central do Sistema de Saúde, I. P.;

l) Um representante da Direção-Geral da Saúde;

m) Um representante dos Serviços Partilhados do Ministério da Saúde, E. P. E.;

n) Sempre que se mostre conveniente, podem ser convidados a integrar o grupo de trabalho representantes de outras entidades públicas ou privadas ou personalidades de reconhecido mérito nas matérias envolvidas que se considerem úteis para a prossecução da sua tarefa.

3 - Determina-se ainda que:

a) Na prossecução da sua atividade, e dada a extensão e complexidade do seu objeto, o grupo de trabalho pode constituir subgrupos temáticos que potenciem o bom desenvolvimento dos objetivos estabelecidos;

b) O grupo de trabalho desenvolve os seus trabalhos de acordo com o seguinte calendário:

i) No prazo de 90 dias após a sua constituição, apresenta um relatório que responda às tarefas elencadas nas alíneas a) a d) do n.º 1 do presente despacho;

ii) No prazo de 180 dias após a sua constituição, apresenta um relatório que responda às tarefas elencadas nas restantes alíneas do n.º 1 do presente despacho.

4 - A atividade dos representantes que integram o grupo de trabalho, bem como das entidades convidadas a participar nos trabalhos, nos termos da alínea n) do n.º 2, não é remunerada.

5 - Os representantes das entidades referidas no n.º 2 são designados no prazo máximo de 10 dias após a data de entrada em vigor do presente despacho.

6 - O apoio administrativo e logístico necessário ao desenvolvimento dos trabalhos do grupo de trabalho é assegurado pela Secretaria-Geral do Ministério do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social.

7 - O presente despacho produz efeitos a partir da data da sua publicação.

5 de fevereiro de 2020. - O Secretário de Estado Adjunto e da Educação, João Miguel Marques da Costa. - 6 de fevereiro de 2020. - O Secretário de Estado Adjunto, do Trabalho e da Formação Profissional, Miguel Filipe Pardal Cabrita. - 5 de fevereiro de 2020. - A Secretária de Estado da Inclusão das Pessoas com Deficiência, Ana Sofia Pedroso Lopes Antunes. - 6 de fevereiro de 2020. - O Secretário de Estado da Saúde, António Lacerda Sales.
Páginas: 1 [2] 3 4 ... 10


Anuncie Connosco Anuncie Connosco Stannah Mobilidade S.A Anuncie Connosco Anuncie Connosco


  •   Política de Privacidade   •   Regras   •   Fale Connosco   •  
       
Voltar ao topo