iacess

ergometrica

Ortopedia Moderna

Anuncie Aqui

mobilitec
Stannah Mobilidade S.A

Autopedico

Invacare

Pros Avos

Ortopediareal
myservice

Tecnomobile

TotalMobility

Multihortos

Drive Mobility

Autor Tópico: Portugal vai receber a fase final do Campeonato do Mundo de Ténis em Cadeira de Rodas pela primeira  (Lida 785 vezes)

0 Membros e 1 Visitante estão a ver este tópico.

Online migel

Portugal vai receber a fase final do Campeonato do Mundo de Ténis em Cadeira de Rodas pela primeira vez


POR GASPAR RIBEIRO LANÇA - 9 Março 2019, 0:09


Ténis em Cadeira de Rodas
Fotografia: Jorge Cunha/AIFA

LOULÉ – Primeiro o Campeonato do Mundo de Veteranos e a Assembleia Geral e Eleitoral da Federação Internacional de Ténis, respetivamente em agosto e setembro de 2019, e depois o Campeonato do Mundo de Ténis em Cadeira de Rodas, em 2020. A Federação Portuguesa de Ténis anunciou esta sexta-feira a organização de mais um evento de grandes dimensões.

Numa tertúlia realizada a propósito da nona edição do Loulé Open, torneio internacional masculino que distribui 15.000 dólares em prémios monetários, Vasco Costa, o Presidente da Federação Portuguesa de Ténis, revelou “um feito histórico que até aqui ainda estava em segredo dos deuses.”

O responsável máximo pelo ténis em Portugal revelou que “a fase final do Campeonato do Mundo de Ténis em Cadeira de Rodas vai acontecer em Portugal pela primeira vez no ano de 2020, em Vilamoura e possivelmente Vale do Lobo. Vamos receber jogadores de cinco continentes e será um grande evento que dignificará não só o desporto adaptado em Portugal como aqui em Loulé, que é uma cidade que tem feito uma grande aposta no desporto e que merece um acontecimento desta dimensão.”

A fase final acontece no seguimento das fases de qualificação — conhecidas por pool — realizadas em cada continente. Em 2019, Vilamoura acolherá pela terceira vez consecutiva a qualificação europeia, durante o mês de abril.

Depois, entre 4 e 17 de agosto e distribuído por três clubes (Club Internacional de Foot-Ball, Clube de Ténis do Jamor e Clube de Ténis do Estoril), será organizado o Campeonato do Mundo de Veteranos nos escalões de +50, +55 e +60, e já para os dias 24, 25, 26 e 27 de setembro está marcada a Assembleia Geral da Federação Internacional de Ténis, que em 2019 também dará a conhecer o novo Presidente da ITF.



Fonte: https://raquetc.com/2019/03/09/portugal-vai-receber-a-fase-final-do-campeonato-do-mundo-de-tenis-em-cadeira-de-rodas-pela-primeira-vez/
 

Offline pantanal

Seleção Nacional masculina de ténis adaptado defronta a Rússia na 3.ª feira

Campeonato do Mundo de Equipas de Ténis em Cadeira de Rodas
 


A seleção nacional masculina de ténis adaptado não teve um sorteio nada desfavorável na Fase de Qualificação Europeia do Campeonato do Mundo de Equipas de Ténis em Cadeira de Rodas, que a Federação Portuguesa de Ténis (FPT) e a Premier Sports vão organizar de amanhã (terça-feira) a Sábado, na Vilamoura Tennis & Padel Academy, no Algarve.
 
«Calhou-nos um grupo com quatro equipas pelo segundo ano consecutivo, com a Rússia, que é a quarta cabeça de série do torneio, a Eslováquia e a Estónia», informou Joaquim Nunes, o selecionador nacional de ténis adaptado.
 
Estar no único grupo de quatro equipas – as restantes três ‘poules’ têm três nações – tem uma vantagem, a de fazer rodar os nossos jogadores que nesta primeira fase de todos contra todos sabem que irão jogar três dias e não apenas dois. Mas, por outro lado, tem uma desvantagem, pois é o único grupo em que a última nação classificada já não joga no fim de semana, ficando automaticamente no 13.º e último lugar.
 
Foi isso que sucedeu a Portugal em 2018 e o primeiro objetivo será evitar o quarto e último lugar no grupo. «No ano passado o grupo era mais equilibrado, com três equipas adversárias muito semelhantes e nós tivemos muita dificuldade. Este ano, em teoria, temos possibilidades de termos um confronto mais equilibrado com a Estónia, mais ao nosso alcance», acrescentou Joaquim Nunes, igualmente coordenador do programa de ténis adaptado na FPT.
 
Amanhã a competição arranca com a cerimónia de abertura, logo às 11h00, na qual estarão presentes 13 países para o torneio masculino e seis para o feminino, seguindo-se todos os embates do dia em simultâneo a partir das 11h45.
 
Portugal começa com o adversário mais complicado, a Rússia, que vai alinhar com Ildus Shaikhislamov (69.º do ranking mundial da especialidade) e Yuriy Golovin (78.º). A seleção nacional apresenta os mesmos jogadores do ano passado: Jean-Paul Melo (85.º), Carlos Leitão (186.º), João Sanona (247.º) e Francisco Aguiar (477.º).
 
Note-se que Carlos Leitão, o único que no ano passado venceu um duelo de singulares, subiu esta semana de 214.º para 186.º, fruto de ter passado uma ronda no Open de Vilamoura (Future) que terminou ontem (Domingo), com a vitória do austríaco Nico Langmann, o 21.º tenista mundial e porta-estandarte da seleção da Áustria, a primeira cabeça de série deste Mundial.
 
«Já jogámos com a Rússia na Turquia, há uns anos, numa altura em que eles tinham uma equipa jovem. Esses jogadores eram esperanças e agora são valores confirmados com um nível bastante razoável. Para nós é mais fácil entrarmos contra uma equipa que sabemos ser a favorita», considerou o selecionador nacional.
 
Portugal está inserido no Grupo-4. O Grupo-1 integra a Áustria, Hungria e República Checa; o Grupo-2 é formado pela Grécia (segunda cabeça de série), Alemanha e Roménia; e o Grupo-3 é constituído pela Itália (terceira cabeça de série), Croácia e Suíça. No torneio feminino, o Grupo-1 tem como primeira cabeça de série a Rússia (finalista em 2018, em Vilamoura, tento perdido com a Grã-Bretanha) e inclui ainda a Dinamarca e a Bulgária. O Grupo-2, comandado pela segunda cabeça de série, a Itália, engloba ainda a Bélgica e a Turquia.
 
A presença da forte ‘squadra’ italiana é a grande novidade deste ano e chama-se a atenção para Giulia Capocci, de 26 anos, a n.º5 do ranking mundial, vencedora de cinco torneios em 2018, entre os quais o Masters de ténis adaptado, para além de ter sido semifinalista no US Open.


Record
 

Online 100nick

Ténis em Cadeira de Rodas: Portugal perde com a Rússia
Duelo com a Estónia será vital no campeonato do Mundo de Equipas



A seleção nacional masculina de ténis adaptado exibiu-se a um nível superior ao do ano passado mas não evitou hoje (terça-feira) a derrota por 3-0 frente à Rússia, na primeira jornada da Fase de Grupos da Qualificação Europeia do Campeonato do Mundo de Equipas de Ténis em Cadeira de Rodas, que a Federação Portuguesa de Ténis (FPT) e a Premier Sports estão a organizar até Sábado, na Vilamoura Tennis & Padel Academy, no Algarve.

Portugal bateu-se bem frente à equipa quarta cabeça de série do torneio, sobretudo nos encontros de singulares, mas o desnível entre as duas nações vê-se por nem ter sido possível ganhar um único set em três confrontos.

Yuriy Golovin bateu o vice-campeão nacional Carlos Leitão por 6-3 e 6-4; Ildus Shaikhislamov desfeitou o tetracampeão nacional Jean-Paul Melo por 6-2 e 6-3; e os mesmos russos, ambos membros do top-100 do ranking mundial, vergaram João Sanona e Francisco Aguiar por 6-1 e 6-0.

«Foram dois encontros agradáveis em que ficámos com a noção de que poderíamos ter feito um resultado melhor», considerou o selecionador nacional, Joaquim Nunes.

«O Carlos Leitão esteve na frente no segundo set, depois teve ali uns jogos a 0-40 e 40-15 para ele e não conseguiu fechá-los e foi o momento em que a Rússia esteve em maiores dificuldades. O Jean-Paul Melo entrou bem, colocou alguma pressão sobre o adversário, mas depois, a meio do set baixou um bocado de rendimento. No segundo set foi a mesma coisa, entrou bem, esteve na frente, mas a meio do set não conseguiu manter o ritmo», acrescentou o igualmente coordenador do programa de ténis adaptado da FPT.

A decisão de colocar João Sanona e Francisco Aguiar nos pares fez sentido para permitir descansar os titulares de singulares para amanhã e fazer rodar os jogadores normalmente menos utilizados: «O João e o Francisco têm feito uma dupla porque o Jean-Paul e o Carlos costumam ser o par para os momentos mais difíceis e portanto foi uma oportunidade para soltarem-se, para jogarem».

Esta quarta-feira a situação é diferente. Uma vitória sobre a Estónia significará automaticamente a permanência em prova até Sábado, enquanto uma derrota poderá implicar uma eliminação nos dois últimos dias, na sexta-feira e no Sábado. «Não vamos querer perder amanhã porque isso significa ficar no 13.º e último lugar. Já jogámos com a Estónia e já ganhámos. Temos melhores jogadores e temos ascendente sobre eles», assegurou Joaquim Nunes.

Portugal está inserido no Grupo-4, no qual a Eslováquia bateu hoje a Estónia por 3-0. Portanto, o Portugal-Estónia, marcado para as 10h45, será um duelo entre as duas equipas derrotadas na jornada inaugural. Nos outros grupos, este primeiro dia ficou caracterizado pelos triunfos das equipas cabeças de série. Só a Grécia perdeu um encontro. De resto, os países favoritos venceram sempre pela margem máxima de 3-0.

Os resultados completos foram os seguintes, sendo que hoje descansaram as equipas da Alemanha e Hungria no torneio masculino e da Turquia e Dinamarca no feminino:

Torneio Feminino: Rússia (c.s. n.1)-Bulgária, 3-0; Itália (c.s. n.2)-Bélgica, 3-0.

Torneio masculino: Áustria (c.s. n.1)-República Checa, 3-0; Grécia (c.s. n.2)-Roménia, 2-1; Itália (c.s. n.3)-Suíça, 3-0; Eslováquia-Estónia, 3-0.


Fonte: Record
 

Offline Oribii

Ténis em Cadeira de Rodas: Portugal derrota Estónia e garante playoff

Eslováquia será a equipa adversária de quinta-feira
 

A seleção nacional masculina de ténis adaptado obteve esta quarta-feira uma vitória fundamental na segunda jornada da Fase de Grupos e garantiu o acesso ao play-off da Qualificação Europeia do Campeonato do Mundo de Equipas de Ténis em Cadeira de Rodas, que a Federação Portuguesa de Ténis (FPT) e a Premier Sports estão a organizar na Vilamoura Tennis & Padel Academy, no Algarve.

Depois da derrota de terça-feira por 3-0 diante da Rússia, Portugal tinha de obrigatoriamente bater a Estónia para evitar o 13.º e último lugar na competição – como sucedeu em 2018 – e fê-lo sem quaisquer dúvidas, por 3-0, sem ceder qualquer único set em três confrontos.


Numa manhã demasiado ventosa, que estragou a qualidade de jogo, o  vice-campeão nacional Carlos Leitão derrotou Mait Matas por 6-3 e 6-4, exatamente os parciais da sua derrota na véspera. De seguida, já ao final da manhã, o vento amainou, embora ainda se fizesse sentir, e o tetracampeão nacional Jean-Paul Melo arrasou Vijar Valliste por 6-1 e 6-0. Com Portugal a ganhar por 2-0, o selecionador nacional, Joaquim Nunes, voltou a fazer rodar nos pares João Sanona e Francisco Aguiar, que vergaram Mait Matas e Urmo Voogla por 6-2 e 6-1.

«Importava saber até que ponto seríamos capazes de gerir a ansiedade (por sermos favoritos) e de concretizar essa vontade de ganhar em encontros fáceis. Mas foi relativamente acessível e ganhámos com alguma facilidade», sublinhou o selecionador nacional, Joaquim Nunes.

Alar Milk, o capitão da equipa da Estónia também concordou que Portugal foi superior: «Hoje foi duro para nós. Ontem sabíamos que a Eslováquia era muito mais forte do que nós, mas Portugal e a Estónia estão aproximadamente ao mesmo nível. Isso ainda se viu no primeiro encontro, em que houve equilíbrio e tivemos algumas oportunidades, mas o vosso jogador (Carlos Leitão) portou-se muito bem. No segundo encontro o vosso jogador (Jean-Paul Melo) já foi muito melhor». 

É verdade que Carlos Leitão não esmagou tanto o adversário como Jean-Paul Melo, mas o forte vento funcionou como equalizador de forças. «Gostaria de ter podido bater na bola, de jogar, mas não se podia jogar com muita força porque as bolas saíam fora do campo. Jogar em toque de bola foi mais difícil para mim. Se eu tivesse podido fazer o meu jogo, se calhar teria sido mais fácil», referiu o português que já foi por sete vezes campeão nacional da especialidade.

Amanhã (quinta-feira) Portugal defronta pela primeira vez a Eslováquia, que hoje provocou a surpresa do torneio, ao derrotar a Rússia por 3-0, com destaque para Marek Gergely, o 49.º do ranking mundial. «É evidente que para nós é uma tarefa difícil», admitiu Joaquim Nunes. Para a Eslováquia, bater Portugal significará passar às meias-finais sem depender de ninguém.

Estes quatro países – Portugal, Estónia, Rússia e Eslováquia – integram o Grupo-4. No Grupo-1 Áustria e Hungria têm uma vitória e ainda não perderam; no Grupo-2 a mesma situação acontece com Grécia e Alemanha; e no Grupo-3 a Itália comanda com uma vitória sem ter perdido, seguida da Suíça que tem uma vitória e uma derrota. No torneio feminino, no Grupo-1, Rússia e Dinamarca estão empatadas na frente, com uma vitória sem derrotas, enquanto no Grupo-2 o mesmo sucede com Itália e Turquia. 

Amanhã termina a fase de grupos. Os resultados completos da segunda jornada foram os seguintes: Torneio Feminino: Turquia-Bélgica, 2-1; Dinamarca-Bulgária, 3-0. Torneio masculino: Hungria-República Checa, 2-1; Alemanha-Roménia, 3-0; Suíça-Croácia, 2-1; Eslováquia-Rússia, 3-0; Portugal-Estónia, 3-0.


Record
]
 

Online migel

Portugal termina qualificação para o Mundial de Ténis em Cadeira de Rodas na 12.ª posição


POR GASPAR RIBEIRO LANÇA - 7 Abril 2019, 19:36

Terminou este sábado a terceira participação consecutiva de Portugal numa fase de qualificação para o Campeonato do Mundo de Equipas de Ténis em Cadeira de Rodas disputada em solo português. Tal como em 2017 e 2018, a Vilamoura Tennis & Padel Academy voltou a receber a etapa de qualificação europeia que desta feita terminou com a equipa da casa no 12.º lugar da classificação geral.

À semelhança do que aconteceu nos dois anos anteriores, a seleção masculina de Portugal não conseguiu ultrapassar a equipa da Croácia, que voltou a recuperar de uma situação de desvantagem para sair a sorrir.

O vice-campeão nacional Carlos Leitão até começou por vencer (6-3 e 6-3 perante Jozo Milos), mas Jean-Paul Mélo não conseguiu conquistar mais uma alegria para a equipa portuguesa e perdeu por 6-1 e 6-4 para Anto Josik. Depois, a Croácia consumou a reviravolta graças ao triunfo de Milos/Josik por 6-3 e 6-2 sobre João Sanona e Francisco Aguiar.

Apesar do desaire, o selecionador nacional Joaquim Nunes fez um balanço positivo “porque apesar desta classificação os jogadores esforçaram-se bastante.” Para o responsável pelo ténis adaptado em Portugal, em 2020 o nível de exigência terá de ser maior, uma vez que Portugal vai organizar a fase final do Campeonato do Mundo.

A vitória na fase de qualificação europeia coube à equipa da Áustria, que passou pela Grécia. A seleção favorita entrou bem e venceu o primeiro singular (Josef Riegler d. Giorgios Lazaridis por 6-0 e 6-3), mas o número 18 do ranking mundial, Stefanos Diamantis, superou Nico Langmann (21.º) por 6-2, 4-6 e 6-2 para igualar a decisão, que coube então à dupla Nico Langmann/Martin Legner resolver para o lado austríaco, graças aos parciais de 6-1 e 7-5 frente aos mesmos tenistas gregos que já tinham disputado os encontros de singulares e acusaram o desgaste de uma longa semana.

A prova feminina sorriu à Rússia, que também venceu a sua final por 2-1 contra a Itália. Viktoria Lvová (16.º do ranking) surpreendeu a número 5 Giulia Capocci (7-5, 1-6 e 6-3) e depois Marianna Lauro igualou o confronto graças aos parciais de 6-1 e 6-4 perante Liudmila Bubnová, pelo que também nesta decisão foi necessário o encontro de pares para se conhecerem as vencedoras: 7-6(8), 4-6 e [10-8] foi o resultado que deu à equipa de leste o título e respetiva qualificação.


Fonte: https://raquetc.com/2019/04/07/portugal-termina-qualificacao-para-o-mundial-de-tenis-em-cadeira-de-rodas-na-12-a-posicao/
 

 



Anuncie Connosco Anuncie Connosco Stannah Mobilidade S.A Anuncie Connosco Anuncie Connosco


  •   Política de Privacidade   •   Regras   •   Fale Connosco   •  
       
Voltar ao topo