Deficiente-Fórum

..:: Deficiente-Forum - Temas da Actualidade ::.. Responsável: AREZ => Bem - Estar, Saude e Qualidade de Vida => Primeiros Socorros & Banco de Sangue => Tópico iniciado por: migel em 22/09/2016, 10:15

Título: Dádiva de sangue alargada aos gays leva presidente do Instituto do Sangue a apresentar demissão
Enviado por: migel em 22/09/2016, 10:15
Dádiva de sangue alargada aos gays leva presidente do Instituto do Sangue a apresentar demissão

Nuno Noronha // Família // Com Lusa
(http://thumbs.web.sapo.io/?W=900&H=450&crop=face&tv=1&delay_optim=1&epic=V2%3AZ8MbsuPHSPFLP5AWcUoGnjFQgFxXXrUD8PR7TbAaAIWUDJbK6K%2FvufLTwSco%2F7z8smLyhAFPUjrszq7KUpvtv0nDyrTMT%2B5mUmeTN7ZZuIqzNsX3bXhTwxJVO2SCpqJL)

O presidente do Instituto Português do Sangue e da Transplantação, Hélder Trindade, pediu a demissão ao ministro da Saúde, Adalberto Campos Fernandes, noticiam vários órgãos de comunicação social esta quinta-feira (22/09).


A demissão do especialista em transplantação, que estava no cargo desde 2011, foi confirmada na quarta-feira (21/09) pelo Ministério da Saúde.

O pedido de demissão ocorre dias depois de a Direção-Geral da Saúde (DGS) ter divulgado uma norma de orientação clínica no sentido de permitir a dádiva de sangue por parte de homossexuais e bissexuais, embora condicionada a um período de abstinência de um ano.

Estas novas regras vêm pôr fim à proibição total de homens que fazem sexo com homens (HSH) - homossexuais e bissexuais - poderem dar sangue, passando aquilo que é hoje considerado como “critério de suspensão definitiva” para “critério de suspensão temporária”.

Leia também: Quem inventou o preservativo? 12 curiosidades sobre a medicina (e os seus príncipes)

Veja ainda: O sexo oral transmite VIH/Sida? 10 dúvidas frequentes

Saiba mais: O seu sangue tem pH neutro? 15 alimentos alcalinos

Na prática, os HSH passam a poder ser dadores de sangue, estando sujeitos à aplicação de um período de suspensão temporária de 12 meses após o último contacto sexual, com avaliação analítica posterior.

A norma, publicada na página da DGS na segunda-feira, vem também estabelecer um período de suspensão de 12 meses após o último contacto sexual para pessoas que tenham tido parceiros portadores de infeção por VIH, hepatite B e hepatite C.

Hélder Trindade já tinha sido contestado pelo Bloco de Esquerda em 2015, por este ter afirmado que só admitia dadores homossexuais que fossem abstinentes.


Fonte: Sapo