iacess

ergometrica

Anuncie Aqui

Liftech

mobilitec
onlift

Autopedico

Invacare

TotalMobility

Rehapoint
myservice

Tecnomobile

Liftech

Multihortos

Anuncie Aqui

Autor Tópico: Maior Campeonato do Mundo de Vela Adaptada realiza-se em Portugal pela primeira vez 0  (Lida 2526 vezes)

0 Membros e 1 Visitante estão a ver este tópico.

Offline Sardinha

 
Maior Campeonato do Mundo de Vela Adaptada realiza-se em Portugal pela primeira vez 0
POR NÁUTICA PRESS EM 12 OUTUBRO, 2023

NOTICIAS
O Hansa Worlds Portimão Championship, que se realiza entre 14 e 21 de outubro, é a prova de que o mar e o vento são para todos, independentemente da sua condição física.

Entre 14 e 21 de outubro as águas de Portimão servem de cenário à maior competição de vela adaptada alguma vez realizada a nível mundial.
Cerca de 230 velejadores de 18 países competem pelo título de campeão do mundo em classes diferentes, de acordo com o seu nível de deficiência/condicionamento.
A organização deste evento único, verdadeiramente inclusivo, é do Iate Clube Marina de Portimão e da Vela Solidária, projeto que faz parte da Associação Teia D’Impulsos. Um desafio enorme, que envolve centena e meia de pessoas e que tem como grande objetivo proporcionar uma experiência desportiva, social e cultural única e inesquecível aos velejadores, equipas técnicas e acompanhantes.
«O Hansa Worlds Portimão Championship será o maior evento de vela adaptada alguma vez realizado a nível mundial assumindo um papel fulcral no que à inclusão diz respeito. O desafio abrange todas as áreas da sociedade passando pela mobilidade, inclusão social e impacto económico e cultural. Trata-se de uma organização complexa com 11 áreas de gestão e na qual estarão envolvidas mais de 400 pessoas diariamente», refere Luís Brito, diretor do evento.
Já em 2019 a mesma organização foi responsável pela realização, também em Portimão, do Campeonato da Europa de Vela Adaptada. Neste mundial de 2023 o número de participantes praticamente duplicou, dividindo-se pelas 5 classes Hansa.
A Classe Hansa caracteriza-se por ter embarcações que são quase impossíveis de virar, com um centro de gravidade baixo e um patilhão lastrado. É possível adicionar comandos elétricos (servo) que auxiliam no comando do leme e das velas para quem tem deficiência motora.
Portugal tem já um currículo de destaque em Vela Adaptada. Este ano, a dupla Guilherme Ribeiro e Pedro Câncio Reis (da Vela Solidária) sagrou-se vice-campeã do mundo da classe adaptada RS Venture Connect, que se realizou em Haia, nos Países Baixos. Esta equipa portuguesa estreou-se em competições mundiais em 2022, ano em que subiu ao 3º lugar do pódio no Campeonato do Mundo de Vela Adaptada em Omã.
Durante 8 dias o horizonte de Portimão será inundado de velas, num evento que transcende muito o plano desportivo. Cada velejador traz consigo uma história inspiradora de luta e superação, como por exemplo Mary Duffy, que apesar de não ter braços faz questão de vir da Irlanda, seu país natal, a conduzir o seu carro. Igualmente marcante será a participação da holandesa Wilma Den Broek, que veleja a sua embarcação através de sopro – não tem braços nem pernas.
No mundial de Portimão está assegurada a presença de grandes nomes da Vela Adaptada como é o caso do polaco Piotr Cichocki, que já participou nos Jogos Olímpicos e foi campeão mundial.

A cerimónia de abertura do Hansa Worlds Portimão Championship 2023 acontece sábado, dia 15 de outubro, a partir das 18h30 e irá encher o largo da Câmara Municipal de Portimão de velejadores vindos dos mares de todo o mundo.


Fonte; https://www.nauticapress.com/maior-campeonato-do-mundo-de-vela-adaptada-realiza-se-em-portugal-pela-primeira-vez/
 
Os seguintes membros Gostam desta publicação: casconha

Offline Sardinha

 

Fotos Reprodução Facebook Portimão Championships | DR


Mundial de vela adaptada em Portimão aumenta a autoestima e permite que todos se sintam iguais

“Quando estou no barco sinto-me igual a todos os outros”, afirmou Vera Voorbach, admitindo logo em seguida que, afinal de contas, “ganhar não é o único objetivo” e que também é importante “o convívio entre todos os participantes”

10:22 18 Outubro, 2023 | POSTAL
O Campeonato do Mundo de vela adaptada, que decorre até sábado em Portimão, permite que pessoas com diferentes graus de deficiência ou condicionamento não se sintam diferentes dos outros.

“Estou aqui porque quando ando na rua sinto-me numa situação de incapacidade, mas em cima do barco sinto-me igual a toda a gente”, disse à agência Lusa o francês Bertrand Verrier, com uma deficiência visual.

Numa conversa à margem do ‘briefing’ diário que a organização realiza na Marina de Portimão todos os dias às 09:00 com os participantes, Bertrand Verrier realçou que pretende “demonstrar aos seus amigos com o mesmo problema que a vela existe e permite fazer coisas maravilhosas”.

“Estou vivo. Sinto-me vivo. E não estou a um canto, sozinho e sem fazer nada”, afirmou o francês.


Segundo a organização do Hansa Worlds Championship 2023, o encontro de Portimão é “a maior competição de vela adaptada alguma vez realizada a nível mundial” e permite “atestar que o mar e o vento são para todos, independentemente da sua condição física”.

Estão em prova 230 velejadores de 17 países, entre os quais 19 portugueses, que competem pelo título de campeão do mundo em cinco classes diferentes, de acordo com o seu nível de deficiência ou condicionamento.

O português do clube de Vela Solitária Guilherme Ribeiro, que tem um problema de locomoção que o obriga a estar numa cadeira de rodas, também não tem dúvida de que a vela lhe permite “conseguir fazer o que fazem as pessoas normais”.

“Isto é muito importante para a minha autoestima e para a das pessoas que aqui estão com qualquer tipo de deficiência”, afirmou Guilherme Ribeiro, que também é presidente da classe Hansa.

A vela ligeira adaptada utiliza o barco Hansa, de patente australiana, que tem como uma das suas características principais um patilhão de cerca de 30 quilogramas, o que o torna muito difícil de se virar.

O diretor da prova, Luís Brito, disse à Lusa que tem “prazer” em organizar o evento e de lidar com “pessoas muito positivas”.

“Para estas pessoas não é importante ganhar, eles adoram estar aqui e conviver à margem da competição”, acrescentou.


Não é o caso da presidente da Associação Internacional Hansa Class, Vera Voorbach, atual campeã do mundo, com uma lesão na medula espinal, que não escondeu à Lusa que está em Portimão para defender o título: “Quero ganhar”, disse.

“Quando estou no barco sinto-me igual a todos os outros”, afirmou Vera Voorbach, admitindo logo em seguida que, afinal de contas, “ganhar não é o único objetivo” e que também é importante “o convívio entre todos os participantes”.

Outro português, João Silva, do Iate Clube de Portimão, que tem o lado esquerdo do corpo paralisado, afirmou que a competição tem para ele “um efeito terapêutico”.

“Não estamos de pé em igualdade de circunstâncias, mas no fim do dia não é isso que é importante”, disse, acrescentando gostar muito do ambiente à margem das regatas e do convívio entre velejadores.

Entre os participantes há várias histórias de luta e superação, como é o caso de Mary Duffy, que, apesar de não ter braços, fez questão de vir para Portugal de carro, desde a Irlanda.

Ou da neerlandesa Wilma Den Broek, que veleja a sua embarcação através de sopro, uma vez que não tem braços nem pernas.

A organização do Campeonato do Mundo de vela adaptada está a cargo do Iate Clube Marina de Portimão e à Vela Solidária.



Fonte: https://postal.pt/desporto/mundial-de-vela-adaptada-em-portimao-permite-que-todos-se-sintam-iguais/
 

Offline pantanal

 
Clube Naval do Funchal com três atletas no Campeonato do Mundo de Vela Adaptada da Classe Hansa

Erica FrancoErica Franco
20 out 2023 16:51



O Clube Naval do Funchal (CNF) representa a Madeira no Campeonato do Mundo de Vela Adaptada da Classe Hansa, que, em 2023, se realiza em Portimão. As provas decorrem desde o dia 14 de Outubro e terminam a 21.

O CNF está presente com três atletas, que competem nas categorias de solo e duplas, sendo acompanhados pelo treinador Pedro Correia.

Para, altura em que algumas provas estão por terminar, o CNF dá divulga as seguintes classificações:



Hansa 2.3 – António Nóbrega em 3.º lugar

Hansa 303 – António Portugal em 45.º lugar. Paralímpico 30.º

Hansa 303 – António Calaça em 79.º lugar. Paralímpico 54.º

Hansa 303 dupla - António Calaça e António Portugal em 42.º lugar


Fonte: d.noticias.pt
 

Online migel

 

Portugal sagra-se Vice-Campeão do mundo em Vela Adaptada

POR NÁUTICA PRESS

EM 24 OUTUBRO, 2023NOTICIAS

O velejador João Pinto alcançou o 2º lugar do pódio na classe Hansa 303 Single e António Nóbrega conquistou a medalha de bronze em Hansa 2.3.
Hansa Worlds Portimão Championship decorreu em Portimão entre 14 e 21 de outubro

Portugal esteve em destaque no Campeonato do Mundo de Vela Adaptada que terminou este fim de semana em Portimão. Em 2 das 5 classes em competição, os velejadores nacionais conseguiram subir ao pódio, depois de 6 dias de prova com condições climatéricas muito exigentes.


João Pinto

A velejar em casa, João Pinto, atleta do Clube Naval de Portimão conquistou o título de vice-campeão do mundo na muito competitiva classe Hansa 303 Single ao vencer 2 das 9 regatas realizadas.
Outro velejador em destaque foi António Nóbrega, atleta do Clube Naval do Funchal que concluiu este mundial na 3ª posição na classe Hansa 2.3, uma classe para velejadores que estão numa fase mais inicial da sua carreira desportiva.
Entre os 19 velejadores nacionais em competição esteve a dupla Guilherme Ribeiro e Pedro Câncio Reis, atletas da Vela Solidária, e que se sagrou recentemente vice-campeã do mundo da classe adaptada RS Venture Connect, em Haia, nos Países Baixos. Neste mundial de Portimão competiram pela primeira vez na classe Hansa 303 Double como dupla e o resultado final (12º lugar) espelha a adaptação que os 2 velejadores tiveram de desenvolver em relação a um barco diferente.

Portugal sagra-se Vice-Campeão do mundo em Vela Adaptada 0
POR NÁUTICA PRESS EM 24 OUTUBRO, 2023NOTICIAS
O velejador João Pinto alcançou o 2º lugar do pódio na classe Hansa 303 Single e António Nóbrega conquistou a medalha de bronze em Hansa 2.3.
Hansa Worlds Portimão Championship decorreu em Portimão entre 14 e 21 de outubro

Portugal esteve em destaque no Campeonato do Mundo de Vela Adaptada que terminou este fim de semana em Portimão. Em 2 das 5 classes em competição, os velejadores nacionais conseguiram subir ao pódio, depois de 6 dias de prova com condições climatéricas muito exigentes.


João Pinto

A velejar em casa, João Pinto, atleta do Clube Naval de Portimão conquistou o título de vice-campeão do mundo na muito competitiva classe Hansa 303 Single ao vencer 2 das 9 regatas realizadas.
Outro velejador em destaque foi António Nóbrega, atleta do Clube Naval do Funchal que concluiu este mundial na 3ª posição na classe Hansa 2.3, uma classe para velejadores que estão numa fase mais inicial da sua carreira desportiva.
Entre os 19 velejadores nacionais em competição esteve a dupla Guilherme Ribeiro e Pedro Câncio Reis, atletas da Vela Solidária, e que se sagrou recentemente vice-campeã do mundo da classe adaptada RS Venture Connect, em Haia, nos Países Baixos. Neste mundial de Portimão competiram pela primeira vez na classe Hansa 303 Double como dupla e o resultado final (12º lugar) espelha a adaptação que os 2 velejadores tiveram de desenvolver em relação a um barco diferente.

Portugal sagra-se Vice-Campeão do mundo em Vela Adaptada 0
POR NÁUTICA PRESS EM 24 OUTUBRO, 2023NOTICIAS
O velejador João Pinto alcançou o 2º lugar do pódio na classe Hansa 303 Single e António Nóbrega conquistou a medalha de bronze em Hansa 2.3.
Hansa Worlds Portimão Championship decorreu em Portimão entre 14 e 21 de outubro

Portugal esteve em destaque no Campeonato do Mundo de Vela Adaptada que terminou este fim de semana em Portimão. Em 2 das 5 classes em competição, os velejadores nacionais conseguiram subir ao pódio, depois de 6 dias de prova com condições climatéricas muito exigentes.


João Pinto

A velejar em casa, João Pinto, atleta do Clube Naval de Portimão conquistou o título de vice-campeão do mundo na muito competitiva classe Hansa 303 Single ao vencer 2 das 9 regatas realizadas.
Outro velejador em destaque foi António Nóbrega, atleta do Clube Naval do Funchal que concluiu este mundial na 3ª posição na classe Hansa 2.3, uma classe para velejadores que estão numa fase mais inicial da sua carreira desportiva.
Entre os 19 velejadores nacionais em competição esteve a dupla Guilherme Ribeiro e Pedro Câncio Reis, atletas da Vela Solidária, e que se sagrou recentemente vice-campeã do mundo da classe adaptada RS Venture Connect, em Haia, nos Países Baixos. Neste mundial de Portimão competiram pela primeira vez na classe Hansa 303 Double como dupla e o resultado final (12º lugar) espelha a adaptação que os 2 velejadores tiveram de desenvolver em relação a um barco diferente.


O polaco Piotr Cichocki

O polaco Piotr Cichocki, velejador olímpico e já detentor de títulos mundiais, dominou totalmente as 2 classes em que participou. Em Hansa 303 Single venceu 5 das 9 regatas, levando para casa o título de campeão mundial. Em Hansa 303 Double, onde fez dupla com a sua compatriota Joanna Cichocka, terminou sempre as regatas entre os 3 primeiros lugares e foi sem surpresa que conquistou o troféu mundial nesta classe.



Com a tempestade Aline pelo e dias de vento muito forte, a Organização deste evento, verdadeiramente inclusivo – Iate Clube Marina de Portimão e projeto Vela Solidária – enfrentou um desafio enorme em termos logísticos: «É quase como se tivéssemos a organizar 2 ou 3 campeonatos em simultâneo. É um campeonato do mundo de vela normal e depois é um campeonato em que temos de ter as condições para que estes velejadores se desloquem em todo o recinto, de forma fácil e segura. Em terceiro lugar, e é algo que nos orgulhamos, conseguimos proporcionar um programa social intensivo, o que traz um enriquecimento maior do evento e que permite a estes velejadores irem daqui com uma experiência de vida única», referiu Luis Brito, diretor do evento.
O número de praticantes desta disciplina de vela adaptada está a crescer em Portugal. Na qualidade de Presidente da Classe Hansa a nível nacional, Guilherme Reis considera que o que tem acontecido em Portimão é a prova de que a frota de vela adaptada está a crescer, mesmo apesar da falta de apoios: «Está aqui a prova, mais do que dada. Temos neste momento mais de 200 velejadores de todo o mundo a fazer vela em Portimão. No passado, alguém disse que tudo isto era impossível. Entretanto, já se fez, em 2019, um campeonato da europa com mais de uma centena de velejadores e agora este mundial com mais do dobro».
Entre 14 e 21 de outubro as águas de Portimão serviram de cenário à maior competição de vela adaptada alguma vez realizada a nível mundial. Cerca de 230 velejadores de 18 países competiram no Hansa Worlds Portimão Championship, disputando o título de campeão do mundo em 5 classes diferentes, de acordo com o seu nível de deficiência/condicionamento.
O polaco Piotr Cichocki

O polaco Piotr Cichocki, velejador olímpico e já detentor de títulos mundiais, dominou totalmente as 2 classes em que participou. Em Hansa 303 Single venceu 5 das 9 regatas, levando para casa o título de campeão mundial. Em Hansa 303 Double, onde fez dupla com a sua compatriota Joanna Cichocka, terminou sempre as regatas entre os 3 primeiros lugares e foi sem surpresa que conquistou o troféu mundial nesta classe.

Com a tempestade Aline pelo e dias de vento muito forte, a Organização deste evento, verdadeiramente inclusivo – Iate Clube Marina de Portimão e projeto Vela Solidária – enfrentou um desafio enorme em termos logísticos: «É quase como se tivéssemos a organizar 2 ou 3 campeonatos em simultâneo. É um campeonato do mundo de vela normal e depois é um campeonato em que temos de ter as condições para que estes velejadores se desloquem em todo o recinto, de forma fácil e segura. Em terceiro lugar, e é algo que nos orgulhamos, conseguimos proporcionar um programa social intensivo, o que traz um enriquecimento maior do evento e que permite a estes velejadores irem daqui com uma experiência de vida única», referiu Luis Brito, diretor do evento.
O número de praticantes desta disciplina de vela adaptada está a crescer em Portugal. Na qualidade de Presidente da Classe Hansa a nível nacional, Guilherme Reis considera que o que tem acontecido em Portimão é a prova de que a frota de vela adaptada está a crescer, mesmo apesar da falta de apoios: «Está aqui a prova, mais do que dada. Temos neste momento mais de 200 velejadores de todo o mundo a fazer vela em Portimão. No passado, alguém disse que tudo isto era impossível. Entretanto, já se fez, em 2019, um campeonato da europa com mais de uma centena de velejadores e agora este mundial com mais do dobro».
Entre 14 e 21 de outubro as águas de Portimão serviram de cenário à maior competição de vela adaptada alguma vez realizada a nível mundial. Cerca de 230 velejadores de 18 países competiram no Hansa Worlds Portimão Championship, disputando o título de campeão do mundo em 5 classes diferentes, de acordo com o seu nível de deficiência/condicionamento.
O polaco Piotr Cichocki

O polaco Piotr Cichocki, velejador olímpico e já detentor de títulos mundiais, dominou totalmente as 2 classes em que participou. Em Hansa 303 Single venceu 5 das 9 regatas, levando para casa o título de campeão mundial. Em Hansa 303 Double, onde fez dupla com a sua compatriota Joanna Cichocka, terminou sempre as regatas entre os 3 primeiros lugares e foi sem surpresa que conquistou o troféu mundial nesta classe.

Com a tempestade Aline pelo e dias de vento muito forte, a Organização deste evento, verdadeiramente inclusivo – Iate Clube Marina de Portimão e projeto Vela Solidária – enfrentou um desafio enorme em termos logísticos: «É quase como se tivéssemos a organizar 2 ou 3 campeonatos em simultâneo. É um campeonato do mundo de vela normal e depois é um campeonato em que temos de ter as condições para que estes velejadores se desloquem em todo o recinto, de forma fácil e segura. Em terceiro lugar, e é algo que nos orgulhamos, conseguimos proporcionar um programa social intensivo, o que traz um enriquecimento maior do evento e que permite a estes velejadores irem daqui com uma experiência de vida única», referiu Luis Brito, diretor do evento.
O número de praticantes desta disciplina de vela adaptada está a crescer em Portugal. Na qualidade de Presidente da Classe Hansa a nível nacional, Guilherme Reis considera que o que tem acontecido em Portimão é a prova de que a frota de vela adaptada está a crescer, mesmo apesar da falta de apoios: «Está aqui a prova, mais do que dada. Temos neste momento mais de 200 velejadores de todo o mundo a fazer vela em Portimão. No passado, alguém disse que tudo isto era impossível. Entretanto, já se fez, em 2019, um campeonato da europa com mais de uma centena de velejadores e agora este mundial com mais do dobro».
Entre 14 e 21 de outubro as águas de Portimão serviram de cenário à maior competição de vela adaptada alguma vez realizada a nível mundial. Cerca de 230 velejadores de 18 países competiram no Hansa Worlds Portimão Championship, disputando o título de campeão do mundo em 5 classes diferentes, de acordo com o seu nível de deficiência/condicionamento.



Fonte: https://www.nauticapress.com/portugal-sagra-se-vice-campeao-do-mundo-em-vela-adaptada/
 

Online migel

 
Festa mundial da vela adaptada fez-se em Portimão

Por Hugo Rodrigues • 28 de Outubro de 2023 - 14:00

João Pinto, velejador portimonense, esteve em destaque


Hugo Rodrigues


Portimão foi palco do Campeonato do Mundo de Vela Adaptada, uma prova que reuniu mais de duas centenas de velejadores de 18 países.

Mais do que uma competição, este evento organizado pelo projeto Vela Solidária, da Teia d’Impulsos, e pelo Iate Clube Marina Portimão foi uma festa e um hino à integração e à superação.

O Sul Informação acompanhou a prova, onde o atleta portimonense João Pinto esteve em destaque, e mostra-lhe como foi neste vídeo.


Fonte: https://www.sulinformacao.pt/2023/10/festa-mundial-da-vela-adaptada-fez-se-em-portimao/

 
 

 



Anuncie Connosco Anuncie Connosco Anuncie Connosco Anuncie Connosco Anuncie Connosco


  •   Política de Privacidade   •   Regras   •   Fale Connosco   •  
     
Voltar ao topo