iacess

ergometrica

Ortopedia Moderna

Anuncie Aqui

mobilitec
Stannah Mobilidade S.A

Autopedico

Invacare

Pros Avos

Ortopediareal
myservice

Tecnomobile

TotalMobility

Multihortos

Drive Mobility

Autor Tópico: Carolina Duarte garante presença na final de 100m T13  (Lida 747 vezes)

0 Membros e 1 Visitante estão a ver este tópico.

Offline Fisgas

Carolina Duarte garante presença na final de 100m T13


LUSA 10/09/2016 - 17:25
A atleta paralímpica portuguesa bateu o seu recorde pessoal no Rio de Janeiro.

 

A portuguesa Carolina Duarte assegurou neste sábado a presença na final dos 100 metros T13 (deficiência visual) dos Jogos Paralímpicos Rio2016.

Campeã europeia da distância, Carolina Duarte concluiu a sua série com novo recorde pessoal, 12,53 segundos, melhorando a anterior marca, que era de 12,77s.

A atleta portuguesa, que se estreia em competições paralímpicas, prefere não fazer previsões para a final, agendada para domingo, às 11h (15h em Lisboa).

“As adversárias estão fortíssimas”, disse no final da prova, admitindo ter estado muito “bem na partida” e ter-se sentido “emocionada com o ambiente” do estádio "Engenhão".

A viver em Londres desde Janeiro do ano passado, Carolina Duarte já representou Portugal em competições de atletismo regular, nomeadamente nos Europeus de 2012, em Helsínquia.

Depois de ter deixado a competição, quando o problema de visão se agravou, acabou por ser classificada na classe T13 de atletismo adaptado em 2015.

No atletismo, os deficientes visuais são classificados entre as classes 11 e 13. A classe 11 inclui atletas com a visão mais diminuída e a classe desportiva 13 inclui atletas com a melhor visão.

No que diz respeito a outros portugueses em prova, Inês Fernandes concluiu na sexta posição a final do lançamento do peso F20 (deficiência intelectual), depois de este ano já ter conquistado bronze nos europeus de atletismo adaptado.

Inês Fernandes, que há quatro anos foi quarta classificada nos Jogos Paralímpicos Londres2012, conseguiu o melhor lançamento a 11,69 metros, ficando longe da sua melhor marca pessoal, 12,35m.

“A marca de hoje foi um pouco fraca” admitiu a atleta, admitindo que “contava “conseguir um lugar melhor”.

A prova foi ganha pela polaca Ewa Durska, que com um lançamento a 13,94m estabeleceu novo recorde mundial, tendo a ucraniana Anastasia Mysnyk (13,24m), e a grega Sabrine Fortuna (12,35m), conquistado as medalhas de prata e bronze, respectivamente.

Já Mário Trindade terminou na sexta posição a final dos 100 metros T52 (deficiência motora), resultado que considerou “fenomenal”.

“O meu grande objectivo era a final (...). Esse já tinha ficado garantido ontem [sexta-feira], hoje era só desfrutar e fazer o melhor tempo”, explicou o atleta no final, lembrando que a marca conseguida, 18,19 segundos, é exactamente igual à do campeão europeu, o suíço Beat Boesch, que foi quinto.

“Sabíamos que chegar às medalhas era muito complicado, mas concretizei um sonho com muitos anos”, disse o atleta, acrescentando que agora vai descansar até ao próximo desafio.

Mário Trindade, que compete em cadeira de rodas, vai voltar ao estádio "Engenhão" no dia 12 para disputar as eliminatórias dos 400 metros.

O norte-americano Gianfranco Iannotta, com o tempo de 17,17 segundos, conquistou o ouro, tendo o seu compatriota Raymond Martin (17,25s) ficado com a prata, e o mexicano Salvador Mondragon (17,69s) arrecadado a medalha de bronze.

Quanto à nadadora portuguesa Simone Fragoso falhou o acesso à final dos 50 metros mariposa S5, ao terminar a sua série no sexto lugar, com a marca de 56,23 segundos.

No Rio de Janeiro, Simone Fragoso, que tem nanismo, vai ainda disputar as eliminatórias dos 50 metros livres, dos 50 metros costas e dos 200 metros estilos.


Publico

   
 

 



Anuncie Connosco Anuncie Connosco Stannah Mobilidade S.A Anuncie Connosco Anuncie Connosco


  •   Política de Privacidade   •   Regras   •   Fale Connosco   •  
       
Voltar ao topo