iacess

ergometrica

Ortopedia Moderna

Anuncie Aqui

mobilitec
Stannah Mobilidade S.A

Autopedico

Invacare

Anuncie Aqui

Anuncie Aqui
myservice

Tecnomobile

TotalMobility

Multihortos

Drive Mobility

Autor Tópico: Coronavírus: Os cuidados que as pessoas com deficiência devem tomar  (Lida 140 vezes)

0 Membros e 1 Visitante estão a ver este tópico.

Online Raposa

Coronavírus: Os cuidados que as pessoas com deficiência devem tomar
Publicado 24 março, 2020

No Brasil, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), quase 22% da população (45 milhões) têm algum tipo de deficiência. Izabel Maior, especialista em medicina física e reabilitação e ex-secretária nacional de Promoção dos Direitos da Pessoa com Deficiência, explica que as deficiência são classificadas como leve, moderada ou severa e que os riscos e os cuidados variam de acordo com o grau de dependência.


“Pessoas com deficiência mais severas, que dependem de outro para a sobrevivência, têm mais risco de contaminação. Não é só a pessoa com deficiência que tem que receber os cuidados, como lavar as mãos, o cuidador também tem que praticar estas ações”, explicou.


A médica destaca que, no Brasil, as cuidadoras em sua maioria são mães e irmãs das pessoas com deficiência. “Essas pessoas têm que lembrar que elas podem ser acometidos pela virose, por isso, é importante ter outra pessoa para assumir esse cuidado. Caso o cuidado seja familiar é importante haver um treinamento para que outra pessoa possa assumir”.

Ela afirma que mais de 60% das pessoas com deficiência estão acima dos 50 anos, se encaixando também, nesse grupo de risco. Segundo Maior, as políticas públicas devem ser mais eficientes, pois cerca de 70% das pessoas com algum tipo de deficiência estão em uma situação social de pobreza, com poucas condições de se manterem.

Maior alerta ainda que um dos pontos mais complicados para as pessoas com deficiência é a comunicação que vem sendo feita, muitas delas, excluído essa população.

Grupo vulnerável
Izabel Maior, alerta que muitas das deficiências no Brasil são causadas por alguma outra comorbidade, como a diabetes ou a hipertensão, que só por este fato já coloca essas pessoas em um grupo de ricos. Mas além destes fatores, as pessoas com deficiência enfrentam outras dificuldades.

Izabel Maior afirma que no início da pandemia, maior parte das informações eram passadas de maneira visual, seja por cartaz, seja por vídeos. Segundo a médica é muito importante os materiais de informações sejam diversos, para atender a diferentes públicos.

Segundo ela, considerar as diversas deficiências é também uma forma de controlar a transmissão do vírus. “As pessoas cegas, precisam de materiais com audiodescrição ou em braile; pessoas surdas, de materiais visuais, e pessoas com de deficiência intelectual, que não sabem expressar diretamente o que estão sentindo, precisam de uma comunicação cuidadosa e com uma linguagem simples”.

Alguns cuidados recomendados pela médica:
Seguir as recomendações de higiene e distanciamento social.

Os cuidadores podem ser acometidos pelo vírus, por isso, é importante ter outra já treinada para assumir o cuidado da pessoa com deficiência.

Os intérpretes da Língua Brasileira de Sinais (Libra) devem ter cuidado redobrado com a higiene das mãos por tocarem a face durante a comunicação.

Para pessoas que utilizam algum equipamento, é importante os limpar bem, como exemplo: cadeiras de roda, muletas, bengalas e andadores..

Cuidadores devem ser ainda mais atentos às pessoas que não consegue dizer o que estão sentindo. Verificar a temperatura é uma das formas de fazer isto.

Fonte: G1
 

 



Anuncie Connosco Anuncie Connosco Stannah Mobilidade S.A Anuncie Connosco Anuncie Connosco


  •   Política de Privacidade   •   Regras   •   Fale Connosco   •  
       
Voltar ao topo