mobilitec

ergometrica

Ortopedia Moderna

Lismedica

Mais que Cuidar
Stannah Mobilidade S.A

Autopedico

Invacare

Pros Avos

Ortopediareal
sembarreiras

Tecnomobile

TotalMobility

Multihortos

Drive Mobility

Últimas Mensagens

Páginas: [1] 2 3 ... 10
1
Noticias / Re: AINDA A PRESTAÇÃO SOCIAL PARA A INCLUSÃO
« Última mensagem por migel em Hoje às 15:16 »
olá ou estou burrinha ou por mais contas que faço , não entendo ,a minha filha recebe reforma de invalides social tem 90% DE INVALIDES ,recebe 14 prestações ,com a PRESTAÇÃO SOCIAL PARA A INCLUSÃO vai receber menos anualmente ,digo eu que nada entendo obrigado

não vai receber menos, a componente base é de 264,32€ mensais, à qual pode acumular:

com as seguintes prestações (de acordo com  regras de atribuição de cada uma das componentes da prestação)

1.Pensões do sistema previdencial, do regime de proteção social convergente e pensões de regimes estrangeiros

2.Pensões de viuvez

3.Prestações por encargos familiares

4.Subsídio por frequência de estabelecimento de educação especial

5.Complemento por dependência

6.Complemento por cônjuge a cargo

7.Rendimento Social de Inserção

8.Prestações substitutivas de rendimentos de trabalho (do sistema previdencial)

9. Prestações de desemprego e de parentalidade do subsistema de solidariedade

10. Indemnizações e pensões por acidente de trabalho e doença profissional;

11. Indemnizações por responsabilidade civil de terceiro
2
Raríssimas. A associação que serve 200 utentes e se tornou num caso de política e de polícia
15 dez 2017 07:29

  Manuel Delgado Helena Vieira da Silva IPSS Raríssimas Paula Brito e Costa FEDRA


A associação Raríssimas foi criada em 2002 por Paula Brito e Costa, mãe de um rapaz com uma doença rara (Síndrome de Cornélia de Lange), e que está no centro de uma controvérsia por suspeitas de gestão danosa.

A escritura desta instituição sem fins lucrativos foi assinada a 12 de abril de 2002 e em outubro de 2003 a Raríssimas foi reconhecida oficialmente como Instituição Particular de Solidariedade Social de utilidade pública, com o objetivo de partilhar experiências e defender os portadores de doenças mentais e raras e suas famílias.

A associação presta “serviços diferenciados, de excelência técnica e científica, que permitem ao utente a melhoria significativa da sua qualidade de vida”, segundo se lê no site da instituição.


“Existimos porque existem cerca de 800 mil portugueses que precisam de nós e milhões de cidadãos pelo mundo fora que fazem do nosso ‘know-how’ a sua bandeira”, prossegue a apresentação da Raríssimas.

O prestígio de uma associação que serve quase 200 utentes atraiu a atenção de várias personalidades, como a antiga primeira-dama Maria Cavaco Silva, que foi madrinha da instituição e levou à Raríssimas a rainha de Espanha, Letizia.

Mas também figuras da esfera política como o ministro do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, José Vieira da Silva, como membro da assembleia-geral da Raríssimas, e o ex-secretário de Estado da Saúde Manuel Delgado, consultor da associação a troco de mais de três mil euros mensais, e que se demitiu na terça-feira, após a denúncia do alegado uso por Paula Brito e Costa de dinheiro da Instituição Particular de Solidariedade Social para fins pessoais.

Entre as irregularidades apontadas, conta-se a compra de vestidos de alta costura, de bens alimentares caros e o pagamento de deslocações, apesar de ter um carro de alta gama pago pela Raríssimas. Além disso Paula Brito e Costa terá também beneficiado de um salário de três mil euros, de 1.300 euros em ajudas de custos e de um Plano Poupança Reforma que rondava os 800 euros mensais.



Paula Brito e Costa anunciou na terça-feira que se afastava da liderança da instituição que fundou há 15 anos e à qual mantém um vínculo de trabalho, como diretora-geral, tal como o marido da ex-presidente e o filho, ao qual chamava “o herdeiro da parada”.

A Casa dos Marcos, na Moita, que tem “um modelo assistencial único e de dimensão transnacional”, segundo a apresentação do projeto no site da associação, é o maior projeto da associação, que beneficia quase 200 utentes, servidos por cerca de 150 funcionários.

Continue a ler aqui:  http://24.sapo.pt/atualidade/artigos/rarissimas-a-associacao-que-serve-200-utentes-e-se-tornou-num-caso-de-politica-e-de-policia

3
Apresentações & Regras / Bem vindo curiosidadesdomundo
« Última mensagem por Neo em Hoje às 03:08 »
Bem-Vindo curiosidadesdomundo ao Deficiente-Forum.  

Agradecemos a tua inscrição no nosso Fórum e esperamos poder ajuda-lo no que for preciso, também esperamos poder aprender muito com a sua sabedoria e disponibilidade para o que seja necessário.

Faça agora sua apresentação neste post.

Obrigado
A Administração
4
Noticias / Re: AINDA A PRESTAÇÃO SOCIAL PARA A INCLUSÃO
« Última mensagem por kati em 14/12/2017, 21:00 »
olá ou estou burrinha ou por mais contas que faço , não entendo ,a minha filha recebe reforma de invalides social tem 90% DE INVALIDES ,recebe 14 prestações ,com a PRESTAÇÃO SOCIAL PARA A INCLUSÃO vai receber menos anualmente ,digo eu que nada entendo obrigado
5



A fotografia mostra uma mulher que é amputada dupla. Ela perdeu os dois braços acima da articulação do cotovelo. Na fotografia, ela está sentada à beira da estrada e está sendo oferecida comida por sua filha de dois anos.

O nome da mulher é Sangeeta. Ela costumava trabalhar como trabalhadora em locais de construção. Em um dia fatídico, Sangeeta encontrou-se com um acidente em um desses locais do município de Multai em Madhya Pradesh. Apesar dos seus melhores esforços, os médicos não conseguiram salvar os braços. Tendo sido desativado, a vida de Sangeeta desceu para a escuridão.

Mas logo após o acidente, um homem chamado Suresh Behare veio e se casou com ela. Suresh estava plenamente consciente da deficiência de Sangeeta no momento do casamento. O casal correu do pilar para postar na esperança de encontrar alguma ajuda. Eles até se aproximaram da administração distrital e do Ministro-chefe da Madhya Pradesh. Mas ninguém os ajudou. Sua filha de dois anos, fofa e responsável, tem um nome muito bonito, Vaishnavi . Ironicamente, a foto foi tirada durante a segunda Convenção Nacional sobre o Direito da Criança à Alimentação em Bhopal .

A fotografia é verdadeiramente dolorosa para aqueles que podem sentir. Sangeeta nem consegue acariciar Vishanavi por seu comportamento obediente. À tenra idade de dois, Vaishnavi está desempenhando o papel de mãe para sua mãe. Imagine o que tudo iria passar pelo coração de Sangeeta.

Olhe para as mãos de Vaishanavi. Essas adoráveis ​​mãos pequenas! Seu rosto é a definição de inocência. A esta idade, quando as crianças fazem birras e até mesmo lutam por comida, Vaishnavi evidentemente entendeu as restrições de sua mãe. Ela está se comportando como Annapurna (deusa hindu de comida e nutrição) . Faruqui pegou outra fotografia do par mãe-filha. É dado abaixo.



Fonte: lalitkumar
6
Número de pessoas com deficiência empregada duplica, mas desemprego aumenta


ALFREDO CUNHA/GLOBAL IMAGENS

 
Houve uma redução de 6,7% no desemprego de curta duração, mas a longo prazo agravou-se

O número de pessoas com deficiência no mercado de trabalho mais do duplicou entre 2011 e 2016, mas o desemprego de longa duração nesta população sofreu um agravamento de cerca 60%, segundo um relatório hoje divulgado.

"Apesar de o número de colocações profissionais de pessoas com deficiência registadas pelo IEFP [Instituto do Emprego e Formação Profissional] se manter bastante reduzido (10% do número total de pessoas com deficiência desempregadas registadas em 2016), assinala-se a progressão positiva deste indicador, com um aumento de 138% no número de colocações entre 2011 e 2016", refere o relatório do Observatório da Deficiência e dos Direitos Humanos (ODDH).

O relatório "Pessoas com Deficiência em Portugal -- Indicadores de Direitos Humanos 2017" assinala uma redução de 6,7% no desemprego de curta duração, mas salienta que o desemprego de longa duração (mais de 12 meses) registou um agravamento na ordem dos 60% entre 2011 e 2016.


"Apesar de se verificar uma redução global do desemprego" registado entre 2011 e 2016 (18,8%), essa melhoria não se alargou às pessoas com deficiência, registando-se inclusivamente um agravamento de 26,7% no número de pessoas registadas nos centros de emprego", refere o documento.

Esse agravamento do desemprego foi mais elevado entre as mulheres com deficiência (37,2%) do que entre os homens com deficiência (20,0%), embora no final de 2016 houvesse mais homens desempregados (7.645) do que mulheres (5.538).

O observatório destaca o aumento que tem vindo a acontecer do rácio de trabalhadores com deficiência na administração pública, atingindo os 2,30% em 2016.

Já no setor privado (empresas com mais de 10 trabalhadores), apesar de ter registado um aumento no número de trabalhadores com deficiência, a taxa de emprego era inferior a 1% em 2015.

A maioria dos trabalhadores com deficiência no setor privado possui qualificações ao nível do ensino secundário (29%) ou superior (25%), "o que sugere um impacto da escolaridade no emprego, que se regista também na população portuguesa em geral", refere o documento que sistematiza informação, atualmente dispersa, sobre a situação das pessoas com deficiência em Portugal, a partir de fontes secundárias, nacionais e internacionais

O relatório conclui que, tendo em conta que persistem múltiplas barreiras ao exercício de direitos humanos dos cidadãos portugueses com deficiência, "importa acompanhar e avaliar as mudanças que vão sendo introduzidas, quer no plano legislativo, quer no plano social, para que se possa medir o seu impacto, avaliar os progressos conseguidos e assim informar e orientar o sentido das políticas públicas".

 
Fonte: DN
7
Câmara do Porto extingue Provedoria do Cidadão com Deficiência no final do ano
Lusa13 Dez, 2017, 22:22 | País


A Provedoria do Cidadão com Deficiência da Câmara do Porto vai ser extinta, indicou hoje a atual provedora, que vê a decisão com "tristeza", considerando que "a dedicação ao tema da inclusão é uma mais-valia para qualquer cidade".

Em declarações à agência Lusa, Lia Ferreira indicou que foi informada da extinção da provedoria na passada semana e que esta decisão tem efeitos práticos a partir de 31 de dezembro.

A atual provedora admitiu que o manifesto da candidatura de Rui Moreira já previa esta extinção, pois passará a existir um provedor do Município, mas disse crer que, "tendo em conta o que é a inclusão como um todo, esta poderá ser uma grande perda para a cidade".

"Tendo em conta o trabalho que tínhamos estruturado, que espero que continue, só posso estar triste. O manifesto já apontava no sentido de que o meu gabinete fosse absorvido pelo pelouro da Ação Social mas esta provedoria não se dedica em exclusivo à Ação Social, mas sim à inclusão. E inclusão é tudo, é transversal a vários pelouros", sublinhou.

Lia Ferreira, que trabalhou na autarquia do Porto meio mandato na qualidade de adjunta e um segundo mandato completo como Provedora dos Cidadãos com Deficiência, considerou que "devem existir provedorias nas médias e grandes cidades", gabinetes esses que, disse, "devem ser complementadas por grupos de trabalho".

No Porto, a provedoria que agora terminará tinha criado, enumerou à Lusa Lia Ferreira, grupos para debater os transportes, o tema da vida independente, a inclusão, entre outros. O Instituto Nacional da Reabilitação, por exemplo, era presença assídua na cidade de três em três meses, enquanto convidado pela provedoria para ouvir em primeira mão os relatos e preocupações das instituições do setor.

"Acho que um trabalho em que alguém se dedica de forma transversal à inclusão fica ferido com a perda de uma figura que se dedica em exclusivo a pensar estas questões", concluiu a provedora que ao início da noite publicou uma nota na sua página nas redes sociais com título "Até sempre", a qual regista cerca das 22:00 mais de meia centena de comentários e foi alvo de cerca de três dezenas de partilhas.

Na publicação Lia Ferreira afirma sair com a certeza de que desempenhou as funções com tal "afinco" que chegou a ser apelidada de "chata que não desiste".

"Por fim ouvi: `o seu gabinete estava a ter protagonismo e competências apenas dignas de pelouro e isso não pode acontecer`. Estas palavras arrasadoras soam a reconhecimento e elevação do trabalho que executei", escreveu, garantindo que só não fez mais por não lhe ser "institucionalmente permitido".

"Fica a consciência de que, apesar do estatuto, um provedor não tem poder algum nem orçamento para executar qualquer projeto. Como tal, de forma a contornar os limites sempre presentes, fui apostando na criação de parcerias de forma a conseguir implementar projetos e políticas mais inclusivas", referiu Lia Ferreira.

A agência Lusa procurou obter mais esclarecimentos junto da Câmara do Porto, mas até ao momento não foi possível.



Fonte: RTP
8
Outros / Corfebol Adaptado a Pessoas com Deficiência Intelectual
« Última mensagem por Oribii em 14/12/2017, 15:01 »
Corfebol Adaptado a Pessoas com Deficiência Intelectual

14 de Dezembro das 10h30 às 13h30 -

Pavilhão do Casal 

Corfebol Adaptado a Pessoas com Deficiência Intelectual 0 0 Amanhã no Pavilhão do Complexo Desportivo Municipal do Casal Vistoso, Rua João da Silva, 1900-271 Lisboa, com o apoio da Câmara Municipal de Lisboa, irá realizar-se o Torneio Final de Corfebol Adaptado a Pessoas com Deficiência Intelectual. A Cerimónia de Abertura terá início às 10h30 e o Torneio começará às11h00 finalizando às 13h30, com a entrega de troféus e medalhas aos participantes. Este Torneio encerra um conjunto de acções que integraram o Quadro Competitivo de Corfebol Adaptado que a Federação Portuguesa de Corfebol lançou este ano às várias Instituições de Lisboa, Leiria e Santarém que aderiram ao programa inserido no Plano Nacional Desporto para Todos, promovido pelo IPDJ e apoiado pelo INR, e que visa a promoção e mobilização de toda a população para a prática desportiva, promovendo actividades físicas e desportivas de acordo com uma metodologia transversal, multissectorial e multidisciplinar direccionada a todos os cidadãos. Neste Torneio participam as oito equipas finalistas: APPACDM Santarém, CERCIPOM, CRIT,CIRE, CERCITEJO, CASA de S. VICENTE, AFID DIFERENÇA e CERCI LISBOA. Uma deles será o Campeão Nacional do Corfebol Adaptado da época 2017/2018. Serão jogos muito animados e bastante competitivos!



Fonte: CM
9
Marcelo. "Governo já mandou equipa para garantir funcionamento da Raríssimas"

14 dez, 2017 - 12:23



Presidente da República, em declarações aos jornalistas, considera que investigação ao que se passou na instituição "não pode levar meses". [Em actualização]
Foto: Mário Cruz/ Lusa


O Presidente da República revela que o Govenro já "mandou uma equipa para garantir o funcionamento da Raríssimas". Marcelo Rebelo de Sousa falava aos jornalistas, à entrada para a festa do Natal dos Hospitais, no Alcoitão.

Nesta intervenção, Marcelo disse ainda que a investigação às suspeitas de gestão danosa na instituição "não pode levar meses".

Uma reportagem emitida pela TVI na segunda-feira denunciou o alegado uso, pela presidente, de dinheiro da associação de ajuda a pessoas com doenças raras Raríssimas para fins pessoais.

A investigação mostra documentos que colocam em causa a gestão da instituição de solidariedade social, nomeadamente da sua presidente, Paula Brito e Costa, que alegadamente terá usado o dinheiro em compra de vestidos e vários gastos pessoais.

Na reportagem era também adiantado que o secretário de Estado da Saúde, Manuel Delgado, foi contratado entre 2013 e 2014 pela associação "Raríssimas", com um vencimento de três mil euros por mês, tendo recebido um total de 63 mil euros.

Paula Brito e Costa e Manuel Delgado anunciaram na terça-feira que se demitiam dos respectivos cargos.

Esta quinta-feira, os trabalhadores da "Raríssimas" avisaram que a associação está em risco de fechar por falta de acesso às contas bancárias e apelaram ao primeiro-ministro para que envie uma direção idónea para permitir o funcionamento.

Maria Cavaco SIlva com "medo" e "espantada"

A ex-primeira-dama Maria Cavaco Silva, que foi madrinha da Raríssimas, disse estar "muito espantada e preocupada" com a situação que se vive na associação, destacando a importância da instituição e dos utentes.

"Estou muito espantada, estou muito preocupada. Espantada porque não esperava e preocupada porque não podemos prescindir dos serviços que a Raríssimas tenta prestar às pessoas. Todos sabemos que funciona bem, não podemos prescindir disso. Todos sabemos que não somos abonados para deitar fora uma coisa como a Raríssimas", disse.

"Sinto-me espantada. Estou triste e com medo. Eu sempre disse que apoiava as pessoas que estavam na instituição e, ao longo destes anos todos, sempre disse que as instituições ficam. Têm de ficar, esta é a mensagem que quero deixar", disse.
10
Anedotas / Re: Bêbado Corno.
« Última mensagem por migel em 14/12/2017, 12:57 »
 :Hee: :Hee: -)
Páginas: [1] 2 3 ... 10


Anuncie Connosco Anuncie Connosco Stannah Mobilidade S.A Anuncie Connosco Anuncie Connosco


  •   Política de Privacidade   •   Regras   •   Fale Connosco   •  
       
Voltar ao topo