iacess

ergometrica

Ortopedia Moderna

Anuncie Aqui

mobilitec
Stannah Mobilidade S.A

Autopedico

Invacare

Anuncie Aqui

Anuncie Aqui
myservice

Tecnomobile

TotalMobility

Multihortos

Drive Mobility

Autor Tópico: Tudo relacionado com o Coronavírus  (Lida 54215 vezes)

0 Membros e 5 Visitantes estão a ver este tópico.

Offline AREZ

Re: Tudo relacionado com o Coronavírus
« Responder #90 em: 25/03/2020, 21:33 »
O sector do turismo e viagens, é responsável por 20% das nossas exportações (18,4MM€). Se as exportações deste sector caírem 50% em 2020 o PIB cai entre 4 a 5%. Se caírem 75% o impacto total no PIB rondará os 7%. Somando, com a TAP parada, o impacto dos transportes nas exportações, que representa uma queda de 50% e o PIB cairá mais 2%. A isto podemos somar a restauração e temos uma queda do produto superior a 10% em 2020. Com a inclusão dos outros sectores da nossa economia é possível admitir uma recessão superior a 15%.

A resposta do governo é pedir às empresas para esperar 2 meses para verificarem uma queda da sua faturação de 40% e iniciarem o lay-off... Qualquer pessoa com mínimos de noção das coisas sabe que bo fim desse período já a maior parte estará falida. E o pior de tudo é que vão continuar nessa situação mais 2 meses pelo menos, porque terão de pagar os salários a 100% e só depois serão reembolsadas pela segurança social. Veremos quantas chegarão ao final do processo.

Estamos já a viver a maior crise económica de que há memória. O desafio do relançamento da economia depois da maior recessão da história moderna implica a retoma do consumo, do investimento privado e do comércio internacional. Depois de um estouro destes não se espera grande fluxo de consumo privado. E um Estado endividado não tem como impulsionar a economia. Essa cartada foi já jogada, nos últimos anos.

Portanto, a retoma virá, se vier. E tudo depende de uma reacção rápida e forte, a nível mundial. Falhando, a união europeia poderá simplesmente ruir. E aí é que as coisas vão ficar mesmo más.

Ou então, não.


AREZ
AREZ
 
Os seguintes membros Gostam desta publicação: casconha

Online migel

Re: Tudo relacionado com o Coronavírus
« Responder #91 em: 28/03/2020, 12:47 »
Portugal chega aos 100 no número de mortes por coronavírus
28 Março, 2020



O número de mortes por Covid-19 em Portugal subiu para 100, segundo o boletim divulgado este sábado pela Direção-Geral da Saúde (DGS).

O número de casos confirmados é agora de 5.170 e há 4.938 casos a aguardar resultados laboratoriais.

Recuperaram 43 pessoas. A maioria das vítimas são idosas. Vai continuar a passear na rua como se nada fosse ou vai ficar em casa?



Fonte: https://hugogil.pt/portugal-chega-aos-100-no-numero-de-mortes-por-coronavirus/
 
Os seguintes membros Gostam desta publicação: casconha

Offline SLB2010

Re: Tudo relacionado com o Coronavírus
« Responder #92 em: 29/03/2020, 12:37 »
COVID-19: Restaurantes nacionais aceleram para o take away e entregas ao domicílio. Conheça as ofertas
J.M.A

Ao encerramento temporário de restaurantes, motivado pelo atual Estado de Emergência, suscitado pela pandemia de COVID-19, sucederam-se respostas com novos serviços de take away e entrega de comida ao domicílio. Serviços que se reinventam, mas com regras de segurança para clientes e funcionários.


COVID-19: Restaurantes nacionais aceleram para o take away e entregas ao domicílio. Conheça as ofertas
Face à crise de saúde pública desencadeada pela pandemia em torno do COVID-19 e consequente Estado de Emergência decretado pelo Governo, muitos restaurantes estão a desenvolver serviços de take away e de entrega ao domicílio, permitindo-lhes manter a atividade.

O serviço de take away (para entrega direta ou em casa/empresas) decorre, no entanto, de acordo com novas regras, para garantir a segurança de clientes e prestadores do serviço, nomeadamente os estafetas encarregues de fazer as entregas.

Em Portugal operam inúmeras plataforma de entrega de comida nos domicílios e empresas, tais como a Uber Eats, a Glovo, a Comer em Casa, a Eat Tasty, noMenu ou a SendEAT.

Uber Eats remove a taxa de entrega ao almoço em todos os pedidos
“Para tornar a entrega ao domicílio ainda mais acessível para os portugueses que passaram a trabalhar de casa como resposta ao Covid-19, vamos eliminar a taxa de entrega em todos os pedidos superiores a 5 euros, durante o período do almoço (das 11h00 às 15h00) nos dias da semana (segunda a sexta feira), desde dia 16 até 31 de março”, informa a empresa de entrega de comida ao domicílio.

Para beneficiar da entrega gratuita, há que entrar na aplicação do Uber Eats, ir à secção “Conta” e, no separador “Promoções”, adicionar o código "almoco", seguido do dia e mês correspondentes segundo o formato "ddmm".

A Uber Eats informa, ainda, que “o utilizador poderá ter uma experiência de entrega sem contacto: para isso apenas tem de deixar uma nota de entrega, pedindo para deixar o seu pedido à porta ou na entrada”.


ZeroZero, Tapisco e DeliDelux avançam para take away

A partir de 23 de março, através da campanha #Plateforhome, restaurantes do Grupo Plateform em Lisboa, Porto e Coimbra asseguram o serviço de take away através da app Uber Eats: Honorato (Lisboa, Porto e Coimbra), Wok to Walk (Lisboa e Porto), Vitaminas (Lisboa) e Coyo Taco (Lisboa). A partir de dia 25 de março, entram na equação o Big Fish Poke (que também já se encontrava na plataforma).

Pela primeira vez num serviço de entrega ao domicílio, e de forma a proporcionar uma oferta abrangente e diversificada, as marcas Honest Greens, ZeroZero, Tapisco e DeliDelux (todas elas em Lisboa). Neste último caso, para além das refeições prontas Grab n’Go, a mercearia gourmet de Santa Apolónia irá estar aberta ao público, seguindo as regras aplicadas aos supermercados.


Fonte: https://lifestyle.sapo.pt/sabores/noticias-sabores/artigos/covid-19-e-agora-restaurantes-ganha-terreno-o-take-away-conheca-as-ofertas
 
Os seguintes membros Gostam desta publicação: casconha

Offline rodrigosapo

Re: Tudo relacionado com o Coronavírus
« Responder #93 em: 29/03/2020, 18:21 »
DGS sobre Covid-19. "Até haver uma vacina esta situação vai durar meses"
por Antena 1
   

Foto: Tiago Petinga - Lusa

A diretora-geral da Saúde, Graça Freitas, disse domingo que o surto da Covid-19 não vai durar uma quinzena ou dois ou três meses, mas o tempo que tardar até haver uma vacina.

"Até haver uma vacina esta situação vai durar meses e nós vamos tentar baixar o trabalho e a pressão do vírus", disse Graça Freitas, acrescentando tratar-se de um "vírus muito inteligente".


RTP
 
Os seguintes membros Gostam desta publicação: casconha

Online migel

Re: Tudo relacionado com o Coronavírus
« Responder #94 em: 30/03/2020, 17:25 »
A informação de hoje, 30/03/2020, da DGS é de que existem 18 casos confirmados de infectados no concelho de Ílhavo.
Continuem a passear, a ir às raspadinhas e outros excessos e depois não gritem ao da guarda.
#Fiquememcasa

 
Os seguintes membros Gostam desta publicação: casconha

Online migel

Re: Tudo relacionado com o Coronavírus
« Responder #95 em: 31/03/2020, 11:08 »
Especialistas defendem que números dos últimos dois dias podem antecipar pico do Covid-19
ECO

As opiniões estão longe de ser unânimes, mas há especialistas que defendem, que, tendo em conta que os últimos dois dias registam aumentos mais baixos nos números de casos, o pico pode ser antecipado.

Depois de várias estimativas, a ministra da Saúde voltou, este sábado, a adiar a estimativa de pico da epidemia do Covid-19 em Portugal para final de maio. Contudo, há especialistas que defendem que os números dos últimos dois dias, que registam progressivamente aumentos mais baixos nos números de casos, podem ter antecipado o pico em previsões, avança a TSF (acesso livre).

“Aqui no meu computador as previsões muitas vezes são abril e não maio, mas eu compreendo que existam outras abordagens. Contudo, mesmo nos modelos que apontam para maio se as medidas de distanciamento fizerem realmente efeito essas previsões de repente andarão possivelmente para trás“, aponta à rádio Manuel Carmo Gomes, um dos epidemiologistas que será ouvido esta terça-feira pelo Presidente da República e pelo Governo, com o intuito de avaliar a evolução da doença.



Continue a lêr : https://eco.sapo.pt/2020/03/31/especialistas-defendem-que-numeros-dos-ultimos-dois-dias-podem-antecipar-pico-do-covid-19/
 
Os seguintes membros Gostam desta publicação: casconha

Online migel

Re: Tudo relacionado com o Coronavírus
« Responder #96 em: 31/03/2020, 11:11 »
Covid-19: Nobel da Química prevê fim da pandemia mais cedo do que o previsto


Julia Reinhart/ Getty Images

O cientista assume que apesar do aumento do número de mortos, existem recuperações e um abrandamento na taxa de mortalidade

Michael Levitt, bioquímico na Universidade de Standford e vencedor do Prémio Nobel da Química em 2013, contraria o que muitos epidemiologistas e cientistas prevêem – meses de perturbações sociais e milhares de mortos em todo o mundo. Levitt acredita que os dados não apresentam um cenário tão terrível como o descrito, em especial nas áreas onde são respeitadas as medidas de distanciamento social. “O que precisamos é de controlar o pânico”, disse ao Los Angeles Times. “Nós vamos ficar bem”.

O cientista começou, em janeiro, a analisar o número de casos de Covid-19. Destes cálculos percebeu que a China passaria pela fase pior do surto numa data anterior à previsão que fizeram outros especialistas.

No dia 31 de janeiro, a China registou 46 novas mortes em comparação com as 42 assinaladas no dia anterior. Embora o número de mortes tenha continuado a aumentar, a taxa de mortalidade diminuiu. Ou seja, o número de mortos cresceu mas a percentagem desses mortos é menor do que a do dia anterior. “Isto sugere que a taxa do aumento no número de mortos diminuirá ainda mais durante a próxima semana”, declarou Levitt no relatório que enviou aos colegas no dia 1 de fevereiro, e que mais tarde foi partilhado nas redes sociais. Três semanas depois de ter escrito o relatório, o bioquímico calculou que a China tinha atingido o pico e que o país iria ter cerca de 80 mil casos confirmados e 3250 mortes. Essa previsão mostrou-se extremamente precisa: no 16 de março, o país contabilizou um total de 80 298 casos e 3 245 mortes. O número de pacientes recém-diagnosticados com o vírus desceu para cerca de 25 por dia.


Continue a lêr https://visao.sapo.pt/atualidade/mundo/2020-03-31-covid-19-nobel-da-quimica-preve-fim-da-pandemia-mais-cedo-do-que-o-previsto/
 
Os seguintes membros Gostam desta publicação: casconha

Online migel

Re: Tudo relacionado com o Coronavírus
« Responder #97 em: 31/03/2020, 11:14 »
Saiba quanto vai pagar de IRS se estiver em lay-off. Governo confirma que há pagamento

Pedro Sousa Carvalho e Isabel Patrício


O tema dividia advogados e fiscalistas, mas esta segunda-feira a ministra do Trabalho veio esclarecer que os trabalhadores em lay-off simplificado vão mesmo pagar IRS. Veja as simulações.


ASegurança Social recebeu até esta segunda-feira cerca de 1.400 pedidos de empresas que pretendem aderir ao lay-off simplificado. Mas muitas mais deverão pedir para aderir a este regime, já que o Governo estima que possa abranger um milhão de trabalhadores. No âmbito deste regime, esses trabalhadores perdem até um terço do seu salário, mas continuam a descontar para a Segurança Social e a ser alvo de retenção na fonte de IRS, tema que dividia os especialistas mas que entretanto já foi esclarecido pelo Governo.

Patrões já podem aderir ao novo lay-off. Estas são as regras

As empresas que aderirem ao novo lay-off podem suspender o contrato de trabalho ou reduzir o horário dos trabalhadores que, por sua vez, têm direito a receber dois terços da remuneração normal ilíquida, sendo 70% suportada pela Segurança Social e 30% pela empresa. A remuneração passa a ter como limite mínimo o salário mínimo nacional (635 euros) e como máximo três salários vezes esse valor (1.905 euros).


Continuar a lêr:  https://eco.sapo.pt/2020/03/31/saiba-quanto-vai-pagar-de-irs-se-estiver-em-lay-off-governo-confirma-que-ha-pagamento/
 
Os seguintes membros Gostam desta publicação: casconha

Offline pantanal

Re: Tudo relacionado com o Coronavírus
« Responder #98 em: 31/03/2020, 17:06 »
Covid-19. «Impõe-se manter as medidas de contenção», diz Marcelo
Por Ana Rita Rebelo 14:25, 31 Mar 2020
«No futuro imediato, impõe-se manter as medidas de contenção», defendeu o Presidente da República, após uma «longa e muito participada» reunião com autoridades de saúde e especialistas do Infarmed para decidir o prolongamento do Estado de Emergência, que vigora até 2 de Abril.

Marcelo Rebelo de Sousa destacou duas conclusões. A primeira, é que «olhando para a evolução da curva dos casos positivos dos portugueses detectados como infectados, há uma diferença apreciável entre a primeira fase dessa infecção e a fase mais recente e, mais do que isso, a continuar o que parece ser uma tendência, temos uma fixação em valores que podem vir a ser metade, claramente menos de metade em média daqueles que se verificavam na primeira fase e podem significar uma correlação com encerramento de escolas e com medidas de contenção já adoptadas». Se for assim, «essa é uma boa notícia a premiar o esforço dos portugueses que assumiram como tarefa colectiva compreender essa auto-contenção», sublinha.

A segunda conclusão é de que «vale a pena manter as medidas de contenção». «Impõe-se manter as medidas de contenção», reiterou, acrescentando que esta foi, aliás, uma «opinião unânime» entre os epidemiologistas, o primeiro-ministro, líderes partidários, parceiros sociais e conselheiros de Estado que estiveram na sessão técnica.

Governo decide futuro das escolas a 9 de Abril

O chefe de Estado revelou ainda que no próximo dia 7 de Abril haverá uma reunião para discutir e apreciar a situação das escolas. «No dia sete vai haver outra reunião técnica para analisar a evolução dos dados e as previsões dos especialistas, tendo em conta a decisão a tomar pelo Governo no dia nove», disse Marcelo, destacando que essa é, no entanto, «uma competência exclusiva do Governo».

Questionado sobre os testes à Covid-19, apontou que «o escalonamento da realização dos testes tem a ver com as prioridades em cada momento».

Sobre um eventual prolongamento do Estado de Emergência, adiantou que será revelado amanhã e que tudo depende da evolução da pandemia durante os próximos dias e da respectiva avaliação pelas autoridades de Saúde. Ainda assim, o Presidente diz que esta sessão foi um «passo importante», uma vez que vai ao encontro do que disse ontem o primeiro-ministro quanto ao ponto de vista do Governo sobre a manutenção de medidas restritivas. «O passo seguinte será naturalmente o da posição formal do Governo em concertação com o Presidente da República e depois a autorização da Assembleia da República, mas não escondo que da reunião de hoje decorre muito claramente como é importante dar um sinal de manutenção daquilo que foi adquirido e foi uma conquista dos portugueses», realçou Marcelo.

Quanto ao conteúdo do documento, o Presidente crê que é «prematuro» estar a avançar com algo. «Tudo tem o seu momento. Acontecerá o que tiver de acontecer nos próximos dois dias e depois daqui a uma semana estaremos todos a ouvir os especialistas sobre uma matéria específica do governo e que supõe uma decisão no dia nove», insistiu.

O que diz Costa?

Nesta segunda-feira, o chefe do Governo considerou que «neste momento, nada justifica a alteração das coisas. Têm estado a correr muitíssimo bem», considerou o chefe do Governo.

No final de uma visita às obras de recuperação do antigo Hospital Militar de Belém, em Lisboa, sobre o prolongamento do estado de emergência, que termina esta semana, Costa disse que «o Presidente da República tomará esta semana a iniciativa de renovar ou não o estado de emergência» e que, nessa altura, o Governo dará a sua opinião e haverá uma decisão da Assembleia da República. «Creio, sem fazer futurologia, que o expectável é que, sabendo nós que temos tido sucesso – felizmente – em baixar o pico desta pandemia, isso significa que vamos ter de prolongar também as medidas que têm vindo a ser adoptadas, com estado de emergência ou sem estado de emergência».

Portugal regista, neste momento, 160 vítimas mortais por Covid-19, mais 20 do que ontem, segundo o balanço da Direção-Geral da Saúde (DGS), divulgado nesta terça-feira. Quanto ao número de casos confirmados, subiu para 7.443 casos de infecção, mais 1.035 que o que tinha registado no arranque da semana.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da Covid-19, já infectou mais de 791 mil pessoas em todo o mundo, das quais morreram mais de 38 mil.



LER MAIS   https://executivedigest.sapo.pt/covid-19-impoe-se-manter-as-medidas-de-contencao-diz-marcelo/
 
Os seguintes membros Gostam desta publicação: casconha

Online migel

Re: Tudo relacionado com o Coronavírus
« Responder #99 em: 01/04/2020, 15:29 »
Idosos espanhóis pedem que não os discriminem nos cuidados intensivos

Os idosos pedem à comunidade científica para rever os protocolos e manuais "para banir qualquer indício de desigualdade e garantir que sejam absolutamente respeitosos do quadro de direitos humanos".


Agência Lusa
Texto
31 mar 2020, 15:26 1
   

▲Fonte oficial da Confederação Espanhola das Organizações de Idosos assegurou que há idosos e deficientes a serem "discriminados" pelos serviços de saúde

Andreu Dalmau/EPA


Estas associações instam, através de um comunicado, a comunidade científica a rever os seus protocolos e manuais, “para banir qualquer indício de desigualdade e garantir que sejam absolutamente respeitosos do quadro de direitos humanos que governa a Espanha, porque ninguém pode ser excluído por motivos de idade ou deficiência de certos tratamentos, uma vez que todas as vidas merecem o mesmo respeito e têm o mesmo valor”. O comunicado conjunto é assinado pelo Comité Espanhol de Representantes das Pessoas com Deficiência, a União Democrática dos Reformados de Espanha e a Confederação Espanhola das Organizações de Idosos.

Em declarações à agência Lusa, fonte oficial desta última organização assegurou que há idosos e deficientes a serem “discriminados” pelos serviços de saúde, mas disse que não podia revelar casos concretos devido à “lei de proteção de dados”, remetendo para os casos de denúncias nas redes sociais.

Obeservador: https://observador.pt/2020/03/31/idosos-espanhois-pedem-que-nao-os-discriminem-nos-cuidados-intensivos/
 
Os seguintes membros Gostam desta publicação: casconha

Online migel

Re: Tudo relacionado com o Coronavírus
« Responder #100 em: 02/04/2020, 13:12 »
Homem de 92 anos pinta o cabelo à mulher durante quarentena. Veja o momento que está a 'derreter' a Internet

Avô de 92 anos pinta o cabelo à mulher durante quarentena


Ontem às 11:6

Um homem, de 92 anos, faz tudo para que a sua companheira, também de 92, se sinta bonita e não 'sofra' por não poder ir ao cabeleireiro durante o período de quarentena devido ao coronavírus.

O momento foi relatado pela neta de ambos, Yael Shapira Avraham, que publicou uma fotografia que mostra o casal no momento ternurento, em Israel. Na imagem é possível ver o avô a pintar os cabelos da mulher que, sentada na cadeira de rodas, vai acompanhando todo o processo através de um espelho.

"Estes são os meus avós de 92 anos (Espero que se mantenham sempre saudáveis). O meu avô está sempre preocupado com a minha avó e faz tudo para que se sinta bonita. Não vemos coisas assim todos os dias", partilhou a mulher esta segunda-feira, no Facebook.


CMTV
 
Os seguintes membros Gostam desta publicação: casconha

Offline Fisgas

Re: Tudo relacionado com o Coronavírus
« Responder #101 em: 03/04/2020, 16:35 »
Muitos dos doentes que morreram tinham doenças associadas, diz DGS

A diretora-geral da Saúde revelou hoje que muitos dos doentes que morreram de covid-19 tinham várias doenças associadas, e que as mais comuns são do aparelho cardiocirculatório, doenças respiratórias, a diabetes e doença renal crónica.
Muitos dos doentes que morreram tinham doenças associadas, diz DGS


© Lusa

Notícias ao Minuto
03/04/20 15:04 ‧ HÁ 1 HORA POR LUSA

PAÍS COVID-19

Graça Freitas, na conferência de imprensa diária no Ministério de Saúde, em Lisboa, adiantou também que, "entre a data do início de sintomas e a data do óbito, em média, decorreram oito dias".


Segundo a diretora-geral da Saúde, também já é possível traçar uma mediana em relação aos doentes que morreram com covid-19, nas mulheres a média é de 85 anos e nos homens é de 80 anos.

"A maior parte destas pessoas [que morreram] além do fator idade tem várias doenças e habitualmente têm mais do que uma doença. A maior parte delas têm três doenças", acrescentou.

Entre as doenças mais comuns nas pessoas que morreram infetadas com o novo coronavírus constatou-se as do aparelho cardiocirculatório, doenças respiratórias, a diabetes, doença renal crónica, neoplasias e as doenças cerebrovasculares em geral.

Graça Freitas sublinhou também que a taxa de letalidade entre os idosos situa-se abaixo nos 10%.

"Não é nenhuma fatalidade ser idoso e ter alguma destas doenças, significa apenas um aumento do risco", frisou.

Em relação às medidas a aplicar aos lares de idosos para combater o contágio do novo coronavírus, a diretora-geral da Saúde disse que têm decorrido "imensas reuniões entre o setor da saúde da segurança social" e que têm sido dadas muitas indicações aos profissionais e que "a situação está desde o início priorizada".

"A nossa grande preocupação é, ao mínimo sintoma, entre idosos, funcionários ou profissionais, isolar, isolar, isolar, testar testar, testar e separar populações que estão positivas por covid-19 das negativas", referiu Graça Freitas.

Segundo o boletim epidemiológico de hoje da DGS, morreram com covid-19 até ao momento 83 homens e 73 mulheres com mais de 80 anos e 35 homens e 23 mulheres na faixa etária dos 70 aos 79 anos.

Por sua vez, o secretário de Estado da Saúde admitiu que tem havido algumas dificuldades na marcação de testes à covid-19 nos laboratórios convencionados, mas o assunto está em resolução.

"Hoje está a decorrer uma reunião entre o Instituto Nacional Ricardo Jorge e a Associação Nacional de Laboratórios para melhorar a questão dos agendamentos dos testes", disse António Lacerda Sales.

O governante garantiu que uma das prioridades continua a ser o aumento da testagem e deteção de casos de infeção, indicando que, "entre 1 de março e 1 de abril, foram processadas cerca de 86 mil amostras para covid-19".

Portugal regista hoje 246 mortes associadas à covid-19, mais 37 do que na quinta-feira, e 9.886 infetados (mais 852), segundo o boletim epidemiológico divulgado pela Direção-Geral da Saúde.

De acordo com os dados da DGS, há 9.886 casos confirmados, mais 852, um aumento de 9,4% face a quinta-feira.


Noticias ao minuto
 
Os seguintes membros Gostam desta publicação: casconha

Online migel

Re: Tudo relacionado com o Coronavírus
« Responder #102 em: 04/04/2020, 16:24 »

"SÓ SE GANHA UMA GUERRA VENCENDO BATALHAS". UM RETRATO DA PANDEMIA EM VILA REAL

António Moura dos Santos

4 abr 2020
Este artigo é sobre Vila Real. Veja mais na secção Local.
A cidade transmontana de Vila Real é uma de várias no país a combater com tudo o que tem o vírus da Covid-19. Dos decisores políticos aos alunos da Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro, passando pelos empresários e os assistentes sociais, este é um retrato de um município unido contra a pandemia.

PEDRO SARMENTO COSTA/LUSA


Um olhar aos principais desafios do município por quem tem de o gerir

A pandemia da Covid-19 foi detetada em Vila Real no dia 20 de março, tratando-se de uma mulher de 23 anos que importou a doença para dentro do concelho. No entanto, o surto tomou proporções bem mais graves a 22 do mesmo mês, quando foi detetado um caso no Lar de Nossa Senhora das Dores, localizado no centro histórico da cidade.

Infetando, pelo menos, 68 utentes e 20 funcionários, o caso expôs o potencial de contágio que pode ocorrer nestes espaços e foi “a principal frente” e a que “exigiu uma maior intervenção por parte do município”, segundo Rui Santos.

Apenas um esforço concertado entre Bombeiros, PSP, Cruz Vermelha Portuguesa, Exército e Proteção Civil permitiu aquela que foi considerada “a maior operação sanitária de sempre” do concelho.

No final do surto, 53 utentes tinham sido transferidos para a unidade de Vila Real do hospital privado Trofa Saúde, 11 foram colocados no hospital militar do Porto, quatro foram encaminhados para o Centro Hospitalar de Trás-os-Montes e Alto Douro (CHTMAD) e outros quatro, não infetados, foram para uma unidade hospitalar de Vila Nova de Gaia.

Ultrapassado este difícil acontecimento, Vila Real tem, à data, 124 casos confirmados de Covid-19 [segundo o boletim da Direção Geral de Saúde de 3 de abril de 2020]. O município está agora a redobrar esforços de preparação para piores cenários. “Nós sabemos que o distrito vale cerca de 2% do Serviço Nacional de Saúde e, tendo essa percentagem na cabeça, sabemos que Vila Real poderá chegar aos 400, 500 casos”, admite Rui Santos.

No que toca à distribuição de equipamentos de proteção individual, o autarca admite que “se vão notando falhas aqui e ali”, secundando assim queixas feitas pelas corporações de bombeiros e pelo presidente da Comissão Distrital da Proteção Civil de Vila Real.


Em resposta, o município, para já, começou a distribuir 300 viseiras pelos bombeiros, centro hospitalar e forças de segurança, aguardando ainda uma encomenda de 3.500 máscaras P2 para ajudar a colmatar a escassez de equipamentos de proteção individual.

Como medida de apoio à capacidade de resposta do CHTMAD, o município preparou 150 camas destinadas a doentes a precisar de internamento na residência universitária de Codessais, bem como o edifício do ex-CIFOP, ambos espaços cedidos pela Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD).

Fonte: https://24.sapo.pt/atualidade/artigos/so-se-ganha-uma-guerra-vencendo-batalhas-um-retrato-da-pandemia-em-vila-real
 
Os seguintes membros Gostam desta publicação: casconha

Online migel

Re: Tudo relacionado com o Coronavírus
« Responder #103 em: 04/04/2020, 22:59 »
Covid-19: Escolas preparam-se para aulas através da televisão pública (até ao terceiro ciclo)
MadreMedia / Lusa
4 abr 2020 15:36


Tiago Brandão Rodrigues Covid-19 Tele-escola
Brincar ao antigamente

As escolas estão a preparar-se para aulas através da televisão pública para alunos até ao terceiro ciclo, para chegarem aos que não têm acesso à Internet, disse hoje o ministro da Educação, sem, contudo, avançar datas.
Covid-19: Escolas preparam-se para aulas através da televisão pública (até ao terceiro ciclo)
“Como não era possível chegar a todos os alunos através dos meios mais tecnológicos, vamos poder fazê-lo pelos meios mais tradicionais”, enquanto estiverem suspensas as aulas presenciais nas escolas devido à pandemia, explicou o ministro da Educação, Tiago Brandão Rodrigues, em declarações à RTP.

O governante adiantou que a solução é a tele-escola, mas num cenário “completamente diferente” do que existiu no passado para o segundo ciclo, em que era dada com “alunos e professor na sala de aula”.

Continuar a lêr » https://24.sapo.pt/atualidade/artigos/covid-19-escolas-preparam-se-para-aulas-atraves-da-televisao-publica-ate-ao-terceiro-ciclo
 

Online migel

Re: Tudo relacionado com o Coronavírus
« Responder #104 em: 04/04/2020, 23:02 »
Férias, Natal, refeição: os subsídios a que temos direito (ou não) em tempo de Covid-19

Por Executive Digest 19:13, 4 Abr 2020
Portugal prolongou esta semana o estado de emergência por mais 15 dias, o que significa que os portugueses vão continuar em casa e que o teletrabalho continuará a ser uma realidade, pelo menos num futuro próximo. Além disso, há quem tenha ficado sem emprego ou quem mantenha o posto mas não tenha funções para exercer neste momento. Começam, então, as dúvidas sobre o que as empresas têm ou não de pagar aos colaboradores, desde as férias às refeições.

De acordo com Hugo Martins Braz, advogado e sócio coordenador do deparamento Laboral da Valadas Coriel & Associados, as respostas mudam consoante o cenário. Em resposta à TVI24, o especialista em direito do trabalho explica o que está previsto na lei e oferece aos portugueses as ferramentas necessárias para se defenderem.

Remuneração

A retribuição concreta dos trabalhadores que se encontrem ao abrigo do designado regime de lay-off simplificado varia consoante os respectivos contratos de trabalho se encontrem suspensos ou em situação de redução do período normal de trabalho, refere o advogado.

No caso de suspensão do contrato de trabalho, o trabalhador terá direito a receber 2/3 da sua retribuição normal, com um mínimo de 635 euros e um máximo de 1.905 euros. Muito embora o entendimento expresso pela Segurança Social seja de que o máximo do montante da compensação retributiva seja de 1.905 euros, no entendimento de Hugo Martins Braz, não existe impedimento a que no caso de trabalhadores cujo montante de 2/3 retribuição seja superior ao referido valor a empresa possa pagar esse valor superior. No entanto, apenas terá direito a receber da Segurança Social o montante correspondente a 70% de 1.905 euros.

Já no caso dos trabalhadores que vejam o seu período normal de trabalho reduzido, terão direito ao cálculo da retribuição calculado em proporção ao novo horário de trabalho, adianta à TVI24. Caso o valor resultante desse cálculo seja inferior a 635 euros ou a 2/3 da sua retribuição normal (consoante o mais favorável), os trabalhadores terão ainda direito a uma compensação retributiva até perfazer esse valor (compensação retributiva que é suportada em 30% pelo empregador e 70% pela Segurança Social).

Subsídios

Muito embora não seja possível apresentar uma resposta uniforme relativamente a todos os subsídios, à partida o trabalhador não os irá perder. Na realidade, o Código do Trabalho refere-se ao conceito de “retribuição normal”, o qual inclui, para além da retribuição base e diuturnidades, outras prestações que assumam carácter de regularidade e periodicidade e que sejam inerentes à prestação de trabalho. Neste contexto, sublinha o advogado, deverão entrar no cálculo da retribuição durante o período de lay-off outros subsídios que o trabalhador receba com carácter de regularidade, tais como subsídios de turno, isenção de horário de trabalho, etc.

Nota:

Apenas parcelas que sejam pagas exclusivamente com vista a fazer face a despesas que o trabalhador terá de suportar em caso de prestação efectiva de trabalho (de que poderá ser exemplo o subsídio de refeição e de transporte) e que, em decorrência da aplicação do regime de lay-off se deixem de verificar, poderão deixar de entrar no cálculo da retribuição. Contudo, esta solução não pode ser uniforme. Basta pensar num trabalhador que veja o seu período normal de trabalho reduzido, mas que continue a prestar trabalho, por exemplo, 6 horas por dia, caso em que o subsídio de refeição continuará a ser devido.

Quem está em teletrabalho pode, nesta fase, por redução da facturação das empresas perder os subsídios?

A situação de teletrabalho em si mesma não poderá determinar diminuição da retribuição, garante Hugo Martins Braz. No entanto, não se poderá deixar de equacionar situações em que, por virtude do abrandamento da actividade económica, os trabalhadores vejam o seu rendimento reduzido. Basta pensar em exemplos de trabalhadores com retribuições variáveis indexadas a volumes de vendas/facturação por referência a determinados períodos temporais e que, em virtude do abrandamento da actividade verão tais retribuições/comissões reduzidas.

Subsídio de férias

A empresa nunca o poderá deixar de pagar, sendo que o respectivo cálculo deverá ser feito como se o trabalhador se encontrasse a prestar trabalho em condições normais.

Subsídio de refeição

Já quanto ao subsídio de refeição, é das poucas prestações pecuniárias pagas ao trabalhador que, em determinadas circunstâncias, podem deixar de ser devidas (nomeadamente em caso de suspensão de contrato de trabalho).

Subsídio de férias e de Natal

Os trabalhadores não deverão ver afectados os montantes dos subsídios de férias e de Natal.

Fixação dos períodos de férias

O Governo alargou o prazo para as empresas aprovarem os mapas de férias: passam a ter 10 dias após o termo do estado de emergência para aprovar e fixar os dias de férias de cada colaborador.


Fonte: https://executivedigest.sapo.pt/ferias-natal-refeicao-os-subsidios-a-que-temos-direito-ou-nao-em-tempo-de-covid-19/
 

 



Anuncie Connosco Anuncie Connosco Stannah Mobilidade S.A Anuncie Connosco Anuncie Connosco


  •   Política de Privacidade   •   Regras   •   Fale Connosco   •  
       
Voltar ao topo