iacess

ergometrica

Ortopedia Moderna

Anuncie Aqui

mobilitec
Stannah Mobilidade S.A

Autopedico

Invacare

Anuncie Aqui

Anuncie Aqui
myservice

Tecnomobile

TotalMobility

Multihortos

Drive Mobility

Autor Tópico: Mação | Autarquia investe um milhão em resposta social para pessoas portadoras de deficiência  (Lida 176 vezes)

0 Membros e 2 Visitantes estão a ver este tópico.

Offline 100nick

Mação | Autarquia investe um milhão em resposta social para pessoas portadoras de deficiência

Por Paula Mourato -19 de Julho, 2020



Visita à obra do CAO e lar residencial em Mação, que contou com a presença do diretor da Segurança Social de Santarém, Renato Bento. Créditos: mediotejo.net
Estão quase concluídas as obras de requalificação do antigo quartel dos bombeiros de Mação, uma empreitada que vai permitir dotar a vila de novos projetos e ofertas na área social, nomeadamente de um Centro de Atividades Ocupacionais (CAO) para 30 utentes e um lar residencial para 20 pessoas portadoras de deficiência. O projeto, que terá um investimento global superior a um milhão de euros,  resulta de uma parceria entre a Câmara Municipal de Mação, o Centro de Recuperação e Integração de Abrantes (CRIA) e a Segurança Social, e vem dar uma resposta a uma área de grande carência a nível social na região. O diretor da Segurança Social de Santarém, Renato Bento, admite que não é suficiente para a procura mas garantiu, durante uma visita à obra, que o instituto público está disponível para avançar para outras parcerias semelhantes.



A intenção já tem três anos e resulta de um protocolo assinado a 1 de julho de 2017, numa parceria com o CRIA – Centro de Recuperação e Integração de Abrantes, para que o concelho ganhasse a valência de Centro de Atividades Ocupacionais (CAO), uma vez que cerca de duas dezenas de utentes são transportados diariamente de Mação para Alferrarede (Abrantes), a fim de poderem ser acompanhados pelo profissionais do CRIA, e ainda a valência de Lar Residencial.

A conclusão da obra está prevista para finais de setembro, “mais dois meses. Diria dentro do prazo, devido ao esforço do empreiteiro para conseguir terminar, fruto também da pandemia que vivemos”, considerou o presidente da Câmara Municipal de Mação. E na vila nascerá “um Centro de Atividades Ocupacionais e um Lar Residencial dando uma resposta social que o País e a região estão carentes”, notou Vasco Estrela.


Visita à obra do CAO e lar residencial em Mação, que contou com a presença do diretor da Segurança Social de Santarém, Renato Bento. Créditos: mediotejo.net
Durante uma visita às obras, quase na recta final da empreitada, Vasco Estrela lembra que o Município recuperou “um edifício emblemático do concelho dos anos 1950/60, o antigo quartel dos bombeiros de Mação”, situado na Rua Padre António Pereira de Figueiredo e na Rua Tenente Coronel Francisco Pedro Curado, “dando vida ao centro da vila, integrando-o na sociedade”. Relembrou também que em 2017 ele próprio e o presidente do CRIA, Nelson de Carvalho, apresentaram o projeto ao então ministro da Segurança Social, Vieira da Silva.

“Na altura achou muito interessante a ideia, e fizemos o nosso caminho”, lembrou, salientando “o extraordinário trabalho do arquiteto [Lourenço Gomes], do empreiteiro, dos trabalhadores e também o carinho e atenção da Segurança Social na pessoa do dr. Renato Bento que cada vez que falávamos neste projeto se interessava. E o CRIA, que nos estimulou a levar por diante este projeto”, concluiu Vasco Estrela tendo feito notar que a Câmara está quase a cumprir o seu papel, ou seja, reabilitar o espaço e entregar as chaves do edifício ao CRIA, que é a instituição que vai gerir o novo espaço social.

A gestão do equipamento – em termos técnicos e na atividade propriamente dita – compete ao CRIA e à Segurança Social compete a tutela, ou seja, a supervisão e fiscalização. A Segurança Social estabelecerá um acordo de cooperação para definir o funcionamento, da responsabilidade do CRIA.


Visita à obra do CAO e lar residencial em Mação, que contou com a presença do diretor da Segurança Social de Santarém, Renato Bento. Créditos: mediotejo.net
Em termos de investimento, a autarquia investiu cerca de 300 mil euros na aquisição do edifício à Associação Humanitária dos Bombeiros de Mação, representando a obra de reabilitação em curso um investimento de 800 mil euros (comparticipado a 50% por fundos comunitários no âmbito do PARU), a que se juntará mais um investimento necessário ao recheio e equipamento daquele espaço, perspetivando o autarca um esforço financeiro global por parte do município na ordem de um milhão de euros.

Por seu lado, o presidente do CRIA, Nelson de Carvalho falou “num lar com capacidade para 20 utentes e o Centro de Atividades Ocupacionais para 30 utentes. Isso permite que os utentes do lar, durante o dia, frequentem atividades ocupacionais de acordo com os normativos e orientações da Segurança Social. Os utentes do lar ocuparão 20 vagas e haverá mais 10 para CAO. Há muita gente interessada em preenche-las”, notou.

Classificando a parceria de “excelente”, Nelson de Carvalho explica que a mesma “procura dar respostas a famílias e à comunidade no território de intervenção do CRIA, criando novas oportunidades. Sabemos que as unidades de Lar Residencial para pessoas portadores de deficiência é uma resposta restrita, há muita carência. Há listas de espera significativas, procura muito grande de todo o País”, afirmou.


mediotejo.net
Sublinha que o CRIA “tem de estar aberto para todos os candidatos”, no entanto, “havendo utentes de Mação não faz sentido deslocá-los para outro lado ou andarem todos os dias a percorrer mais de 20 quilómetros até Abrantes”. Os lugares em Abrantes de utentes transferidos para Mação “ficam abertos para responder a outros utentes e outras solicitações”.

O presidente do CRIA considerou que o edifício foi “[re]construído com imensa racionalidade, em baixo tudo o que é serviço comum, a meio o CAO e em cima o lar. É um excelente projeto, centralizado e num edifício que é património recuperado, uma unidade com muito valor quer em termos de emprego quer em termos económicos”.

Da parte da Segurança Social, o diretor de Santarém, Renato Bento, manifestou-se “muito agradado” com a obra. “Um espaço recuperado no centro da vila e também do ponto de vista urbanístico vem enriquecer Mação. Um projeto muito interessante que pode ser um excelente exemplo para outros territórios”.


Visita à obra do CAO e lar residencial em Mação, que contou com a presença do diretor da Segurança Social de Santarém, Renato Bento. Créditos: mediotejo.net
Salientou ser este tipo de projetos em parceria que “interessam muito” à Segurança Social. “Um projeto muito estruturante para o nosso território, quer para Mação quer para o distrito”.

Renato Bento garantiu que “assim que estiver concluído e puder iniciar a sua atividade” será licenciado e apoiado pela instituição CRIA através de um acordo de cooperação que “nos termos do programa que temos em vigor, prioriza muito a área da deficiência, onde concedemos mensalmente um apoio financeiro ao CRIA. Um valor muito significativo para funcionar regularmente prestando o cuidado aos utentes de Lar Residencial e de CAO”, disse, enaltecendo “a parceria, o trabalho de equipa e em rede”.

No entanto, admitiu serem necessários “mais projetos desta natureza. Temos algumas instituições na área da deficiência no distrito mas a procura destas respostas faz-se sentir permanentemente. Há necessidade de as reforçarmos e é o que vamos fazendo”, notou, considerando o número de utentes que este equipamento irá receber “muito significativo”.


Visita à obra do CAO e lar residencial em Mação, que contou com a presença do diretor da Segurança Social de Santarém, Renato Bento. Créditos: mediotejo.net
O facto do projeto ser gerador de postos de trabalho, algo que ajudará à fixação de pessoas e será uma resposta social da qual o concelho está carente, para além de ajudar a reabilitar a e reavivar o centro histórico, foram algumas das mais valias do investimento destacadas por Vasco Estrela ao longo deste processo. A gestão do equipamento, no que diz respeito ao número de postos de trabalho, é uma responsabilidade do CRIA, em articulação com a Segurança Social.

Essa definição decorrerá do “acordo de cooperação” firmado entre o CRIA e a Segurança Social, explica Nelson de Carvalho. “Esses acordos definem os recursos humanos que são afetos a cada uma das respostas de acordo com uma tipologia que está estabelecida nacionalmente. O CRIA poderá fazer alguns ajustes do pessoal que tem em Abrantes, mas terá de cumprir o que estará nesse acordo” que ainda não está celebrado, embora os rácios de trabalhadores, incluindo técnicos, para cada uma das unidades sejam do conhecimento da instituição. “Obviamente cumpriremos o que vier a ser acordado”, afirmou.

O Centro de Atividades Ocupacionais e o Lar Residencial vão aproveitar o apoio da Misericórdia de Mação, nomeadamente no que concerne ao fornecimento de refeições e ao serviço de lavandaria.


Visita à obra do CAO e lar residencial em Mação, que contou com a presença do diretor da Segurança Social de Santarém, Renato Bento. Créditos: mediotejo.net


Não obstante esta sinergia entre estas duas entidades, este equipamento ficará, no entanto, apetrechado com todos os recursos, para que autonomamente satisfaça as suas necessidades quotidianas. Estas duas valências, CAO e Lar, constituem no mesmo equipamento sendo duas unidades distintas, funcional e espacialmente.

Relativamente à estrutura, com função que se destina ao serviço de apoio a deficientes, conta com uma área de Implantação do edifício de 571,05m2 e uma área total de construção de 1.504,10 m2.

O equipamento social é composto por três pisos, cave – Piso 0, r/chão – Piso 1 e 1º andar – Piso 2, articulando-se em 4 funções principais: administração/técnica, serviços logísticos, centro de atividades ocupacionais e bem-estar/lazer e alojamento.

O nível do piso 0 – Cave será o de acesso secundário para funcionários, serviço ambulatório, cargas e descargas, cozinha, lavandaria, refeitório, instalações sanitárias, economato de apoio, tal como despensa, arrumos, armazém, estendal, entre outros. Já no piso térreo, no piso 1 – R/Chão, encontra-se o Centro de Atividades Ocupacionais, onde se insere a entrada principal, gabinetes técnicos de apoio, receção, secretaria, sala de reuniões, salas de atividades, sala de convivo e instalações sanitárias de apoio, bem como espaços de arrumos e vigilância. No último piso, piso 2 – 1º andar, encontra-se instalado o Lar Residencial. Neste piso encontram-se os quartos, instalações sanitárias e a vigilância.

Fonte: https://www.mediotejo.net/macao-autarquia-investe-um-milhao-em-resposta-social-para-pessoas-portadoras-de-deficiencia/
 

 



Anuncie Connosco Anuncie Connosco Stannah Mobilidade S.A Anuncie Connosco Anuncie Connosco


  •   Política de Privacidade   •   Regras   •   Fale Connosco   •  
       
Voltar ao topo