iacess

ergometrica

Ortopedia Moderna

Lismedica

mobilitec
Stannah Mobilidade S.A

Autopedico

Invacare

Pros Avos

Ortopediareal
myservice

Tecnomobile

TotalMobility

Multihortos

Drive Mobility

Autor Tópico: Tudo em relação a "Vida Independente"  (Lida 13375 vezes)

0 Membros e 2 Visitantes estão a ver este tópico.

Online migel

Assistência Pessoal
« Responder #75 em: 14/01/2019, 15:41 »
Assistência Pessoal


Um(a) assistente pessoal pode realizar qualquer tarefa, dependendo da situação em que se encontra a pessoa a quem presta o serviço de apoio. De um modo geral, falamos de atividades a nível PESSOAL, relativas ao LAR, de ACOMPANHAMENTO, de CONDUÇÃO, de INTERPRETAÇÃO, de COORDENAÇÃO e outras consideradas excepcionais porque resultam de situações imprevistas, que se devem a uma crise da pessoa assistida e que pode ser de carácter físico ou psíquico.

As tarefas decorrerão, fundamentalmente, das incapacidades da pessoa para quem trabalha, e serão sempre previamente acordadas por ambas as partes.

O que é a Assistência Pessoal resumida num 1 minuto



Mais informações sobre Assistência Pessoal, AQUI:  http://vidaindependente.org/?fbclid=IwAR2NXwt9fcc6cXKy5OSByzvhC3Oj44kBAeBAtJGnTLoSPJwt0-n73TaLQ-M

Fonte: Minuto Acessível
 
Os seguintes membros Gostam desta publicação: Nandito

Online migel

Um mês após o protesto

https://tetraplegicos.blogspot.com/2018/12/obrigado.html

Um mês depois da ação de protesto, questionei o Governo sobre a situação do Modelo de Apoio à Vida Independente.

QUESTÕES:
Secretária de Estado da Inclusão das Pessoas com Deficiência e
Instituto Nacional para a Reabilitação

Às 15h39, do dia 6 de dezembro de 2018, 4 dias após término da ação de protesto que realizei, em comunicado informam que vão proceder à alteração ao Decreto-Lei 129/2017, que cria o Modelo de Apoio à Vida Independente, e adiantam:

“Do total de 30 candidaturas a Centros de Apoio à Vida Independente (CAVI) já avaliadas positivamente, 21 contratos estão em condições de serem assinados nos próximos dias. A Secretaria de Estado da Inclusão das Pessoas com Deficiência dará continuidade a este processo com a maior brevidade possível. A assinatura dos contratos garantirá assim que o MAVI chegue efetivamente aos seus beneficiários muito brevemente.”

Pelo que sei, um mês após o comunicado tudo continua igual, ou estou enganado? Podem-me informar se existiram avanços, e se sim, quais?
Designadamente:
Se já foram aprovados e comunicado aos respetivos CAVIS da região de Lisboa e Alentejo os financiamentos?;
Qual o número de candidaturas aprovadas e quantos contratos foram assinados com os CAVIS?;
Qual o número de CAVIS aprovados e recebidos pelo INR para fins de esclarecimento sobre alteração ao Decreto Lei 129/2017?;
Se já foi aprovado em Conselho de Ministros a alteração Decreto Lei e por último:
Para quando o início do MAVI?

RESPOSTA:

Exmo. Senhor Eduardo Jorge,

Em resposta à sua comunicação do passado dia 7 cumpre-nos informar o seguinte:

No POISE ( Norte, Centro e Alentejo) já todas as 30 entidades responsáveis pelas candidaturas foram notificadas da decisão. Algumas assinaram já o termo de aceitação, pelo que o início das atividades propriamente ditas está agora no domínio da sua decisão interna. No POR Algarve as entidades foram já notificadas da decisão e no POR Lisboa os pareceres de decisão estão ser ultimados. Assim, durante o primeiro trimestre de 2019 todos os CAVI financiados deverão estar em condições de iniciar as suas atividades.

Relativamente à alteração ao DL 129/2017, que prevê um período transitório entre soluções residenciais e assistência pessoal, encontra-se o mesmo a seguir os tramites inerentes ao procedimento legislativo, prevendo-se a sua publicação logo que tal procedimento esteja concluído

Eduardo Jorge
- Nós Tetraplégicos
 

Online Nandito

Re: Tudo em relação a "Vida Independente"
« Responder #77 em: 24/01/2019, 22:59 »
Governo aprova regime de adaptação à vida independente para pessoas com deficiência

O Governo aprovou hoje um regime de adaptação à vida independente para pessoas com deficiência, que prevê uma transição de seis meses entre o apoio que recebem institucionalmente e o da assistência social.



O regime de adaptação enquadra-se numa alteração ao decreto-lei, de outubro de 2017, que institui o modelo de apoio à vida independente de pessoas com deficiência ou com incapacidades.

Em comunicado, o Conselho de Ministros refere que "importa estabelecer um regime de adaptação em que uma pessoa com deficiência beneficia de um período de transição de seis meses que lhe permita passar de um contexto de apoio residencial para a utilização de assistência social".

Este regime de adaptação é estabelecido num novo decreto-lei, hoje aprovado, "sem prejuízo da necessidade de reafirmar o princípio da não acumulação de apoios públicos prestados às pessoas com deficiência".

O modelo de apoio à vida independente foi criado por decisão do Governo, que entende que deve ser assegurado às pessoas com deficiência o direito de optarem por uma vida autónoma "através da disponibilização de assistência pessoal, em detrimento do apoio residencial".

O serviço de assistência social, gerido por Centros de Apoio à Vida Independente, visa apoiar as pessoas com deficiência ou com incapacidades na realização de atividades diárias, como higiene, alimentação, deslocações, frequência de ações de formação profissional, aulas na universidade e procura de emprego.

Este tipo de apoio é dado por um assistente social durante um determinado número de horas por semana, que, em regra, não excedem as 40.

O novo diploma, hoje aprovado pelo Governo, surge depois de, no final do ano passado, um homem tetraplégico ter pedido, num protesto em frente ao parlamento, urgência na entrada em vigor dos Centros de Apoio à Vida Independente, que têm a incumbência de prestar o serviço de assistência social.

Na altura, o homem foi o rosto das queixas das pessoas com deficiência que estão numa instituição social, como um lar, e alegam não ter apoio suficiente para optar por uma vida autónoma.

Fonte: 24.sapo.pt Link: https://24.sapo.pt/atualidade/artigos/governo-aprova-regime-de-adaptacao-a-vida-independente-para-pessoas-com-deficiencia
 
 
Os seguintes membros Gostam desta publicação: migel, Paulo

Online migel

Re: Tudo em relação a "Vida Independente"
« Responder #78 em: 26/01/2019, 18:48 »
Conselho de Ministros aprovou alteração ao decreto-lei que regulamenta o Modelo de Apoio à Vida Independente.



Vitória de Eduardo Jorge, o activista tetraplégico que ficou dois dias fechado numa gaiola em frente à Assembleia da República a pedir isto mesmo: a possibilidade de as pessoas com deficiência que já moram num lar residencial voltarem às suas casas com o apoio de um assistente pessoal. O Governo aprovou esta quinta-feira um período de transição de seis meses.

Bastou fazer uma pequena alteração ao decreto-lei que regulamenta o Modelo de Apoio à Vida Independente (MAVI), projecto-piloto que abre a possibilidade de quem tem deficiência dispor de um assistente pessoal para tarefas da vida diária, como comer, tomar banho, ir às compras.

A nota emitida pelo Presidência do Conselho de Ministro recorda que o “modelo assenta no pressuposto de que não deve existir acumulação de apoios públicos”. Isso não deve, porém, impedir quem já está internado de testar esta nova resposta. Criou então “um regime de adaptação em que a pessoa com deficiência beneficia de um período de transição de seis meses que lhe permita passar de um contexto de apoio residencial para a utilização de assistência pessoal.

A promessa foi feita na sequência do protesto feito por Eduardo Jorge, no princípio de Dezembro, pela secretária de Estado da Inclusão, Sofia Antunes. A mudança seria feita rapidamente.

Teve um acidente de carro em 1991. Uma lesão medular deixou-o numa cadeira de rodas. Luta há anos pelo direito a uma vida independente. Em 2013 fez greve de fome em frente à Assembleia da República e em 2014 deslocou-se de Abrantes a Lisboa de cadeira de rodas. Em 2015 passou a viver no lar de idoso onde trabalha como assistente social. Fonte: Público

EU: Sensação de alivio. Pouco a pouco começo a acreditar que é possível.

enviado por email
 
Os seguintes membros Gostam desta publicação: Paulo

Offline Paulo

Re: Tudo em relação a "Vida Independente"
« Responder #79 em: 30/01/2019, 18:43 »
Boas,

Parabéns Eduardo, muitas felicidades. A tua força é uma inspiração ! :palmas2:
 :cump:
Paulo
Amem-se uns sobre os outros !
 

Online pantanal

CPCB tem Centro de Apoio à vida Independente
« Responder #80 em: 20/02/2019, 14:53 »
CPCB tem Centro de Apoio à vida Independente
20 Fevereiro, 2019
 


O CPCB- Centro de Paralisia Cerebral de Beja está, desde o mês passado, a desenvolver o projecto “Centro de Apoio à Vida Independente”.

Esta nova valência surge no âmbito da candidatura aprovada aos Fundos Europeus Estruturais e de Investimento – Programas Operacionais do Portugal 2020.

Este projecto visa “disponibilizar assistência pessoal a indivíduos com deficiência e incapacidade para a realização de actividades da vida diária e de mediação em contextos diversos”, explica o CPCB.

Francisca Guerreiro, presidente do Centro de Paralisia Cerebral de Beja explicou à rádio Pax que o projecto vai ser desenvolvido “durante 36 meses” e vai abranger “24 destinatários”.

O Centro de Apoio à Vida Independente já dispõe de gabinete técnico composto por uma Directora Técnica/Terapeuta Ocupacional, uma Psicóloga e um Gestor.

O projecto está neste momento a receber inscrições. Os interessados devem comprovar a sua incapacidade com Atestado ou Cartão de Deficiente das Forças Armadas.

“Os destinatários deste projecto devem ter incapacidade igual ou superior a 60%, idade igual ou superior a 16 anos, bem como pessoas com deficiência intelectual, Doença Mental ou Perturbação do Espectro de Autismo independentemente do grau de incapacidade que possua, com idade superior a 16 anos”, esclarece o Centro de Paralisia Cerebral.


Fonte: https://www.radiopax.com/cpcb-tem-centro-de-apoio-a-vida-independente/
 

 



Anuncie Connosco Anuncie Connosco Stannah Mobilidade S.A Anuncie Connosco Anuncie Connosco


  •   Política de Privacidade   •   Regras   •   Fale Connosco   •  
       
Voltar ao topo