iacess

ergometrica

Ortopedia Moderna

Anuncie Aqui

mobilitec
Stannah Mobilidade S.A

Autopedico

Invacare

Pros Avos

Anuncie Aqui
myservice

Tecnomobile

TotalMobility

Multihortos

Drive Mobility

Autor Tópico: Histórias em um minuto  (Lida 10241 vezes)

0 Membros e 15 Visitantes estão a ver este tópico.

Offline Aislin

Re: Histórias em um minuto
« Responder #15 em: 26/07/2011, 22:28 »
Um Braço Amigo


Aquela era uma noite como outra qualquer para aquele moço que voltava para casa pelo mesmo roteiro de sempre, há três anos.

Ele seguia tateando com sua bengala para identificar os acidentes do caminho, que eram seus pontos de referência, como todo deficiente visual.

Mas, naquela noite, uma mudança significativa havia acontecido no seu caminho: um pequeno arbusto, que lhe servia de ponto de referência e estava ali pela manhã, fora arrancado.

A rua estava deserta e ele não conseguia mais encontrar o rumo de casa. Andou por algum tempo, e percebeu que havia se afastado bastante da sua rota, pois verificou que estava numa ponte sobre o rio que separa a sua cidade da cidade vizinha.

Era preciso encontrar o caminho de volta. Mas como, sem o auxílio da visão? Começou a tatear com sua bengala, quando uma voz trêmula de mulher lhe indagou:
- O senhor está encontrando alguma dificuldade?

- Acho que me perdi, respondeu o rapaz.

- Foi o que pensei, comentou a mulher.

- Quer que o acompanhe a algum lugar?

O rapaz lhe deu o endereço e ela, oferecendo-lhe o braço, o conduziu até à porta de casa.

- Não sei como lhe agradecer, falou o moço.

- Eu é que lhe devo um sincero agradecimento, respondeu ela, já com voz firme.

- Não compreendo, retrucou o rapaz.

E a jovem senhora então explicou:
- Há uma semana meu marido me abandonou. Eu estava naquela ponte para me suicidar, pois geralmente àquela hora está deserta. Aí encontrei o senhor tateando sem rumo e mudei de idéia.

A mulher disse boa noite, agradeceu mais uma vez, e desapareceu na rua deserta.

***

Também, em nossas vidas, talvez tenhamos passado por experiências semelhantes à das personagens dessa história. Quantas vezes já não sentimos vontade de sumir, de pôr um fim ao sofrimento que nos visita e um braço amigo nos sustentou antes da queda.

Ou, quiçá, já tenhamos nos sentido perdido, sem rumo, sem esperança, e uma voz se fez ouvir e nos indicou uma saída.

Quem já não se sentiu numa situação assim, vivendo ora como o socorro que chega, ora como o socorrido? Tudo isso nos dá a certeza de que nunca estamos sós. Alguém invisível vela por nós e nos oferece um braço amigo nas horas de desespero. Ou, então, inspira-nos a oferecer nosso apoio a alguém que está à beira do abismo.

A esse alguém é que alguns chamam anjo da guarda e outros de espíritos protetores. Não importa o nome que lhes demos, importa é que seguem conosco vida afora, sem cansaço.
 

Offline Aislin

Re: Histórias em um minuto
« Responder #16 em: 26/07/2011, 22:29 »
Um Amigo


Um velho voltou-se para mim e perguntou:
- Quantos amigos você tem?

- Uns dez ou vinte por quê?

... Ele levantou-se com esforço e tristemente agitou a cabeça...
- Você é uma garota de sorte para ter tantos amigos _ disse ele.

Existe uma coisa que você não sabe, um amigo não é apenas alguém para quem você diz "olá"... Um amigo é um ombro tenro no qual se chora suavemente... Um poço para levantar seu espírito bem alto...

Um amigo é uma mão para te puxar para fora da escuridão e do desespero Quando todos os outros "supostos" amigos ajudaram a te colocar lá. Um amigo verdadeiro é um aliado que não pode ser movido ou comprado ... uma voz que deixa seu nome vivo quando outros o esquecem...

Agora me responda mais uma vez .. Quantos amigos você tem ????"

E então ele se levantou e me olhou esperando a resposta ... Suavemente respondi:
 

Offline Aislin

Re: Histórias em um minuto
« Responder #17 em: 27/07/2011, 13:14 »
Trabalho Volutário


Chovia. Mariana ficou com uma preguiça enorme de sair de casa!
- Acho que não vou visitar o asilo hoje... - comentou com sua mãe.

- Mas você combinou com seus amigos - lembrou-lhe a mãe. - É seu compromisso ir. Eles todos estarão lá, esperando!

- Eu sei, mãe... Mas está chovendo!

- E daí? Os velhinhos precisam de atenção, não importa se chove ou faz sol. Vá, minha filha, e verá que a preguiça vai embora!

Mariana sabia que isso era verdade. Adorava as visitas ao asilo. Ela também sabia que, às vezes, há dias em que a gente tem vontade de ficar em casa e assistir a um filme legal, ler um livro, andar de bicicleta... Mas lembrou-se de que, quando conversa com os vovôs, não vê o tempo passar... E sempre volta para casa mais feliz, com aquela sensação gostosa de quando a gente bate um papo com nossos melhores amigos!

Foi o que aconteceu! Quando Mariana pensou com amor em seus amigos "mais velhos" a preguiça foi embora. Mesmo com a chuva, foi ao asilo.

Percebeu como os velhinhos ficaram felizes em ter alguém para conversar! E, principalmente, o quanto ela era a maior beneficiada naquela tarefa.

E você, já pensou de que maneira poderá contribuir, para fazer alguém mais feliz?
 

Offline Aislin

Re: Histórias em um minuto
« Responder #18 em: 27/07/2011, 13:16 »
Além das Aparências


Antônio, um pai de família, um certo dia, quando voltava do trabalho dirigindo num trânsito bastante pesado, deparou-se com um senhor que dirigia apressadamente vinha cortando todo o mundo e, quando se aproximou do carro de Antonio, deu-lhe uma tremenda fechada, já que precisava atravessar para a outra pista.

Naquela hora, à vontade de Antônio foi de xingá-lo e impedir sua passagem, mas logo pensou:
- Coitado! Se ele está tão nervoso e apressado assim... Vai ver que está com um problema sério e precisando chegar logo ao seu destino.

Pensando assim, foi diminuindo a marcha e o deixou passar.

Chegando em casa, Antônio recebeu a notícia de que seu filho de três anos havia sofrido um grave acidente e fora levado ao hospital pela sua esposa.

Imediatamente seguiu para lá e, quando chegou, sua esposa veio ao seu encontro e o tranqüilizou dizendo:
- Graças a Deus está tudo bem, pois o médico chegou a tempo para socorrer nosso filho. Ele já está fora de perigo.

Antonio, aliviado, pediu que sua esposa o levasse até o médico para agradecer-lo. Qual não foi sua surpresa quando percebeu que o médico era aquele senhor apressado para o qual ele havia dado passagem!

Imagine que por trás de uma atitude, existe uma história, um motivo que leva a pessoa a agir de determinada forma. O melhor que temos a fazer é procurar ver Além das Aparências.

Pense nisso!
 

Offline Aislin

Re: Histórias em um minuto
« Responder #19 em: 27/07/2011, 13:17 »
Vidro e Espelho


Certa vez um jovem muito rico foi procurar um rabi para lhe pedir um conselho porque toda sua fortuna não era capaz de lhe proporcionar a felicidade tão sonhada. Falou da sua vida ao rabi e pediu a sua ajuda.

O sábio o conduziu até uma janela e pediu para que olhasse para fora com atenção e perguntou:
- O que você vê através do vidro, meu rapaz?

- Vejo homens que vêm e vão, e um cego pedindo esmolas na rua, respondeu o moço.

Então o homem lhe mostrou um grande espelho e novamente o interrogou:
- O que você vê neste espelho?

- Vejo a mim mesmo, disse o jovem prontamente.

E o sábio continuou com suas lições preciosas:
- E já não vê os outros, não é verdade? observe que a janela e o espelho são feitos da mesma matéria prima: o vidro. Mas no espelho há uma camada fina de prata colada ao vidro e, por essa razão, você não vê mais do que sua própria pessoa.

Fez uma pausa e continuou:
- Se você se comparar a essas duas espécies de vidro, poderá retirar uma grande lição. Quando a prata do egoísmo recobre a nossa visão, só temos olhos para nós mesmos e não temos chance de conquistar a felicidade efetiva. Mas quando olhamos através dos vidros limpos da compaixão, encontramos razão para viver e a felicidade se aproxima.

Por fim, o sábio lhe deu um simples conselho:
Se quiser ser verdadeiramente feliz, arranque o revestimento de prata que lhe cobre os olhos para poder enxergar e amar os outros. Eis a chave para a solução dos seus problemas.

Se você também não está feliz com as respostas que a vida tem lhe oferecido, talvez fosse interessante tentar de outra forma. Muitas vezes, ficamos olhando somente para a nossa própria imagem e nos esquecemos de que é preciso retirar a camada de prata que nos impede de ver a necessidade à nossa volta.

Quando saímos da concha de egoísmo, percebemos que há muitas pessoas em situação bem mais difícil que a nossa e que dariam tudo para estar em nosso lugar.

E quando estendemos a mão para socorrer o próximo, uma paz incomparável nos invade a alma. É como se Deus nos envolvesse em bênçãos de agradecimento pelo ato de compaixão para com seus filhos em dificuldades, afinal, quem acende a luz da caridade, é sempre o primeiro a beneficiar-se dela.

E a caridade tem muitas maneiras de se apresentar:
Pode ser um sorriso gentil...
Uma palavra que anima e consola...
Um abraço de ternura...
Um aperto de mão...
Um pedaço de pão...
Um minuto de atenção...
Um gesto de carinho...
Uma frase de esperança...


E quem de nós pode dizer que não necessita ou nunca necessitará dessas pequenas coisas não é verdade? portanto vamos aproveitar e doar um pouco do muito que temos: Amor, Alegria, Paz e e os nossos bons sentimentos.
 

Offline Aislin

Re: Histórias em um minuto
« Responder #20 em: 27/07/2011, 13:18 »
O Livro da Vida


Entre a consciência e o sonho, me deparei com uma grande sala. Ao me aproximar, percebi um guardião na porta que me disse.
- Ninguém pode entrar aqui. Aqui estão guardados os "Livros da Vida". Aquele que conseguir passar por esta porta poderá ter acesso ao seu livro e modificá-lo ao seu gosto.

Minha curiosidade era grande! Afinal, poderia escolher o meu destino. Com minha insistência o guardião resolveu ceder um pouco e me disse:
- Está bem. Dou-te cinco minutos, e nem mais um segundo.

Eu nem acreditava ! Cinco minutos era mais que suficiente para que eu pudesse decidir o resto da minha vida, afinal, poderia apagar e acrescentar o que eu quisesse no "Livro da minha vida".

Entrei e a primeira coisa que vi foi o Livro da vida do meu pior inimigo. Não aguentei de curiosidade. O que será que estava escrito no livro da vida dele? O que será que o destino reservava para aquela pessoa que eu não suportava?

Abri o livro e comecei a ler. Não me conformei:
- Verifiquei que sua vida lhe reservava muita coisa boa e não tive dúvidas. Apaguei as coisas boas e reescrevi o seu destino com uma porção de coisas ruins.

Logo vi outro livro. De outra pessoa que eu não gostava e fiz a mesma coisa... De repente me deparo com meu próprio livro!
Nem acreditei. Este era o momento... iria mudar meu destino... apagar todas as coisas ruins e iria reescrever só coisas boas. Seria a pessoa mais feliz do mundo!

Quando peguei o livro, eis que alguém bate no meu ombro:
- Seu tempo acabou! Pode sair.

Fiquei atônito!
- Mas eu não tive tempo nem de abrir o meu livro?

- Pois é, disse o guardião. Eu te dei cinco minutos preciosos e você poderia ter modificado o seu livro, mas, você só se preocupou com a vida dos outros e não teve tempo de ver a sua.

Abaixei minha cabeça, cobri minha face com as mãos... e saí da sala.

 

Offline Aislin

Re: Histórias em um minuto
« Responder #21 em: 27/07/2011, 23:22 »
Favor Oculto


Um dia desses, entrei numa lanchonete perto da esquina, pedi um café, e vi que o guarda estava olhando o carro estacionado com um pouco da sua frente em cima da faixa de pedestre. Tirou o bloco de multas e ia escrever quando eu saí e falei com ele:
- Bom dia seu guarda!...


Ele não respondeu, e eu argumentei que a roda do carro estava fora da faixa. Ele não me olhou, mas prestou mais atenção ao carro e observou os pneus, e nesse momento foi que também vi que eles não estavam bem em condições de uso.

Então eu disse:
- Desculpe seu guarda, mas hoje mesmo foi que percebi que esses pneus estão no momento de serem trocados...

Só então ele me olhou já abaixando o bloco de notas. Percebi que fraquejava na sua resolução de lavrar a multa. Nesse momento, uma velhinha estava parada perto da faixa, e percebemos (eu e ele) que ela estava com dificuldade de atravessar. Então me antecipei a ele, e ajudei a senhora. Quando voltei, o homem tinha guardado o bloco de notas. Então eu sorri pra ele e disse.
- Você é "gente boa", seu guarda!...

- Você merece!.. - ele respondeu saindo.

Fiquei encostado ao carro esperando que o guarda se afastasse, pra não descobrir que eu não era o dono dele. Quando o homem ia desaparecendo na esquina uma senhora ainda muito jovem vinha chegando com uma sacola numa das mãos e uma criancinha de colo na outra.

- Dá licença, moço - ela disse querendo entrar no carro.

Eu me afastei, e ela abriu a porta do lado da calçada, e colocou a sacola no banco. Então eu resolvi falar:
- Olha moça, estacione um pouco mais distante da esquina, senão pode levar uma multa qualquer hora dessas...

- Ah sim, obrigada... É que meu filho está doente, e tinha hora marcada com o médico, e não pude encontrar outro lugar melhor...

Eu sorri pra ela, e balancei a cabeça aprovando.

Entrou no carro e saiu. Então voltei pra lanchonete pra tomar meu café. Já estava frio, e tive que pedir outro. Paguei satisfeito os dois, porque tinha a minha alma leve... O importante da vida é ter a alma leve...

 

Offline Aislin

Re: Histórias em um minuto
« Responder #22 em: 27/07/2011, 23:24 »
O Desvio


Eu e meus irmãos mais novos vivíamos brigando uns com os outros, quando éramos crianças. Teimosos e obstinados, cada qual queria a coisa a seu modo

Um dia papai levou-nos à estação da estrada-de-ferro para assistir à chegada de um trem de passageiros. Mal chegamos, ouvimos o apito de um trem de carga que vinha na direção oposta.

- Estão vendo? disse-nos papai. Dois trens vêm chegando, em direções contrárias. Que é que vai acontecer?

Nem respondemos. Deixamo-nos ficar ali, mudos de espanto e de medo, à espera da colisão que julgávamos inevitável.

Mas, dali a pouco o trem de carga mudou de direção e entrou em um desvio. O trem de passageiros ganhou a estação sem nenhuma dificuldade.

- Vocês viram? O mesmo sucede às pessoas. Todos nós tentamos seguir em direções diversas, no mesmo leito da estrada, que é a vida. E se não usarmos os desvios, podemos esperar por um desastre na certa. Há muitos desvios à nossa disposição: chama-se paciência, amor fraterno, tolerância e bom-senso.

Fez uma pausa e continuou:
- Não só as crianças, mas os adultos também, e até as nações se entenderiam muito melhor se se lembrassem de usar os desvios.

Nunca mais nenhum de nós esqueceu a lição. E todas as vezes que nos vemos na iminência de um choque de opiniões, que geralmente redunda em desagradáveis consequências, lembramo-nos daquele desvio e sempre conseguimos, com bons resultados, resolver os problemas.
 

Offline Aislin

Re: Histórias em um minuto
« Responder #23 em: 27/07/2011, 23:26 »
O Carpinteiro Honesto


Um dia um carpinteiro buscava madeira cortando o galho de uma árvore ao lado de um rio e seu machado caiu dentro do rio. O infeliz carpinteiro suplica a Deus que lhe aparece e pergunta:
- Por que você está chorando?

O carpinteiro responde que seu machado havia caído no rio e Deus entra no rio do qual tira um machado de ouro e pergunta:
- É este seu machado?

O nobre carpinteiro responde:
- Não Deus, não é esse.

Deus entra novamente no rio e desta vez tira um machado de prata:
- E este é seu?

- Também não... responde o carpinteiro.

Deus volta ao rio e tira um machado de madeira e pergunta:
- É este teu machado?.

- Sim, responde o carpinteiro.

Deus estava contente com a sinceridade do carpinteiro e o mandou de volta pra casa dando-lhe os 3 machados de presente.

Ganhamos sempre quando somos honestos com nós mesmos e com os outros, quando usamos de "esperteza" ou desonestidade, podemos aqui e gora, mas, com certeza a lei de causa e feito irá nos cobrar um dia e acabamos perdendo muito mais do que quando pensamos ter ganhado.
 

Offline Aislin

Re: Histórias em um minuto
« Responder #24 em: 28/07/2011, 13:33 »
Alimentando o Amor


Uma amiga, balconista da seção de cosméticos de uma grande loja de departamentos me conta que um dia notou um rapaz a observar umas caixas de sabonetes expostas e ela se ofereceu para ajudá-lo.

Ele aceitou a ajuda dizendo que desejava comprar uns sabonetes finos para presentear a esposa. Por fim, ele escolheu uma caixa bem vistosa e pediu para que ela fizesse um embrulho bem bonito.

Uma semana depois, a balconista notou que o mesmo rapaz estava em outra seção da loja olhando artigos para senhoras. Curiosa, dirigiu-se a ele e lhe perguntou se a sua esposa havia gostado dos sabonetes que ele comprara outro dia.

- Bem, ela ainda não os achou.

Foi essa a resposta seguida de uma explicação e de um sorriso.

- Veja senhorita: Eu tenho um plano... Sempre escondo algo para que minha mulher encontre sem esperar... Creio que ela encontrará os sabonetes na próxima semana, quando for limpar a despensa... É uma surpresa para quebrar a monotonia do serviço caseiro... concluiu o jovem esposo.

Não há dúvidas de que são cuidados e atenções desse tipo que alimentam a chama da amizade e do afeto verdadeiro.

Não são necessários grandes feitos para cultivar a ternura, mas é preciso que sejam constantes e que o respeito seja parte integrante do relacionamento.

Um mimo inesperado, uma palavra de incentivo, uma flor singela, um bilhete, um beijo no espelho, um abraço, um gesto de carinho, dentre outras ações são ingredientes seguros para a manutenção de qualquer relação. E o que é melhor: Não têm contra-indicação.

Quando somos surpreendidos por um presentinho, uma flor, um bilhetinho, um gesto de carinho temos a nítida impressão de que estamos sempre sendo lembrados pela pessoa que nos preparou tais surpresas, inesperadamente esperadas.

Mas o aspecto mais importante da surpresa é que ela não será somente de quem for seu alvo. A surpresa será também de quem pretende surpreender, pois ele está atento, vigilante, pensando "direto", muito ansioso até a descoberta, imaginando, às vezes por dias, semanas, de como vai ser a reação da pessoa para quem ele preparou essa surpresa tão programada.

Ah! Como o surpreendedor espera por esse momento, pois a reação por ele esperada e obtida é como um troféu para o seu plano quando bem sucedido.

Não vamos falar de surpresas mal sucedidas, de gente que não sabe surpreender e que quando resolve surpreender alguém, faz sem planejamento, sem o menor cuidado.

Toda surpresa, para ser surpresa na melhor definição da palavra e do ato, tem que ser algo novo, algo desconhecido até para quem a idealiza e por isso, requer cuidados especiais, muito planejamento. Requer, às vezes, conhecer muito a pessoa que vamos, que pretendemos surpreender.

Surpreender positivamente significa cometermos atos jamais esperados por alguém.

Surpreender com atitudes boas é um ato de amor, de carinho, de amizade! E por falar em surpresas:
- Você já se surpreendeu hoje?

Seu marido, sua esposa, sua namorada, seu filho, seu vizinho, seu amigo, seu ou sua colega de trabalho, qualquer pessoa, alguém que você cativou ou te cativou um dia?

Lembremos-nos sempre:
"Somos responsáveis por quem cativamos."

Então... Mãos à obra! Surpreenda-se você também.

Paz profunda a todos.

 

Offline Aislin

Re: Histórias em um minuto
« Responder #25 em: 28/07/2011, 13:34 »
O Monge


Existia um monge que vivia da mendicância, sem abrigo. Um dia saiu para um passeio e recolheu-se numa gruta para o repouso noturno em bela paisagem banhada pelo luar.

Adormeceu, veio um bandido e lhe furtou a capa de que se utilizava como agasalho. O frio da madrugada despertou-o e, dando-se conta do infortúnio, porém, fascinado pela claridade da lua, aproximou-se da entrada da gruta e,emocionando-se com o que viu, exclamou: - Que bom que o ladrão não me roubou a lua!

E, sorrindo, pôs-se a meditar.

 

Offline Aislin

Re: Histórias em um minuto
« Responder #26 em: 28/07/2011, 13:36 »
Noite Chuvosa


Na chuva numa noite, estava uma senhora negra, americana do lado de uma alto estrada no estado do Alabama enfrentando um tremendo temporal.

O carro dela tinha enguiçado e ela precisava, desesperadamente, de uma carona. Completamente molhada, ela começou a acenar para os carros que passavam. Um jovem branco, parecendo que não tinha conhecimento dos acontecimentos e conflitos dos anos 60, parou para ajuda-la.

O rapaz a colocou em um lugar seguro, procurou ajuda mecânica e chamou um táxi para ela. Ela parecia estar realmente com muita pressa mas conseguiu anotar o endereço dele e agradecê-lo.

Sete dias se passaram quando bateram a porta da casa do rapaz.

Para a surpresa dele, uma enorme TV colorida com o console e tudo estava sendo entregue na casa dele com um bilhete junto que dizia:
"Muito obrigada por me ajudar na alto estrada naquela noite.

A chuva não só tinha encharcado minhas roupas como também meu espírito. Ai, você apareceu. Por sua causa eu consegui chegar ao leito de morte do meu marido antes que ele falecesse. Deus o abençoe por ter me ajudado. Sinceramente,
Mrs. Nat King Cole"

 

Offline Aislin

Re: Histórias em um minuto
« Responder #27 em: 28/07/2011, 23:27 »
Integridade


Há muito tempo atrás, havia um mestre que vivia junto com um grande número de discípulos em um templo arruinado.Os discípulos sobreviviam através de esmolas e doações conseguidas numa cidade próxima.

Logo, muitos deles começaram a reclamar sobre as péssimas condições em que viviam. Em resposta, o velho mestre disse um dia:
- Nós devemos reformar as paredes do templo. Desde que nós somente ocupamos o nosso tempo estudando e meditando, não há tempo para que possamos trabalhar e arrecadar o dinheiro que precisamos. Assim, eu pensei numa solução simples.

Todos os estudantes se reuniam diante do mestre, ansiosos em ouvir suas palavras. O mestre disse:
- Cada um de vocês devem ir para a cidade e roubar bens que poderão ser vendidos para a arrecadação de dinheiro. Desta forma, nós seremos capazes de fazer um boa reforma em nosso templo.

Os estudantes ficaram espantados por este tipo de sugestão vir do sábio mestre. Mas, desde que todos tinham o maior respeito por ele, não fizeram nenhum protesto.

O mestre disse logo a seguir, de modo bastante severo:
- No sentido de não manchar a nossa excelente reputação, por estarmos cometendo atos ilegais e imorais, solicito que cometam o roubo somente quando ninguém estiver olhando. Eu não quero que ninguém seja pego.

Quando o mestre se afastou, os estudantes discutiram o plano entre eles.
- É errado roubar, disse um deles, Por que nosso mestre nos solicitou para cometermos este ato ?

Outro respondeu em seguida:
- Isto permitirá que possamos reformar o nosso templo, na qual é uma boa causa.

Assim, todos concordaram que o mestre era sábio e justo e deveria ter uma razão para fazer tal tipo de requisição. Logo, partiram em direção a cidade, prometendo coletivamente que eles não seriam pegos, para não causarem a desgraça para o templo.
- Sejam cuidadosos e não deixe que ninguém os veja roubando, incentivavam uns aos outros.

Todos os estudantes, com exceção de um, foram para a cidade. O sábio mestre se aproximou dele e perguntou-lhe:
- Por que você ficou para trás?

O garoto respondeu:
- Eu não posso seguir as suas instruções para roubar onde ninguém esteja me vendo. Não importa aonde eu vá, eu sempre estarei olhando para mim mesmo. Meus próprios olhos irão me ver roubando

O sábio mestre abraçou o garoto com um sorriso de alegria e disse:
- Eu somente estava testando a integridade dos meus estudantes e você foi o único que passou no teste!

Após muitos anos, o garoto se tornou um grande mestre.

O errado sempre será errado, e mesmo que ninguém veja os olhos de nossa consciência estará nos vigiando.
 

Offline Aislin

Re: Histórias em um minuto
« Responder #28 em: 28/07/2011, 23:28 »
Mudança de Atitude


Certo dia desses uma senhora chegava em casa de uma das consultas médicas e disse aos familiares:
- Pedi franqueza ao meu médico, pedi que não me poupassem de saber a verdade sobre meu estado de saúde.Eu sinto que me resta pouco tempo.

Diante dos olhares ansiosos, ela continuou:
- Eles me revelaram que sou portadora de uma moléstia incurável e que tenho poucos dias de vida.

- E a senhora nos conta isso com essa naturalidade? perguntou uma das filhas, em prantos.

Continuou a senhora, com muita serenidade:
- Ora, eu tenho um bom tempo para fazer tudo que já devia ter feito há muito tempo atrás. Vou arrumar toda a minha casa, colocarei belas cortinas em todas as janelas, assim, elas me impedirão de ficar olhando a vida alheia. Todos os dias tirarei o pó da casa e durante esse trabalho pensarei: "Estou me livrando das sujeiras que guardei do passado"

E continuou:
- Vou deixar todos os meus armários organizados, guardarei o que realmente uso e o resto jogarei fora ou doarei a quem precisa. Evitarei assistir ou escutar más notícias. Vou alimentar o meu espírito com leituras saudáveis, conversas amigáveis, dispensarei fofocas e não criticarei mais ninguém. Pensarei naqueles que já me magoaram e, com sinceridade, os perdoarei.

Fez uma pausa e continuou:
- Todas as noites agradecerei a Deus por tudo que estarei conseguindo fazer nestes dias que me restam. Todas as manhãs, ao acordar, perguntarei a mim mesma:
"O que posso fazer para tornar o dia de hoje um dia melhor?"

Farei de tudo para transmitir felicidade àqueles que de mim se aproximarem. E a cada dia que passar farei pelo menos uma boa ação, portanto, quando eu fechar os olhos para nunca mais abri-los, eu terei feito inúmeras boas ações.

Todos que a ouviam, pouco a pouco se retiraram dali,indo cada um para um canto, chorar sozinho. A mulher ali ficou e nos seus olhos havia um brilho de alegria. Dizia ela a si mesma:
- Não posso curar meu corpo, mas posso mudar a vida que me resta.

A minha tarefa de casa é grande, porém vale a pena todo qualquer esforço. Vou conseguir realizar. Quero transformar meu mundo interior. Vou me tornar uma pessoa totalmente diferente do que fui até ontem.

O mais curioso e extraordinário dessa história foi o que aconteceu... Após a notícia dada aos familiares. Ela conseguiu cumprir plenamente todos os compromissos que tinha assumido consigo mesma.

Dos poucos dias de vida que restava a ela, viveu por mais longos e saborosos 23 anos. Ela curou a sua própria alma. A sua moléstia desapareceu. Ela morreu de velhice..

A história é verídica.
Será que em pleno século XXl não está na hora de você repensar seus conceitos. Quem sabe a partir de agora você começa a colocar metas em sua vida; metas desafiadoras mas, que sejam possíveis de atingir.

Tudo é muito simples, perceba que muitas vezes é você mesmo que complica as coisas.
 

Offline Aislin

Re: Histórias em um minuto
« Responder #29 em: 28/07/2011, 23:30 »
O Melhor Momento


Era 15 de junho, e em dois dias eu estaria completando trinta anos de idade. Eu estava inseguro sobre entrar em uma nova década de minha vida e temia que meus melhores anos estivessem agora atrás de mim.

Minha rotina diária incluía caminhar até o ginásio para um treinamento antes de ir trabalhar. Todas as manhãs via meu amigo, Nicholas, no ginásio. Ele tinha setenta e nove anos de idade e em forma maravilhosa. Pela forma como eu o cumprimentei neste dia, Nicholas notou que eu não estava com minha habitual vitalidade e perguntou se havia qualquer coisa errada.

Eu lhe disse que estava me sentindo ansioso sobre passar dos trinta. Eu quis saber como eu olharia para o passado quando alcançasse a idade de Nicholas, assim eu lhe perguntei:
- Qual foi o melhor momento de sua vida?

Sem hesitação, Nicholas respondeu:
- José, esta é minha filosófica resposta para a sua filosófica pergunta:

- Quando eu era criança, na Áustria e tinha os cuidados de meus pais, aquele era o melhor momento de minha vida.

- Quando ia para a escola e estava aprendendo as coisas que sei hoje, este era o melhor momento de minha vida.

- Quando arrumei meu primeiro emprego e tive responsabilidades e recompensa por meus esforços aquele era o melhor momento de minha vida.

- Quando conheci minha esposa e me apaixonei, este era o melhor momento de minha vida.

- A Segunda Guerra Mundial veio, e eu e minha esposa tivemos que deixar a Áustria para poupar nossas vidas. Quando estávamos juntos e seguros em um navio rumo a América, aquele era o melhor tempo de minha vida.

- Quando viemos para o Canadá e começamos uma família aquele era o melhor momento de minha vida.

- Quando eu era um jovem pai, enquanto assistia o crescimento de minhas crianças, aquele era o melhor momento de minha vida.

- E agora, José, eu tenho setenta e nove anos. Eu tenho minha saúde, me sinto bem e estou apaixonado por minha esposa da mesma maneira que eu era quando nós nos encontramos pela primeira vez. Este é o melhor momento de minha vida ".
 

 



Anuncie Connosco Anuncie Connosco Stannah Mobilidade S.A Anuncie Connosco Anuncie Connosco


  •   Política de Privacidade   •   Regras   •   Fale Connosco   •  
       
Voltar ao topo